milan milan milan milan-brasil milan milan milan

Voltar para a Página Principal

Veja também as Notícias de Futebol de 2016, 2015, 2014, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009, 2008, 2007, 2006, 2005 e 2004.

NOTÍCIAS DE FUTEBOL DE 2006


BorrielloMilão, 21 Dezembro 2006. O atacante Borriello, do Milan, é pego em exame antidoping.

O atacante italiano Marco Borriello foi pego em exame antidoping para o uso de cortisona após a partida contra a Roma no dia 11 de Novembro, anunciou nesta Quinta-feira o Comitê Nacional Olímpico do país (CONI).
“O laboratório de Roma revelou, na primeira amostra submetida à análise, a presença dos princípios ativos Prednisona e Prednisolona”, afirmou o CONI.
O caso foi encaminhado à Federação Italiana de Futebol (FIGC) para que as possíveis sanções fossem tomadas. A FIGC decretou a suspensão imediata do jogador de qualquer atividade esportiva. Trata-se do primeiro controle positivo nesta temporada para um jogador da Série A do Campeonato Italiano.
“Temos certeza de que o assunto será esclarecido em breve e da melhor forma possível”, diz um comunicado publicado no site oficial do Milan.


Inter Porto AlegreYokohama, Japão, 17 Dezembro 2006. O Inter de Porto Alegre derruba o Barcelona e ganha o Mundial de Clubes.

O Inter de Porto Alegre derrotou neste Domingo o Barcelona por 1 a 0 e ganhou o Mundial de Clubes em Yokohama, no Japão.
O time brasileiro teve uma sólida atuação na defesa, conteve o badalado ataque liderado por Ronaldinho Gaúcho e aproveitou uma de suas poucas chances de contra-ataque para assegurar uma vitória histórica. Aos 36 minutos do segundo tempo, o atacante Iarley puxou um contragolpe, se livrou de Puyol e serviu para Adriano. No mano a mano com Belletti, o meia bateu ao entrar na área adversária. O goleiro Valdez resvalou na bola, mas não conseguiu impedir que ela entrasse no gol.
O título premia uma equipe valente, que jogou de igual para igual com o time, até então, considerado o melhor do mundo. O Barcelona simplesmente não jogou e, apesar de ter mais posse de bola em boa parte do jogo, pouco perigo levou ao gol brasileiro. Acabou castigado no final.
Quem esperava um passeio do Barcelona percebeu, logo nos primeiros minutos, que a coisa seria bem diferente. Os jogadores do Inter seguiram as orientações do técnico Abel Braga e apertaram a marcação, não dando espaço para o adversário jogar. Ronaldinho, claro, foi vigiado bem de perto, e não conseguiu mostrar sua magia.


ShevchenkoMilão, 14 Dezembro 2006. Berlusconi chama Shevchenko de cachorrinho.

Em Maio de 2006, Shevchenko anunciou que deixaria o Milan para o Chelsea, apesar de ter com o clube italiano um contrato até Junho de 2009. Ele justificou a escolha dizendo que a sua esposa, a modelo americana Kristen Pazik, queria abandonar a Itália e se mudar para Londres, já que desejava que seus filhos crescessem em um país de língua inglesa. Até agora ninguém acredita nesta explicação.
Ontem, durante a festa de confraternização do Milan, o presidente do clube Silvio Berlusconi revelou claramente que não tinha gostado minimamente da decisão de Shevchenko de ir para o Chelsea.
Segundo Berlusconi, o ex-atacante do Milan não tem força para tomar suas próprias decisões e “é o cachorrinho de sua mulher”. O presidente do clube italiano acrescentou: “Um verdadeiro milanista é um homem de verdade, que não teria se comportado dessa maneira. Na minha casa, sou eu quem manda e toma as decisões. Ao contrário, Shevchenko agiu como o cachorrinho de sua mulher”.


Cannavaro27 Novembro 2006. Cannavaro ganha a Bola de Ouro.

Capitão da seleção italiana na conquista do tetracampeonato no Mundial da Alemanha, o zagueiro Fabio Cannavaro, 33 anos, foi escolhido nesta Seguda-feira para receber a Bola de Ouro, prêmio entregue pela revista francesa “France Football” ao melhor jogador do futebol europeu na temporada 2006. Com isso, o jogador do Real Madrid desbancou o craque brasileiro Ronaldinho Gaúcho, do Barcelona, que ganhou o título no ano passado.
Cannavaro, que deixou a Juventus após o Mundial de 2006 devido ao escândalo da arbitragem no Campeonato Italiano, é o terceiro zagueiro a ganhar o troféu. Antes dele, a publicação francesa, que realiza a cerimônia desde 1956, já havia escolhido os alemães Sammer em 1996 e Beckenbauer em 1972 e 1976.
A última vez que um jogador italiano havia recebido a Bola de Ouro tinha sido em 1993, quando o meia Roberto Baggio foi o mais votado. Outros dois atletas italianos também ganharam o prêmio: o meia Gianni Rivera em 1969 e o atacante Paolo Rossi em 1982.
No pleito deste ano, a segunda colocação ficou com o goleiro italiano Buffon, da Juventus. O atacante francês Henry, do Arsenal, terminou em terceiro.


Puskas17 Novembro 2006. Morre Ferenc Puskas, o maior ídolo do futebol húngaro.

O mítico ex-jogador húngaro Ferenc Puskas, o “Esquerda de Ouro”, morreu na madrugada desta Sexta-feira, aos 79 anos, em conseqüência do mal de Alzheimer, de que sofria há seis anos, além de problemas respiratórios e cardiovasculares. Tinha sido eleito pelos húngaros o maior nome do esporte nacional. O maior estádio do Hungria leva o seu nome.
O ídolo húngaro começou a jogar futebol quando era gandula no clube Kispest, em Budapeste. Estreou na seleção em 1945 em um jogo com a Áustria, no qual marcou um gol. Na equipe húngara, da qual foi capitão em 56 jogos, jogou 84 vezes e marcou 83 gols. Com a Hungria, o famoso canhoto conquistou o ouro olímpico em Helsinque, em 1952, e o vice-campeonato no Mundial da Suíça de 1954.
A invasão soviética da Hungria em 1956 levou-o ao exílio, o que aconteceu também com outros muitos companheiros de sua equipe, deixando para trás um histórico de 349 partidas no Campeonato nacional, com 358 gols. Após passar por vários clubes do futebol europeu, Puskas foi contratado em Junho de 1958 pelo Real Madrid onde jogou até a sua aposentadoria, em Junho de 1967. Jogou no Real Madrid 180 jogos do Campeonato Espanhol e marcou 154 gols. Ganhou também 3 vezes a Champions League.


Kaká8 Novembro 2006. Diretor Técnico do Real Madrid diz que Kaká continua nos planos do clube.

Mesmo frustrada por não ter conseguido contratar Kaká antes do início desta temporada, a direção do Real Madrid não desistiu de contar com a estrela brasileira para o futuro. Segundo Mijatovic, diretor técnico do clube espanhol, o meia do Milan é um sonho para os próximos anos.
“Queríamos contratá-lo ainda no último mês de Agosto, mas o negócio não aconteceu”, ele disse. “Vamos tentar ainda mais no futuro, porque Kaká é um jogador excepcional e com certeza será útil aos nossos interesses. É uma questão complicada, mas temos fé de que Kaká jogará em nossa equipe no final das contas”, acrescentou o dirigente.
Quase que imediatamente veio a reposta do vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, refutando qualquer negociação. “Sem nenhuma vontade de polemizar, respondo ao amigo Mijatovic que concordo com ele que Kaká é um jogador excepcional. E justamente por conta disso, Kaká é absolutamente não negociável por parte do Milan", concluiu Galliani.
De acordo com os jornais italianos, o Milan conseguirá segurar Kaká somente se chegar entre os primeiros quatro nesta temporada, garantindo assim a participação na Champions League 2007/08. Atualmente o Milan é 16° e deverá portanto ganhar 12 posições na classificação para continuar com Kaká.


Ronaldinho6 Novembro 2006. Ronaldinho Gaúcho ganha prêmio da FIFPro.

O apoiador Ronaldinho Gaúcho, do Barcelona, foi eleito pela segunda vez consecutiva o melhor jogador do mundo pela Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro). O anúncio aconteceu hoje em Atenas e cerca de 43 mil jogadores dos cinco continentes participaram da votação.
Foi divulgado também o resultado da votação para a equipe ideal, que na escalação 4-3-3 resultou a seguinte: goleiro: Buffon (Juventus); zagueiros: Thuram (Barcelona), Terry (Chelsea), Cannavaro (Real Madrid) e Zambrotta (Barcelona); meio-campistas: Pirlo (Milan); Kaká (Milan) e Zidane (aposentado); atacantes: Ronaldinho Gaúcho (Barcelona), Etoo (Barcelona) e Henry (Arsenal).
Mesmo com a atuação abaixo da expectativa no Mundial da Alemanha, Ronaldinho Gaúcho conseguiu vencer o prêmio da FIFPro, pelo segundo ano consecutivo, em razão de sua atuação junto com o Barcelona no primeiro semestre deste ano. Antes do Mundial da Alemanha, o brasileiro tinha triunfado com o Barcelona no Campeonato Espanhol e na Champions Ligue.


Kaká_AnderlechtMilão, 2 Novembro 2006. Ancelotti: Kaká é melhor que Ronaldinho Gaúcho.

Os três gols e a ótima atuação na vitória do Milan sobre o Anderlecht por 4 a 1, na Champions League, renderam muitos elogios ao meia Kaká. Dirigentes, companheiros e a imprensa européia não se cansaram de exaltar as qualidades do jogador brasileiro, há três anos na Europa e um dos principais responsáveis pela quase-classificação antecipada do Milan às Oitavas de Final. “Kaká, o Rei do Milan”, foi a manchete de ontem do site da UEFA. “O mais forte do mundo”, elogiou o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, ao resumir a boa fase do craque.
“Ele é melhor do que Ronaldinho Gaúcho”, opinou o treinador do Milan, Carlo Ancelotti. “Há muitos jogadores bons em atividade, mas nenhum tem o seu valor. Ninguém é capaz de se empenhar tanto e fazer a diferença num jogo como ele, o Kaká é talentoso e muito objetivo.”
Gillardino, autor do quarto gol contra o Anderlecht, também elogiou o colega de equipe. “É um exemplo de atleta e ser humano. Quando está bem, o time todo joga bem”, garantiu.
Com os três gols marcados diante do Anderlecht, o ex-jogador do São Paulo atingiu a marca de 16 gols na Champions League e vive a expectativa de conquistar pela primeira vez em sua carreira a Bola de Ouro, troféu dado anualmente pela revista francesa “France Football” ao melhor jogador em atividade na Europa. “É só observar o que ele faz em campo e a maneira como decide os jogos para concluir que merece esse prêmio mais do que ninguém”, defendeu Cafu.


escudinhosRoma, 27 Outubro 2006. Juventus, Lazio e Fiorentina tiveram punição reduzida. Nenhuma redução para o Milan.

A Corte de Arbitragem do Comitê Olímpico Italiano (CONI) anunciou hoje a última sentença, no âmbito esportivo, para o escândalo da arbitragem. A Juventus, a Lazio e a Fiorentina tiveram redução da punição, enquanto que o Milan foi o único clube que teve a pena mantida. O time que não estiver de acordo com esta sentença deverá agora recorrer à justiça comum.
- A Juventus, que fora rebaixada para a Série B do Campeonato Italiano por ter sido considerada a protagonista do esquema, havia sido punida com a perda de 17 pontos. Após a decisão de hoje, a agremiação de Turim teve sua pena reduzida para 9 pontos. A equipe dirigida pelo treinador francês Deschamps amplia, assim, suas chances de regressar à Série A já na temporada 2007/08.
- A Lazio, que havia perdido 11 pontos, agora ficou com apenas 3 de prejuízo.
- A sanção dada à Fiorentina diminuiu de 19 para 15 pontos.
- O Milan de Kaká, que enfrentará amanhã a Inter no dérbi de Milão, não teve nenhuma redução e continua com a perda de 8 pontos. A Diretória do Milan ficou furiosa com esta sentença, mas por enquanto preferiu não reagir e se limitou a emitir a seguinte nota seca e depreciativa no site do clube: “A decisão do CONI não merece nenhum comentário”.


AncelottiMilão, 19 Outubro 2006. O Milan libera os jogadores da concentração.

O técnico do Milan, Carlo Ancelotti, decidiu liberar os jogadores da concentração para a partida deste Domingo contra o Palermo, em San Siro, pelo Campeonato Italiano. O procedimento de concentração em Milanello (Centro de Treinamento do Milan) será mantido, mas em caráter facultativo. Os jogadores que desejarem poderão passar a noite de Sábado em suas casas, juntando-se ao grupo algumas horas antes da partida.
Em temporadas anteriores, Ancelotti já havia abolido a concentração em jogos da Copa Itália, mas será a primeira vez que o time não se concentra para um compromisso pela Série A. Com o time atuando duas vezes por semana, os jogadores têm passado praticamente cinco das sete noites fora de casa, entre viagens e concentrações.
O vice-presidente Adriano Galliani admitiu que a decisão pode representar uma pequena revolução para o futebol italiano, mas descartou a possibilidade de eliminar definitivamente as concentrações. “Em períodos assim é justo que os jogadores tenham um pouco de tempo a mais com as famílias”, argumentou o dirigente.


Ricardo Oliveira4 Outubro 2006. A irmã de Ricardo Oliveira é seqüestrada em São Paulo.

A irmã do atacante do Milan Ricardo Oliveira foi seqüestrada na madrugada desta Quarta-feira no bairro da Casa Verde, zona norte de São Paulo, informou a polícia da capital paulista. Maria de Lourdes Silva de Oliveira foi levada por dois homens encapuzados, que invadiram sua residência e fizeram reféns o marido e o filho de 8 anos.
A família foi amordaçada enquanto os bandidos realizavam o seqüestro. O marido da irmã do atacante disse que não conseguiu anotar a placa do veículo usado pelos seqüestradores. O caso foi registrado no 13° Distrito Policial de São Paulo e está sendo investigado pela divisão anti-seqüestro da Polícia Civil.
O vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, disse que ligou para o jogador e expressou “a solidariedade e proximidade de toda a família milanista diante de um assunto tão pssoal”. Ricardo Oliveira recebeu a notícia do seqüestro de sua irmã na Espanha, onde estava resolvendo questões particulares.


Champions League12 Setembro 2006. Espanha 11, Itália e Inglaterra 10, Alemanha e Holanda 6, Portugal 4.

A temporada 2006/07 da Champions League iniciou nesta Terça-feira e a Itália e a Inglaterra tentam se igualar à Espanha em número de conquistas. Com os nove títulos do Real Madrid e os dois do Barcelona, atual campeão, o futebol espanhol lidera com 11 triunfos.
O futebol italiano, após o escândalo da temporada passada, perdeu a força da Juventus rebaixada para a Série B e entra na briga com Milan, Inter e Roma. Os italianos somam dez campeonatos: são seis do Milan, dois da Inter e mais dois da Juventus.
Os ingleses estão na competição com o milionário Chelsea, o Manchester United, o Arsenal e o Liverpool e tentam acumular o 11° título. O Liverpool, campeão de 2005, já faturou cinco taças, enquanto que o Manchester United e o Nottingham Forest foram campeões duas vezes cada um. O Aston Villa ganhou uma vez.
Os alemães ainda estão distantes do grupo de elite. Os anfitriões do último Mundial lutam pelo sétimo campeonato. O Bayern, sem o astro Ballack, que foi para o Chelsea, aposta nos novatos Podolski e Schweinsteiger para ser campeão pela quinta vez. O Hamburgo e o Borussia Dortmund, fora da disputa deste ano, ganharam uma vez cada um.
Também os holandeses ganharam 6 vezes a Champions League: quatro com o Ajax, uma com o PSV Eindhoven e uma com o Feyenoord. Nesta temporada a Holanda é representada somente pelo PSV.
Já os portugueses Benfica e Porto ganharam a taça duas vezes cada um. Eles terão a ajuda do Sporting Lisboa na luta pela quinta taça para o país.


Sílvia ReginaSanta Cruz do Rio Pardo, SP, Brasil, 10 Setembro 2006. Gol de gandula é convalidado pela árbitra.

Na manhã deste Domingo, Santacruzense e Atlético Sorocaba jogavam em Santa Cruz do Rio Pardo, pela 10ª rodada da Copa Federação Paulista de Futebol. O Atlético Sorocaba vencia por 1 a 0 até os 44 minutos do segundo tempo, quando a equipe da casa sofreu uma falta pelo lado direito. Alex da Santacruzense bateu rápido, cruzando a bola na área e Samuel mandou a bola na rede pelo lado de fora.
Aliviados, os jogadores do Atlético Sorocaba se encaminharam para o meio de campo. Tristes, os jogadores da Santacruzense foram para o mesmo lugar esperando o goleiro Eduardo bater o tiro de meta. Mas a este ponto aconteceu o inacreditável: o gandula levou a bola até o gol e ao invés de entregá-la ao goleiro, a chutou pra dentro do gol.
O goleiro Eduardo não se importou, retirou a bola do gol e foi cobrar o tiro de meta. Antes que fizesse isso, o assistente Marco Antônio correu para o meio de campo e deu o gol. A experiente árbitra Sílvia Regina (na foto) voltou para a área, analisou a rede, para ver se estava furada, e de repente deu o gol, sem explicações.
Os jogadores do Atlético Sorocaba não se conformaram e cercaram a árbitra pedindo a anulação. Depois foi a vez dos atletas exigirem uma explicação do assistente. A árbitra foi até o assistente confirmar se ele havia visto o gol, o assistente confirmou e ela correu para o meio de campo dando o gol. Sílvia Regina ainda teve tempo de expulsar o zagueiro Samir do Atlético Sorocaba por reclamações.
A partida acabou 1 a 1. O vídeo deste “gol” está fazendo o giro do mundo pela Internet.


FacchettiMilão, 4 Setembro 2006. Morreu hoje Giacinto Facchetti, ex-lateral da Itália e da Inter.

O futebol italiano perdeu um de seus símbolos. Giacinto Facchetti, ex-lateral-esquerdo da seleção italiana e da Inter de Milão, morreu hoje, aos 64 anos de idade, vítima de câncer. Facchetti sempre foi muito respeitado e popular na Itália, mesmo depois de pendurar as chuteiras. Ele foi um dos grandes ídolos da Inter, clube com o qual conquistou vários títulos nos anos 60 e 70. O ex-jogador estava internado havia algumas semanas por causa da doença.
Facchetti foi o capitão da Azzurra na final da Copa do Mundo de 1970, no México, quando os italianos foram goleados por 4 a 1 pelo Brasil de Pelé.
Ele nasceu em Treviglio, província de Bergamo, em 18 de Julho de 1942. O seu currículo foi marcado por importantes conquistas. Entre outros títulos, ganhou quatro Campeonatos Italianos (em 1963, 1965, 1966 e 1971), duas Champions Leagues (em 1964 e 1965) e dois Mundiais Interclubes (em 1964 e 1965). Vestiu a camisa da seleção italiana em 94 ocasiões, 70 delas como capitão. Com a Azzurra, além do segundo lugar no Mundial de 1970, foi campeão da Eurocopa em 1968.
Defensor exemplar, recebeu apenas um cartão vermelho em toda a sua carreira (em 1975 por ter aplaudido ironicamente um árbitro). Depois de se aposentar, Facchetti exerceu cargos diretivos na Inter e, em Janeiro de 2004, tornou-se presidente do clube.


Kaká na seleçãoLondres. 3 Setembro 2006. Mais um golaço do Kaká.

O primeiro tempo do jogo amistoso Brasil X Argentina, em Londres, termina com o Brasil em vantagem por 1 a 0. Os primeiros 15 minutos do segundo tempo, ao contrário, são todos da Argentina, que chega perto do empate. Aí o treinador Dunga coloca Kaká em campo e o craque do Milan precisa de dois momentos para decidir a vitória. No primeiro, arranca, tabela com Fred e acha Elano: 2 a 0. No segundo, faz tudo sozinho. Parte da intermediária brasileira e faz argentinos e ingleses lembrarem do antológico gol de Maradona na Copa de 1986, no México. Um pique de 60 metros e um golaço: 3 a 0. Como o torcedor queria no Mundial da Alemanha!
O meia milanista é, hoje, um dos jogadores mais valorizados do futebol mundial. O Real Madrid tentou de tudo para tirá-lo da Itália, mas a diretoria do Milan não abriu mão de seu futebol.
Kaká falou do lindo gol e da emoção da vitória sobre a rival Argentina. “Já fiz outros gols bonitos, mas, com certeza, este será um gol que ficará marcado em minha carreira, ainda mais por ter sido diante de um adversário tão importante.” Também os argentinos souberam reconhecer o talento dos eternos rivais. “Kaká fez um gol digno dos deuses”, admitiu o diário Olé.


Ricardo Oliveira31 Agosto 2006. O Milan contrata o brasileiro Ricardo Oliveira.

Depois de muitas negociações, o Milan anunciou oficialmente nesta Quinta-feira a contratação do atacante brasileiro Ricardo Oliveira, 26 anos, do Betis de Sevilha. O jogador assinou contrato com a equipe italiana até 30 de Junho de 2011 e chega para ocupar a vaga deixada com a venda do ucraniano Shevchenko para o Chelsea. A transferência foi estimada em 17,5 milhões de euros, mais o passe do volante suíço Vogel.
Nascido em 6 de maio de 1980, em São Paulo, Ricardo Oliveira iniciou na Portuguesa. Em seguida passou para o Santos com o qual sagrou-se vice-campeão da Taça Libertadores em 2003. Junto com o argentino Delgado ele foi o artilheiro desta Libertadores com 9 gols.
Na temporada 2003-04, Ricardo Oliveira chegou ao futebol espanhol, contratado pelo Valência. Na temporada seguinte passou para o Betis de Sevilha com o qual foi vice-artilheiro do Espanhol, com 22 gols, atrás apenas do camaronês Etoo do Barcelona e do uruguaio Forlán do Villarreal, ambos empatados com 25 gols.
Porém, em 1° de novembro de 2005 ele sofreu uma séria lesão no joelho direito durante uma partida de Champions League. Durante a recuperação, o jogador declarou seu desejo de ser emprestado a algum clube brasileiro para demonstrar que estava em condições de ser convocado para o Mundial da Alemanha. Ele foi emprestado para o São Paulo, mas não foi convocado para a Copa porque Parreira lhe preferiu Fred. Com o São Paulo disputou a Taça Libertadores e pela segunda vez na carreira foi vice-campeão.


Rogério_CeniBelo Horizonte, 20 Agosto 2006. Rogério Ceni, o goleiro-artilheiro.

O goleiro do São Paulo Rogério Ceni marcou neste Domingo dois gols contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte, e passou a ser o goleiro com o maior número de gols marcados. Com 64, ultrapassou a marca de 62 gols do paraguaio Chilavert.
Rogério Ceni marcou o primeiro gol da sua carreira em 1997, em uma cobrança de falta contra o União São João, pelo Campeonato Paulista. Do total dos 64 gols, 41 foram em cobranças de falta e 23 em cobranças de pênaltis.
Não fosse Rogério Ceni, o São Paulo teria saído hoje de Belo Horizonte com uma derrota. Mas, em uma tarde irretocável, o goleiro são-paulino defendeu um pênalti, marcou dois gols, garantiu o empate por 2 a 2 e se tornou o maior goleiro-artilheiro do mundo.
O Cruzeiro estava ganhando com o placar de 2 a 0 e se o goleiro tricolor não tivesse defendido um pênalti, sofrido e cobrado por Wagner, aos 37 minutos do primeiro tempo, os mineiros teriam aberto uma vantagem de 3 a 0 e uma reação teria sido praticamente impossível. Faltando pouco para o fim do primeiro tempo, o juiz marcou uma falta e Rogério Ceni fez cobrança perfeita: 2 a 1 para o Cruzeiro. Isto não foi suficiente para o goleiro-artilheiro que, aos 14 minutos do segundo tempo, voltou a encarar o goleiro Fábio do Cruzeiro, desta vez na cobrança de um pênalti sofrido por Aloísio. Rogério converteu empatando o jogo.


Inter26 Julho 2006. A Inter fica com título da Juventus.

A Inter foi um dos maiores beneficiados pelas sentenças dos tribunais esportivos, pois herdou o título que a Juventus havia conquistado no campo. Embora tenha terminado o campeonato de 2005/06 em 3º lugar, a Inter ficou com o “scudetto” porque também o vice-campeão Milan foi atingido pela Justiça.
A decisão de declarar a Inter campeã foi anunciada no fim desta tarde por Guido Rossi, interventor da Federação Italiana de Futebol. Em comunicado, a entidade explica que a opção corresponde ao que diz o regulamento da Série A. O texto diz: “Em caso de sanções que provoquem mudanças na classificação, como pontos de penalização ou rebaixamento para o último lugar, está prevista a atribuição automática do título de campeão da Itália para a equipe que passe a ocupar o primeiro lugar na classificação.”
A Inter reclamou o título desde Maio, quando apareceram as primeiras denúncias de irregularidades no último campeonato. Na avaliação de Moratti, dono do clube, era questão de honra e transparência a Federação repassar-lhes o direito de ostentar na camisa, na temporada 2006/07, o escudinho que identifica o campeão.
A expectativa enfim foi satisfeita com a decisão de hoje. Dessa forma, a Inter ganha seu 14º título depois de 17 anos de espera. A conquista anterior veio em 1988/89.


Piero Sandulli25 Julho 2006. A Corte Federal alivia penas dos clubes e confirma rebaixamento da Juventus.

A Corte Federal, presidida pelo juiz Piero Sandulli (na foto), anunciou nesta Terça-feira o veredicto final após o recurso dos clubes envolvidos no escândalo da arbitragem. A decisão de segunda instância foi divulgada em Roma causando alívio nos torcedores das equipes.
O Milan volta a ter direito a jogar a Champions League. A Fiorentina e a Lazio escapam do rebaixamento. A Juventus cai, mas com punição mais branda. A seguir os detalhes das sentenças de segundo grau:

- JUVENTUS: disputará a Série B na próxima temporada, largando com desvantagem de menos 17 pontos. Perde os dois últimos títulos nacionais.
- FIORENTINA: segue na Série A, mas começa a temporada com desvantagem de menos 19 pontos. Perde 30 pontos na temporada passada, o que lhe impede de participar às copas européias.
- LAZIO: segue na Série A, mas começa a temporada com desvantagem de menos 11 pontos. Perde 30 pontos na temporada passada, o que lhe impede de participar às copas européias.
- MILAN: mantém-se na Série A, com desvantagem de menos 8 pontos em relação aos adversários. Perde 30 pontos na temporada passada (e não mais 44 como na sentença de primeiro grau) recuperando assim a vaga na Champions League.


Cesare Ruperto14 Julho 2006. Juventus, Fiorentina e Lazio caem para a Série B.

A Comissão de Apelo Federal (CAF) da Federação Italiana de Futebol concluiu hoje o processo de um dos mais complicados casos de fraudes esportivas dos últimos tempos e jogou pesado contra os principais culpados. O anúncio do encerramento do processo foi feito por Cesare Ruperto (na foto), experiente jurista, nomeado pelos interventores da Federação Italiana de Futebol.
A maior atingida foi a Juventus, que até hoje podia orgulhar-se de jamais ter conhecido o rebaixamento em 100 anos de história. O poderoso clube de Turim não caiu para a Série C1, como sugeria o promotor Palazzi, mas ficou bem perto disso: estará na Série B, porém com menos 30 pontos. Na prática, isso torna praticamente impossível o retorno à Série A na próxima temporada.
Todos os times prometeram recorrer. As punições foram as seguintes:

- JUVENTUS: rebaixamento para a Série B. Inicia a próxima temporada com menos 30 pontos. Perde os títulos nacionais dos dois últimos anos.
- FIORENTINA: rebaixamento para a Série B. Inicia a próxima temporada com menos 12 pontos.
- LAZIO: rebaixamento para a Série B. Inicia a próxima temporada com menos 7 pontos.
- MILAN: segue na Série A, mas inicia a próxima temporada com menos 15 pontos. Perda de 44 pontos na última temporada o que lhe impede de participar às copas européias na próxima temporada.


Donadoni13 Julho 2006. Roberto Donadoni é o novo treinador da seleção italiana.

O ex-jogador Roberto Donadoni, de 42 anos, é o substituto de Marcello Lippi no comando da seleção italiana, tetracampeã mundial. O novo técnico foi nomeado hoje pelo comissário extraordinário da Federação Italiana de Futebol, Guido Rossi.
Nascido em 9 de Setembro de 1963, em Cisano Bergamasco, província de Bergamo, Donadoni iniciou a carreira de jogador na Atalanta onde ficou até Junho de 1986 quando foi comprado pelo Milan. Jogou dez temporadas seguidas no time rubro-negro. Em Junho de 1996 saiu do Milan para atuar nos Estados Unidos, nos Metrostars de Nova Iorque. Em Outubro de 1997 voltou para o Milan onde disputou mais duas temporadas: a de 1997/98 e a de 1998/99.
Com a camisa do Milan ganhou seis títulos nacionais, três Champions Leagues e dois Mundiais Interclubes. Na seleção italiana disputou a Copa do Mundo de 1990 na Itália, e a de 1994 nos Estados Unidos.
A sua carreira como treinador é curta, mas brilhante. Assumiu o Livorno em Janeiro de 2005 e após uma ótima campanha terminou em oitavo lugar no torneio. Continuou no Livorno na última temporada 2005/06 mas teve que deixar o time em Fevereiro deste ano, por desavenças com o proprietário e presidente do clube Aldo Spinelli. Quando saiu, o time era o sexto colocado. Ao fim da temporada o Livorno quase foi rebaixado.


PalazziRoma, 4 Julho 2006. A promotoria pede penas severas para os envolvidos no escândalo do futebol italiano.

A promotoria do tribunal esportivo que julga o escândalo no futebol italiano pediu a perda dos dois títulos nacionais conquistados pela Juventus nas últimas temporadas e seu rebaixamento para a Série C1. O clube de Turim, principal envolvido no escândalo, começaria a temporada com seis pontos negativos.
O promotor Stefano Palazzi (na foto) não poupou os outros clubes da Série A envolvidos no escândalo. Fiorentina, Lazio e Milan seriam rebaixados para a Série B e começariam com pontuação negativa. Palazzi pediu também a suspensão de 2 até 5 anos para dirigentes e árbitros envolvidos. A seguir todas as penas pedidas pelo promotor. A sentença será conhecida Segunda Feira 10 de Julho.

- JUVENTUS: rebaixamento para a Série C1, perdas dos títulos nacionais de 2004/05 e 2005/06 e penalidade de 6 pontos no próximo campeonato.
- FIORENTINA e LAZIO: rebaixamento para a Série B e penalidade de 15 pontos no próximo campeonato.
- MILAN: rebaixamento para a Série B e penalidade de 3 pontos no próximo campeonato.
- MOGGI (ex-diretor geral da Juventus), GIRAUDO (ex-administrador delegado da Juventus), Andrea DELLA VALLE (presidente da Fiorentina), Diego DELLA VALLE (presidente honorário da Fiorentina) e LOTITO (presidente da Lazio): 5 anos de suspensão.
- GALLIANI (vice-presidente do Milan): 2 anos de suspensão.
- MEANI (dirigente do Milan): 5 anos de suspensão.
- CARRARO e MAZZINI (respectivamente ex-presidente e ex-vice-presidente da Federação Italiana de Futebol): 5 anos de suspensão.
- Os árbitros DE SANTIS, DONDARINI, BERTINI, MESSINA, ROCCHI, TAGLIAVENTO e RODOMONTI: 5 anos de suspensão.
- O árbitro PAPARESTA: 2 anos de suspensão.


Pessotto28 Junho 2006. Pessotto, ex-jogador da Juventus e da seleção italiana, tenta suicídio.

Gianluca Pessotto, ex-jogador e há um mês gerente de Futebol da Juventus, se jogou ontem de uma altura de 15 metros e está internado em estado grave num hospital de Turim.
Ex-lateral da Juventus e da seleção italiana (jogou a Copa do Mundo de 1998 na França), Pessotto fará 36 anos em Agosto. Na semana passada, ele esteve em Hamburgo vendo o jogo entre a Itália e a República Checa e brincou muito com jogadores e jornalistas. Por isso, ninguém conseguia entender o que o tinha levado a tentar o suicídio.
Pessotto pulou da clarabóia da sede da Juventus com um terço na mão. Caiu em cima de um carro e bateu em outro antes de chegar ao chão. Foi internado com múltiplas fraturas e hemorragia interna e ficará sedado por 48 horas, mas não corre risco de vida.
A notícia fez com que os jogadores Del Piero e Zambrotta deixassem a concentração ontem, acompanhados de Ciro Ferrara, integrante da comissão técnica e ex-jogador da Juventus, para visitar Pessotto em Turim.
Considerado um dos jogadores mais cultos da Itália, ele é introspectivo e adora ler. Na Alemanha, comentava-se que Pessotto estava deprimido porque a mulher, Reana, o deixou no domingo.


Kaká27 Junho 2006. Kaká será, no futuro, o capitão da seleção brasileira.

O craque do Milan vive, aos 24 anos, o auge da carreira, demonstra confiança como em nenhum outro momento e já se tornou o líder do time em campo. Kaká deu ontem, durante entrevista coletiva, declarações que mostram seu nível de maturidade. Disse estar preparado para ser capitão da seleção, um de seus objetivos num futuro próximo. “É um sonho poder levantar a taça um dia, como fez o Cafu em 2002. É preciso ter a confiança do grupo. Quem sabe, um pouco mais para frente, isso possa acontecer para mim”, comentou.
Na Alemanha, o meia dificilmente vai receber a tarja de capitão. O time, afinal, tem vários jogadores experientes. Cafu terá a honra de ser o representante até o fim da competição. A não ser que seja suspenso ou sofra contusão. Mas ainda há outros na frente de Kaká, como Dida, Ronaldo e Emerson.
De qualquer maneira, apesar da juventude, o ex-são-paulino já é um líder em campo. Comanda os companheiros nos 90 minutos, segura o jogo na hora do sufoco e puxa os contra-ataques no momento de pressionar o rival. Pelé afirmou que Kaká foi o destaque brasileiro na primeira fase, ao lado de Lúcio e Zé Roberto. Não exagerou. Foi o único do quarteto mágico que demonstrou regularidade e fez bom papel nos três jogos, contra Croácia, Austrália e Japão.
A seleção depende demais de Kaká. Ronaldinho Gaúcho não conseguiu mostrar o futebol de melhor do mundo - pelo menos até agora. Ronaldo, apesar da boa atuação diante dos japoneses, ainda não alcançou a forma física ideal. E Adriano vive má fase.
(Extraído do jornal “O Estado de S. Paulo”).


Moggi22 Junho 2006. Juventus, Lazio, Fiorentina e Milan serão julgados no âmbito do escândalo do futebol italiano.

Logo após o termino do jogo da seleção italiana contra a República Checa, nesta Quinta Feira, o procurador da Federação Italiana de Futebol, Stefano Palazzi, formalizou o pedido para levar a processo quatro dos maiores clubes do país: Juventus, Fiorentina, Lazio e Milan. Também serão processadas 26 pessoas do mundo do esporte, incluindo diretores e juizes, envolvidas no caso de fraude no futebol italiano.
A previsão é que o julgamento do escândalo mais grave do esporte da Itália comece no dia 29 de Junho e que a sentença, que vai decidir quais serão as penas a clubes e dirigentes, seja divulgada até 10 de Julho. Depois desta primeira sentença, os acusados poderão entrar com recurso à apelação. O veredicto final deverá sair até 20 de Julho de maneira que se possa comunicar à UEFA quais clubes participarão dos campeonatos europeus.
O promotor diz que os acusados violaram os artigos 1 e 6 do Código de Justiça Esportiva. O artigo 1 se refere à obrigação de observar os princípios de “lealdade e probidade esportiva”. O artigo 6 se refere a “ações para alterar o desenvolvimento ou o resultado de um jogo e garantir uma vantagem na classificação”. As penas para as infrações são multas no caso do artigo 1 e perdas de pontos, rebaixamento, exclusão da competição e revogação de título no caso do artigo 6.
A Juventus é a equipe sobre a qual há maiores suspeitas e risca de ser rebaixada para a Série B e perder os dois últimos títulos - deste ano e do ano passado. A Juventus e seu ex-diretor geral Moggi (na foto) são os maiores responsáveis pela manipulação de vários campeonatos. Moggi é acusado de ter manipulado as competições e ter imposto a designação de juizes em vários jogos para determinar os resultados.
A Lazio e a Fiorentina, segundo o relatório, estavam supostamente sabendo da corrupção, mas se uniram à Juventus e não denunciaram os supostos casos de manipulação de resultados.
No caso do Milan, o relatório diz que o clube se valeu de seus dirigentes para conseguir a colaboração de alguns bandeirinhas na tentativa de se opor ao poder da Juventus. Berlusconi, presidente do Milan, nega tudo isto, diz que não teme nada e que seu clube foi prejudicado.


Berlusconi15 Junho 2006. Milan, a volta de Berlusconi.

A assembléia dos sócios do Milan elegeu hoje por aclamação Silvio Berlusconi para o cargo de presidente da sociedade. Berlusconi já foi presidente do Milan de 24 Março 1986 até 29 Dezembro 2004, quando deixou o cargo em base à lei sobre conflito de interesses. Daquele momento o cargo de presidente ficou vagante e as funções eram exercitadas pelo vice-presidente vicário Adriano Galliani.
Além da nomeação de Berlusconi a presidente do Milan, a assembléia dos sócios ratificou também a de Paolo Ligresti, presidente da sociedade Immobiliare Lombarda, a membro do Conselho de Administração do clube rubro-negro que, portanto, passa de 10 a 12 componentes.
Este é o novo organograma: Presidente: Silvio Berlusconi. Vice-Presidente Vicário e Administrador delegado: Adriano Galliani. Vice-Presidentes: Paolo Berlusconi e Gianni Nardi. Conselheiros: Pasquale Cannatelli, Leandro Cantamessa, Michele Carpinelli, Alfonso Cefaliello, Francesco Forneron Mondadori, Giancarlo Foscale, Livio Gironi, Paolo Ligresti.


Kaká_CroáciaBerlim, Alemanha, 13 Junho 2006. Kaká faz o gol da vitória no jogo Brasil - Croácia.

O mundo todo estava de olho nas mágicas que poderiam sair das cartolas dos astros que o treinador brasileiro Parreira mandou em campo hoje, mas o único que tirou um coelhinho foi Kaká. O astro do Milan garantiu a festa dos milhares de brasileiros que foram ao estádio em Berlim e mostrou que está maduro para assumir o papel de maestro.
Kaká correu por si próprio e por seus três companheiros de quarteto mágico. Ronaldinho Gaúcho ficou no ensaio de alguns números de efeito, mas parou na forte marcação croata. Adriano tentou encontrar espaço, porém ficou perdido. O mais apagado dessa tropa de ouro, no entanto, foi Ronaldo. Não correu, não marcou, não combateu, não finalizou.
Quem tratou de abrir brechas na defesa croata foi mesmo Kaká. Desde o começo, ele vagou pelo lado direito do ataque e pelo meio, na tentativa de atrair a marcação e facilitar a vida para os Ronaldos e Adriano. Como reforçava o setor de Cafu, também permitiu as descidas de Roberto Carlos, que só na fase inicial chutou três vezes a gol.
A visão do craque decidiu aos 43 minutos do primeiro tempo. Kaká iniciou o contra-ataque, viu Cafu pela direita, fez o passe, correu para o meio e pediu a bola. O capitão percebeu que o caminho estava aberto, tocou de volta para Kaká, que disparou um morteiro de esquerda fazendo o gol do 1 a 0 e ganhando os três primeiros pontos para o Brasil.


CafuRoma, 12 Junho 2006. A Promotoria de Roma pede a prisão do lateral-direito Cafu.

A Promotoria de Roma solicitou hoje a prisão por nove meses do lateral-direito Cafu, da seleção brasileira e do Milan, por falsificar documentos para obter a cidadania italiana. A informação foi divulgada nesta Segunda Feira pela imprensa italiana. As falsificações teriam acontecido em 2001 quando Cafu defendia as cores da Roma.
Além disso, o promotor Antonello Racanelli, responsável pelo caso, pediu a prisão de Regina, mulher de Cafu, do presidente da Roma, Franco Sensi, do jogador argentino Bartelt, que também teria falsificado documentos, da secretária da Roma, Rosangela Monteiro, do advogado Cristoforo Colombo, e de Sergio Garulli, naquela época diretor de um cartório de Roma.
Cafu, de 36 anos, ainda não se pronunciou sobre o caso. O jogador está concentrado com a seleção brasileira em Berlim para a partida contra a Croácia, a primeira do Brasil na Copa do Mundo.
 


Shevchenko26 Maio 2006. Shevchenko anuncia saída do Milan.

O atacante ucraniano Shevchenko teve esta tarde uma reunião com Adriano Galliani, vice-presidente do Milan, e depois anunciou em entrevista coletiva que chegou a um acordo para deixar o clube, após um período de sete temporadas. Embora seja praticamente certo que Shevchenko jogará no Chelsea, não existe ainda um acordo fechado entre os dois clubes.
Shevchenko, que tem contrato em vigor com o Milan até 30 de Junho de 2009, tinha expressado há dias sua intenção de deixar o clube e ir para o Chelsea por “motivos familiares”. A esposa de Shevchenko, a modelo americana Kristen Pazik, teve influência decisiva nesta decisão, ao pedir de abandonar a Itália e se mudar para Londres, já que quer que seus filhos cresçam em um país de língua inglesa.
O jogador ucraniano já tinha comunicado a intenção de deixar o Milan ao próprio Berlusconi, com quem mantém uma boa relação desde sua chegada ao clube. Inclusive, o ex-primeiro-ministro italiano foi seu padrinho de casamento.
Apesar de o clube não reconhecer, alguns jornais informaram dias atrás que o Milan teria oferecido a Shevchenko uma ampliação de seu contrato até 30 de Junho de 2011, além de um aumento em dinheiro. “Sempre dissemos que o Milan não cede nenhum jogador por dinheiro, mas não retém nenhum jogador que pede para sair”, afirmou Galliani.
Por enquanto, o Milan comunicou não ter acordo algum com o Chelsea do multimilionário russo Abramovich. O clube inglês teria oferecia o pagamento de 20 milhões de euros em dinheiro e a transferência do francês Gallas e do marfinense Drogba.


Rui Costa25 Maio 2006. O Milan anuncia rescisão do contrato com Rui Costa.

O Milan confirmou hoje que chegou a um acordo para liberar o meia português Rui Costa, que tinha um acordo com o clube até o dia 30 de Junho de 2007. O meia de 34 anos volta ao futebol do Benfica após 12 temporadas na Itália. Ele havia deixado o clube de Lisboa em 1994 para atuar na Fiorentina que defendeu até 2001, ano em que chegou ao Milan. Nas últimas três temporadas Rui Costa vinha amargando a posição de reserva do Kaká.
Em comunicado no próprio site, o Milan elogia Rui Costa: “O Milan agradece a Rui Costa pelo esplêndido comportamento que teve dentro e fora do campo e pela grande contribuição durante os cinco anos em que vestiu a camisa do Milan. Conosco ele conquistou uma Champions League, um Campeonato Italiano, uma Copa Itália, uma Supercopa Italiana e uma Supercopa Européia”.
De acordo com a imprensa portuguesa, Rui Costa assinou um contrato com o Benfica por uma temporada, com opção de renovação por mais uma.


De Santis13 Maio 2006. Árbitro italiano envolvido em escândalo não vai ao Mundial da Alemanha.

A Federação Italiana de Futebol enviou neste Sábado uma carta à FIFA informando que Massimo De Santis (na foto), um dos árbitros selecionados para o Mundial, não viajará mais à Alemanha. De Santis é um dos árbitros italianos que tiveram seus nomes envolvidos no escândalo da arbitragem, descoberto há uma semana a partir de escutas telefônicas entre Luciano Moggi, diretor geral da Juventus, e Pierluigi Pairetto, designador de árbitros.
O episódio que revelou indícios de acerto de resultados parece não poupar ninguém. A conseqüência pode ser o cancelamento puro e simples das temporadas 2004/05 e 2005/06, entre outras medidas traumáticas.
Alguns dias após a divulgação do grampo, caiu todo o comando da Juventus por suspeita de manipulação de jogos com a conivência de dirigentes da Federação de Futebol e de árbitros. O Ministério Público de Nápoles, que investiga as gravações, admite a possibilidade de processar os clubes envolvidos por fraude, o que provocaria o imediato rebaixamento deles para a Série B.
Não bastasse a constrangedora relação entre Moggi e Pairetto, as escutas mostram também conversas entre o dirigente juventino e Marcelo Lippi, treinador da seleção da Itália. Os diálogos indicam pressões para que fossem convocados atletas da Juventus ou pertencentes à GEA, empresa administrada por Alessandro Moggi, filho de Luciano.


Moggi11 Maio 2006. Após escândalo, o Conselho Administrativo da Juventus entrega o cargo. O time pode ser rebaixado para a Série B.

Todos os membros do Conselho Administrativo da Juventus entregaram hoje o cargo pelo escândalo relativo à arbitragem do futebol italiano, que envolve diretamente Luciano Moggi (na foto), diretor-geral do clube. O Conselho passou suas funções para os acionistas e convocou uma assembléia geral para 29 de Junho.
Há alguns dias, a imprensa italiana revelou que Luciano Moggi, seu filho Alessandro e os sócios dele na GEA, sociedade de representação de jogadores, estão sendo investigados por formação de quadrilha para fraude esportiva. Teriam chegado a impor vários de seus jogadores na seleção italiana!
O caso afetaria mais de uma centena de pessoas, entre elas o já citado Luciano Moggi, os responsáveis pela designação dos árbitros, Pierluigi Pairetto e Paolo Bergamo e vários juízes, entre eles Massimo de Santis, um dos dois representantes da Itália na Copa do Mundo de 2006 - e que agora corre o risco de não ir mais. Também está sob investigação Franco Carraro, que há alguns dias renunciou ao cargo de presidente da Federação Italiana de Futebol.
Se verídicas, as fraudes podem resultar no rebaixamento de alguns clubes, principalmente da Juventus, que pode também perder alguns títulos se for confirmada a participação de Moggi no caso.


Franco Carraro8 Maio 2006. Escândalo da arbitragem derruba Franco Carraro, presidente da Federação Italiana de Futebol.

Após mais de cinco anos à frente da Federação Italiana de Futebol, Franco Carraro renunciou hoje ao cargo de presidente. O motivo foram as escutas telefônicas que mostraram íntimo relacionamento entre Luciano Moggi, diretor geral da Juventus, e Pierluigi Pairetto, membro da comissão de arbitragem da Itália e responsável pela escalação de juízes em torneios italianos e europeus.
A oferta de uma Maserati de 110 mil euros, feita por Moggi a Pairetto, foi a cereja no bolo do escândalo que colocou a Juventus no centro de uma polêmica sobre os favorecimentos recebidos dos juizes.
A saída de Carraro - que possuía na Itália cargo equivalente ao de Ricardo Teixeira no Brasil, presidente da CBF - bota um ponto final na carreira de um cartola considerado intocável e que trabalhava no esporte há mais de quatro décadas. Entre outros cargos, ele já foi presidente do Milan, ministro do Turismo, prefeito de Roma e membro do Comitê Olímpico Internacional.
O escândalo já atingiu também quatro árbitros citados nos grampos (Dondarini, Trefoloni, Bertini e Dattilo já foram afastados preventivamente) e, pior, agora ameaça Massimo de Santis, que deveria ser o representante da Itália na Copa da Alemanha.


Moggi5 Maio 2006. A Juventus está sob suspeita em escândalo de arbitragem na Itália.

Carros para árbitros, relógios de luxo para jornalistas e resultados de jogos alterados colocam a Juventus, da Itália, na mira da justiça e minam a credibilidade do futebol italiano. O escândalo foi descoberto a partir de escutas telefônicas entre Luciano Moggi (na foto), diretor geral da Juventus, e Pierluigi Pairetto, designador de árbitros da FIGC (Federação Italiana de Futebol) e da UEFA (União Européia de Futebol).
A divulgação destas escutas telefônicas chega às manchetes dos jornais depois da polêmica vitória da Juventus por 3 a 0 contra o Siena no domingo passado, com três gols nos primeiros oito minutos de jogo e contra um adversário que tem jogadores cujos passes são propriedades da Juventus e da empresa GEA, dirigida por Alessandro Moggi, filho de Luciano Moggi.
Uma Maserati de 110 mil euros, encomendada por Luciano Moggi e dada de presente a Pairetto é o ingrediente principal deste mais novo escândalo do futebol europeu. Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, e divulgadas pelo jornal “Corriere della Sera”, revelam vários diálogos entre Moggi e Pairetto que teriam ocorrido entre 2004 e 2005. Nas conversas, pedidos especiais para escalação de árbitros e o constrangedor oferecimento do super-carro.
A Federação Italiana de Futebol disse hoje que vai investigar o caso e acenou com a possibilidade de banir Moggi do esporte. Numa das gravações, o cartola liga para uma revendedora da Maserati. “Preciso de uma Maserati para um amigo importante”, diz. Dias depois, a revelação: “a Maserati já está disponível”, conta Moggi a Pairetto.


Telê Santana21 Abril 2006. Faleceu hoje o ex-técnico Telê Santana.

O grande mestre do futebol brasileiro, Telê Santana, morreu hoje, em Belo Horizonte, aos 74 anos, de falência múltipla dos órgãos, depois de 28 dias de internamento no Hospital Felício Rocho. Ele tinha nascido em 26 de Julho de 1931 em Itabirito, Minas Gerais.
Telê colecionou títulos, cultivou a fama de ranzinza, de perfeccionista, e por conta de seu temperamento teve também muitos inimigos. Franzino, obstinado e dedicado ao clube, ele servia de exemplo para os companheiros. Solidário, correto com os rivais, ganhava com facilidade a confiança de treinadores e a simpatia das arquibancadas. Ele foi um aplicado ponta direita do Fluminense, time onde jogou por mais de uma década e onde iniciou a carreira de treinador.
A sua trajetória deu uma guinada radical em 1979, quando aceitou a proposta de treinar o Palmeiras. Criou uma equipe que encantou o Brasil dando espetáculo. Em seguida, Giulite Coutinho o chamou para a seleção brasileira. Telê formou uma das mais famosas equipes que o Brasil levou a Mundiais - e que deixou saudades, ao perder por 3 a 2 para a Itália, em 5 de Julho de 1982, no Estádio Sarriá, na Espanha. Telê teve nova chance quatro anos depois, no México, mas o Brasil foi desclassificado pela França, nos pênaltis, nas Quartas de Final.
Difundiu-se a fama de pé-frio, que só desapareceu de vez no começo dos anos 90, com uma série impecável de títulos que conquistou com o São Paulo - os mais importantes foram o bicampeonato do Mundial Interclubes em 92 (quando derrotou o Barcelona por 2 a 1) e em 93 (quando derrotou o Milan por 3 a 2).
A carreira de Telê foi truncada em janeiro de 1996, ao sofrer aneurisma. A doença fez com que se afastasse para sempre da carreira de treinador. Ele voltou definitivamente para Belo Horizonte, para ficar cercado da mulher, dos filhos e dos netos.


Bet and Win19 Abril 2006. O Milan muda de patrocinador: de Opel para Betandwin.

Após 12 anos de patrocínio da Opel, a camisa do Milan vira página. Nesta Quarta Feira o Milan confirmou a Betandwin, casa austríaca de apostas on-line, como patrocinadora do clube a partir da próxima temporada. “Bet-and-Win” em português quer dizer “Aposte-e-Ganhe”.
A Betandwin e o Milan assinaram um contrato de quatro anos, de 01 Julho 2006 até 30 Junho 2010, por um valor de 15 milhões de euros por temporada. O valor do contrato entre o Milan e a Opel era de 9 milhões de euros por temporada. Portanto houve para o Milan um aumento de receita de 60%.
O contrato, de 70 páginas, foi assinado entre o administrador delegado do Milan, Adriano Galliani, e um dos responsáveis da Betandwin, Manfred Bodner.


Mizuno7 Abril 2006. Shevchenko passará a usar chuteiras da marca Mizuno.

O atacante Andriy Shevchenko, do Milan e da seleção da Ucrânia, passará a usar chuteiras da marca japonesa Mizuno após seis temporadas com a italiana Lotto. O novo contrato está estimado em cerca de 1.5 milhões de euros anuais, superando em meio milhão de euros o vínculo existente com a Lotto. A marca italiana agora decidiu concentrar os esforços no patrocínio ao atacante Toni, artilheiro do Campeonato Italiano pela Fiorentina e titular absoluto da seleção italiana.
O acordo com Shevchenko deverá ser intensificado a partir de 2008, quando se realizará a Eurocopa na Áustria e na Suíça. Como as chances de sucesso da Ucrânia na Eurocopa serão maiores, a Mizuno deverá concentrar seus esforços na divulgação do acordo durante essa época.
Presente no mercado mundial de artigos esportivos desde 1906, a Mizuno desenvolve produtos de qualidade para atletas e consumidores em geral, oferecendo simultaneamente amortecimento e estabilidade, e permitindo melhor desempenho em competições ou em treinos. É também a única marca que possui um tênis para cada tipo de pé e de pisada: planos, normais, cavos, com pronação, etc.


Kaká_Estadão02 Abril 2006. Kaká, meia da seleção brasileira e do Milan, um ídolo até para os adversários.

O jornal “O Estado de S. Paulo” de hoje dedica a inteira página E10 do caderno de Esportes a uma entrevista com o Kaká. A seguir alguns trechos.

PERGUNTA - O Milan tem possibilidades de ganhar o título da Champions League e você tem se destacado na competição. Como define sua atual fase na Itália?
RESPOSTA - Vivo ótimo momento, estou feliz. Temos boas chances de conquistar a Champions League, estou fazendo mais gols do que nas temporadas anteriores. No Campeonato Italiano vai ser difícil tirar o título da Juventus, mas o time está bem.

PERGUNTA - Esta é sua terceira temporada no Milan. Qual das três considera a melhor?
RESPOSTA - Sem dúvida, esta temporada é a mais legal, é a melhor. Hoje estou mais maduro, mais experiente. O primeiro ano foi maravilhoso. Cheguei bem novo e consegui ter ótimas atuações. No segundo, passei a ser conhecido, a marcação aumentou, tive mais dificuldades. Mas, agora, consigo aliar meu futebol à experiência.

PERGUNTA - Como vê a má fase de vários de seus colegas de seleção a pouco tempo da Copa?
RESPOSTA - Acho que é algo passageiro.  Não consigo acompanhar muito o futebol na Espanha, é difícil falar do Ronaldo, do Roberto Carlos. Mas o Adriano está bem aqui na Itália, apesar da falta de gols. Logo vai voltar a marcar.

PERGUNTA - Uma das preocupações dos brasileiros é com o Dida. Ele tem falhado bastante ultimamente...
RESPOSTA - Não sei com que freqüência vocês vêem o futebol italiano aí no Brasil. Mas já faz vários jogos que o Dida tem mantido a regularidade, jogado bem, feito boas defesas. Ele está tranqüilo e vai chegar bem à Copa.

PERGUNTA - Acha que o Cafu, que também joga com você no Milan, vai estar bem fisicamente na Alemanha? Ele passou recentemente por cirurgia e já tem 35 anos.
RESPOSTA - O Cafu é um grande profissional e isso é fundamental num momento de recuperação como agora. Ele impressiona. Se falarem para o Cafu ir ao CT do Milan para treinar às 3 horas da madrugada, ele vai numa boa.

PERGUNTA - O Kaladze disse que você é mais eficiente que o Ronaldinho Gaúcho, que você é mais útil para o time. Concorda?
RESPOSTA - É claro que esse tipo de declaração me deixa muito feliz, demonstra a confiança dos companheiros. Mas não é o momento de fazer comparações.

PERGUNTA - Acredita que pode ser um dos destaques da Copa e, em breve, ganhar o prêmio de Melhor do Mundo da Fifa ou não pensa nisso?
RESPOSTA - Espero que seja a Copa da seleção brasileira. Não me preocupo de ser o melhor do mundo. Para ganhar o prêmio, você depende muito do desempenho de seu clube, dos títulos conquistados na temporada. Isso tudo pesa demais para ser indicado como um dos finalistas do prêmio. Mas, se um dia eu ganhar, vai ser muito bem-vindo.

PERGUNTA - Qual é a diferença do tratamento que você recebe na Itália em relação ao que tinha no Brasil?
RESPOSTA - Aqui o assédio é diferente. No Brasil, havia as kakazetes, eu tinha mais mulheres como fãs. Na Itália, o assédio é mais por parte dos torcedores. Todos os tipos de torcedores: crianças, jovens, mulheres, idosos. Sou cumprimentado até por torcedores da Juventus e da Inter. Os da Inter, apesar da rivalidade, dizem que eu sou um grande jogador, uma grande pessoa e me pedem autógrafos...

PERGUNTA - O que costuma fazer nas folgas?
RESPOSTA - Vou ao teatro, ao cinema, a restaurantes. As cantinas são ótimas, gostamos bastante de sair para jantar. Um problema do cinema é que os filmes são dublados. Eles não assistem a filmes legendados na Itália. Isso é ruim, complicado, porque há muitas gírias, e a minha mulher não entende tudo perfeitamente. Por isso, preferimos alugar filmes em DVD.

PERGUNTA - O que mais o atrai na culinária italiana?
RESPOSTA - A massa, sem dúvida. A massa surpreende de tão boa que é. A carne também é boa, mas sinto falta do nosso churrasco, da feijoada. Sempre que visito o Brasil vou a uma churrascaria ou como feijoada.

PERGUNTA - Pretende ficar bastante tempo no Milan ou pensa em mudar?
RESPOSTA - No futebol, a gente não pode nunca fechar as portas. É difícil saber o que pode acontecer, mas tenho contrato com o Milan até 2010 e estou muito bem aqui. Hoje não sairia daqui.


Kaká31 Março 2006. Kaká faz lobby por seus companheiros milanistas na seleção, mas não por Rogério Ceni.

Titular no “quadrado mágico” ao lado de Adriano e dos Ronaldos, o meia Kaká saiu em defesa de seus colegas de time, Cafu e Dida. Em entrevista coletiva, o ex-são-paulino disse que confia que Dida e Cafu se apresentem bem no Mundial na Alemanha que começa no dia 9 de junho. “A má fase e os erros foram no começo do ano. Isso já passou. O Dida está em grande forma e fez uma defesaça no último jogo. Cafu já está voltando para os jogos do Milan após passar por cirurgia. Pelo seu profissionalismo, ele não vai ter nenhum problema para chegar 100% na Copa”, opinou.
Ronaldo, outro jogador criticado recentemente, foi elogiado por Kaká que acredita que o ambiente criado na concentração será importante para seu desempenho no Mundial. “Temos de ter respeito e dar motivação para ele”.
Por seu lado, Kaká afirmou que Parreira não precisa ficar preocupado com ele, pelo Milan estar disputando os títulos da Champions League e do Campeonato Italiano: “Não estou cansado, ainda sobra fôlego”.
Mas ele não se somou ao coro que pede o goleiro Rogério Ceni na Copa. O ex-são-paulino não quis entrar no polêmico lobby por uma vaga na Alemanha para o número 1 do tricolor paulista. “Convocação é uma coisa séria. O Scolari teve de enfrentar a pressão por Romário e decidiu não levá-lo. Gosto de Rogério, joguei com ele, mas a decisão é da comissão técnica“, afirmou.


Bachini30 Março 2006. O jogador italiano Bachini é suspenso definitivamente por uso de cocaína.

A Comissão Disciplinar da Liga Profissional de Futebol decidiu nesta Quinta Feira suspender definitivamente o jogador do Siena Jonathan Bachini por reincidência no consumo de cocaína.
Bachini deu positivo em um exame antidoping feito após a partida Lazio x Siena em 4 de Dezembro de 2005, quando foram encontrados, nas suas urinas, restos de um metabólito da cocaína. Ele já tinha sido suspenso por um ano, quando defendia o Brescia, por ter resultado positivo à cocaína no controle antidoping após a partida Brescia x Lazio de 22 de Setembro de 2004.
A cocaína não é uma substância usada para melhorar o desempenho dos atletas, mas é proibida pelo Comitê Olímpico Italiano.
Jonathan Bachini tem 30 anos. Nasceu em Livorno em 5 de Julho de 1975 e jogou na Udinese, no Lecce, na Juventus, no Brescia e no Siena. Em 1998 jogou duas vezes na seleção italiana.
 


Cagliari12 Março 2006. Fortes rajadas de vento suspendem jogo do Campeonato Italiano.

Um fato curioso aconteceu neste Domingo no Campeonato Italiano. O jogo Cagliari-Fiorentina foi interrompido aos 29 minutos do primeiro tempo devido às fortes rajadas de vento, de até 100 Km/h, que estavam castigando a cidade de Cagliari.
Já antes do início da partida, o vento que se abatia sobre o estádio Sant’Elia era terrível. Um operador de televisão tinha-se ferido levemente ao ser atingido por um pedaço de chapa metálica que se desprendera do telhado da tribuna central. Apesar desta situação paradoxal, o juiz Rodomonti tentou “salvar” o jogo e apitou o início.
Logo tornou-se evidente que as condições de jogo eram irregulares. Chutes de longe se tornavam loterias, devoluções dos goleiros não conseguiam chegar à metade do campo. O jogador Conti do Cagliari, para cobrar uma falta, precisou que o companheiro Abeijon lhe segurasse a bola com um pé, para evitar que esta rolasse pelo campo.
Aos 29 minutos o juiz Rodomonti foi obrigado a parar o jogo por 15 minutos para permitir a remoção de um painel de plástico que se tinha desprendido atrás do gol da Fiorentina, e que colocava em risco a segurança dos torcedores. O juiz tomou a decisão de suspender definitivamente a partida após um telefonema com a Lega Calcio e com o consenso de ambos os clubes.
Para as estatísticas, a última partida da série A do Campeonato Italiano que foi suspensa por causa do vento, tinha sido o jogo Catanzaro-Roma do dia 13 de Janeiro de 1981.


Levan com a mãe26 Fevereiro 2006. Kaladze foi ao enterro do irmão assassinado.

O zagueiro do Milan Kaladze não participa neste Domingo do jogo contra o Palermo porque se encontra na Geórgia, seu país natal, para o enterro do seu irmão mais novo Levan, cujo corpo foi achado recentemente, quase cinco anos depois de ter sido seqüestrado.
Em 23 de Maio de 2001, Levan (na foto com a mãe) foi seqüestrado na capital georgiana por homens vestidos de policiais, aparentemente para levantar fundos pra os rebeldes da Chechênia. Este seqüestro foi apenas um dos primeiros episódios a abalar a credibilidade do então primeiro-ministro Edward Shevarnadze, que bloqueou o pagamento do resgate de 450 000 dólares.
O jogador do Milan e sua família criticaram duramente o governo da Geórgia pela falta de atitude. Por outro lado, Kaladze e sua família receberam apoio total do primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi (que também é o dono do Milan), que colocou a estrutura diplomática italiana para pressionar a Geórgia por um desfecho rápido da situação.
Contudo, o desfecho jamais veio. Nesse meio tempo, Kaladze ameaçou abandonar a seleção georgiana, foi campeão italiano, venceu a Champions League em 2003, viu o governo de Shevarnadze cair, perdeu a final da Champions League em 2005, mas nem uma linha a respeito de seu irmão foi emitida pelos seqüestradores.
Durante os últimos cinco anos, Kaladze e sua família tinham esperanças de reencontrar Levan, um estudante de medicina de 21 anos, com vida. Contatos com rebeldes, informantes, membros da inteligência georgiana e italiana, tudo foi feito para resolver o problema, mas sem sucesso.
Quando veio a notícia de que um corpo tinha sido encontrado em Tbilisi, poucos torcedores do Milan ainda se lembravam de que a situação de Kaladze ainda estava sem desfecho. Indícios da morte de Levan estavam no ar, mas a comprovação do FBI, feita com um exame de DNA, foi a pá de cal que a família precisava por no assunto.


Gripe_Aviaria22 Fevereiro 2006. Gripe aviária pode causar o cancelamento do Mundial de Futebol da Alemanha.

As autoridades alemãs temem que a gripe aviária, detectada em diversas aves encontradas mortas na ilha de Ruegen, no nordeste do país, se propague para outras regiões. A preocupação chegou a tal ponto que alguns políticos e cientistas começaram a mencionar a possibilidade de cancelar o Mundial de Futebol da Alemanha, que deverá ser realizado de 9 de Junho a 9 de Julho, caso ocorra uma epidemia de gripe em seres humanos.
A paranóia tomou conta do país uma semana depois do anúncio dos primeiros casos de gripe aviária em aves silvestres na Alemanha. Em Berlim, a aparição de um cisne morto junto a uma estrada de ferro desencadeou uma onda de temor, embora não se saiba se tenha morrido devido ao vírus. Os bombeiros, protegidos com máscaras e equipamentos especiais, recolheram os restos do animal.
Até agora o número de aves silvestres mortas, portadoras do vírus H5N1 da gripe aviária, chegou a 103 na Alemanha. Com a exceção de duas, todas as demais aves mortas foram encontradas na ilha de Ruegen, no mar Báltico, onde foi decretado o estado de calamidade.
A maior parte das aves infectadas pelo vírus é de cisnes. Mais de 300 soldados do Exército alemão foram mobilizados em Ruegen com equipes especiais de descontaminação química e biológica para recolher as aves mortas. Para conter a transmissão do vírus para as aves de criação, foram sacrificados preventivamente 2.865 frangos e patos de estabelecimentos avícolas da região da ilha de Ruegen.


CafuRio de Janeiro, 14 Fevereiro 2006. Cafu passará por cirurgia.

A situação do lateral Cafu na seleção brasileira se agravou ontem após a confirmação de que será submetido a uma artroscopia na próxima Quinta Feira por causa de lesão no menisco interno do joelho esquerdo.
Ele já vinha passando por problemas técnicos no Milan, onde ocupa a reserva. De acordo com o médico da seleção brasileira, Cafu poderá voltar às atividades normais em três ou quatro semanas. “Essa é a previsão se tudo evoluir da maneira como esperamos”, disse o ortopedista, responsável pela cirurgia do atleta, programada para o Hospital Pasteur, no Méier, zona norte do Rio.
Titular da seleção nos jogos finais das últimas três Copas do Mundo, Cafu teve queda de rendimento acentuada nos últimos meses atuando pelo Milan. Em proporção inversa, Cicinho, seu reserva imediato na lateral-direita da seleção, passou a chamar a atenção pelas boas atuações no Real Madrid. O técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, preferiu se esquivar das perguntas sobre o futuro de Cafu na equipe. Antes de saber das declarações do médico, ele evitou especulações.
Em entrevista ao site da CBF, Cafu disse ter certeza de que logo se recuperará. E afirmou que estará bem para a Copa da Alemanha. (Extraído do jornal “O Estado de S. Paulo”)


StamMilão, 2 Fevereiro 2006. O zagueiro Stam deixará o Milan no fim desta temporada.

O Ajax da Holanda comunicou ter comprado o zagueiro holandês Jaap Stam, 33 anos, atualmente jogador do Milan. Também o time rubro-negro confirmou a transferência. Stam passará ao Ajax no dia primeiro de Julho de 2006, após duas temporadas no Milan. Ele reforçará com a sua experiência e o seu carisma um time jovem, atualmente em crise, especialmente após a derrota sofrida contra o Utrecht.
O diretor técnico do time holandês, Martin van Geel, sublinhou: “Stam é um jogador de grande experiência que já militou em times de altíssimo nível. Temos certeza que ele será muito importante para o Ajax, um valor adjunto para o nosso jovem time cheio de talentos.”
Defensor rochoso e implacável, Stam foi uma das mais importantes aquisições da Lazio para a temporada 2001/02, logo após a conquista do título italiano. O time romano o comprou do Manchester United onde tinha disputado quatro campeonatos. Ainda antes, ele tinha militado no PSV Eindhoven, o grande rival do Ajax.
Stam anunciou os motivos da sua transferência: “Seja eu, seja a minha família sentimos falta do nosso país. Além disso, meus pais não estão muito bem de saúde e eu quero ficar perto deles. Fico feliz que o Milan me ofereceu esta possibilidade. Sempre estive bem no Milan, com todas as pessoas com quem eu trabalhei. O motivo da minha escolha é somente e exclusivamente familiar.”


Dida31 Janeiro 2006. Dida, em má fase, é contestado na Itália, mas Parreira o garante como titular. Por enquanto.

A falha no gol da Sampdoria, que tirou do Milan a vitória no último Sábado, aumentou ainda mais as dúvidas sobre a atual condição de Dida. O goleiro vive má fase e já está longe de ser unanimidade no gol do Milan e da seleção brasileira. O ótimo desempenho de Marcos ameaça sua posição de praticamente intocável no time de Parreira para a Copa da Alemanha.
O treinador brasileiro procura demonstrar tranqüilidade e confiança em relação a Dida, mas dá sinais de preocupação. Depois do frango contra a Sampdoria, o atleta passou a ter seu nome contestado na imprensa italiana e entre os torcedores do Milan. Em seis jornais italianos, ele colecionou duas notas 4.5, três notas 4 e uma nota 2.
Parreira demonstra algum incômodo, mas, por enquanto, não cogita mudanças. "Não me preocupa a fase atual do Dida. É evidente que se a coisa ficar até a Copa do Mundo... Mas eu o conheço e sei que é um profissional de muita experiência e dedicado. No Mundial vale a experiência do profissional e eu trabalhei com o Dida no Corinthians e sei como se prepara, treina. Um goleiro está sujeito a ter momentos bons e ruins. (Extraído do jornal “O Estado de S. Paulo”)


Olympique20 Janeiro 2006. O Olympique de Marselha jogou dopado na final de Maio 1993 contra o Milan.

Em 26 de Maio de 1993 o Milan perdeu a Champions League ao ser derrotado com o placar de 1 a 0 pelo Olympique de Marselha, na final disputada em Munique, na Alemanha. Mas os franceses teriam ganho este jogo graças a substâncias proibidas. Se isto for comprovado o Milan pedirá à UEFA o troféu perdido no campo. O advogado do time rubro-negro, Leandro Cantamessa, já está se ocupando deste assunto.
As denuncias estariam em um livro autobiográfico escrito por Jean Jacques Eydelie, na ocasião meio-campista do Olympique. O volume sairá somente em Março, mas ontem foram publicados alguns trechos que já provocaram um choque entre os protagonistas daquela partida.
Doping e suborno eram fatores corriqueiros para o Olympique daquela época. Os dirigentes davam pilulas estimulantes aos seus jogadores. Numa partida da Champions contra o CSKA Moscou, injetaram droga na água que o time russo iria beber. O jogo acabou 6 a 0 para o Olympique” escreve Eydelie.
Segundo ele, todos os jogadores da equipe receberam uma injeção misteriosa antes da final contra o Milan. Apenas o atacante alemão Rudi Voller se recusou a receber a picada. “Antes da final, pediram que fizéssemos fila para receber uma injeção. Voller se recusou aos gritos. Durante a partida o meu físico respondia de maneira diferente ao esforço”, conta Eydelie.


Amoroso13 Janeiro 2006. Amoroso assina contrato com o Milan até 30 Junho 2007.

Ontem à noite, exatamente às 22 horas locais, Amoroso assinou contrato com o Milan em um dos mais sofisticados restaurantes da aristocrática cidade de Milão, durante um jantar com Adriano Galliani, vice-presidente executivo do Milan.
O contrato garante o atacante brasileiro na equipe milanesa durante 18 meses, até 30 de Junho de 2007, pelo valor de 1 400 000 euros. Amoroso usará o número 37 na camisa e será o quinto brasileiro no Milan (os outros quatro são Kaká, Cafu, Dida e Serginho) e segundo Galliani não é uma coincidência. “A filosofia do Milan é a mesma do Brasil: ganhar jogando bonito, para divertir o público”.
Amoroso foi contratado para ocupar o lugar de Vieri que, sem poder jogar com uma certa continuidade no Milan, preferiu ser transferido para o Mônaco da França. Será a terceira passagem do atacante brasileiro pelo futebol italiano, já que defendeu a Udinese de 1996 a 1999 e o Parma de 1999 a 2001. Na temporada 1998/99 ele foi o artilheiro do Campeonato Italiano com 22 gols, um a mais do que o argentino Batistuta.
Em 2005 Amoroso defendeu o São Paulo, ganhando a Taça Libertadores em Julho e o Mundial de Clubes no Japão em Dezembro. Amoroso espera poder disputar este ano novamente o Mundial de Clubes, desta vez vestindo a camisa do Milan.


Voltar para a Página Principal

Veja também as Notícias de Futebol de 2016, 2015, 2014, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009, 2008, 2007, 2006, 2005 e 2004.

logotipo do Milan
Valid XHTML 1.1!   Valid CSS!