milan milan milan milan-brasil milan milan milan
para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

JOGOS DO MILAN NA TEMPORADA 2005-2006

38a rodada, Domingo 14 Maio 2006, MILAN  2 X 1  ROMA

Marcadores: Kaká de pênalti aos 5 pt, Mexes aos 33 pt e Amoroso de pênalti aos 46 st.

Até esta última rodada do Campionato Italiano o Milan tinha chances de conquistar o título: precisava derrotar a Roma em San Siro e torcer por uma derrota da Juventus. O Milan faz a sua parte e vence por 2 a 1 com dois gols de pênalti cobrados por jogadores brasileiros, o primeiro por Kaká e o segundo por Amoroso. Mas também a Juventus ganha (Reggina 0 x 2 Juventus) encerrando a temporada com três pontos de vantagem sobre o Milan (Juventus 91, Milan 88) e ganhando assim o seu vigésimo nono “scudetto”.
Mas neste Domingo na Itália falou-se muito mais do escândalo da arbitragem do que de futebol. Muito provavelmente a Juventus perderá este “scudetto” e será rebaixada para a Série B devido ao envolvimento do seu diretor geral Luciano Moggi.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Cafu), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Rui Costa)
Kaká
Inzaghi (Amoroso), Gilardino


37a rodada, Domingo 7 Maio 2006, PARMA  2 X 3  MILAN

Marcadores: Kaká de pênalti aos 28 pt, Cafu aos 43 pt, Corradi aos 9 st, Seedorf aos 11 st e Corradi aos 43 st.

O Milan derrota o Parma fora de casa com o placar de 3 a 2, nesta penúltima rodada do Campeonato Italiano 2005/06.
Kaká marca o primeiro gol, de pênalti, aos 28 minutos do primeiro tempo e, antes do intervalo, Cafu amplia a vantagem para o Milan, após passe de Kaká e corta-luz de Gilardino. No segundo tempo, Corradi faz o primeiro do Parma, aos 9 minutos. A resposta do Milan, entretanto, é rápida: aos 11 minutos, o holandês Seedorf, cobrando falta, acerta o ângulo esquerdo com um chute de fora da área. Aos 43 minutos, Corradi volta a marcar de cabeça, mas não evita a derrota do Parma.
O Milan continua três pontos atrás da Juventus na classificação do Campeonato Italiano: Juventus 88, Milan 85. O Milan tem ainda uma pequena chance de ganhar o Campeonato Italiano: na última rodada terá de vencer a Roma e torcer para que a Juventus seja derrotada pelo Reggina. Se isto acontecer os dois times terminariam empatados em 88 pontos, mas o Milan ficaria com o título por ter melhor campanha nos confrontos diretos entre as duas equipes - venceu por 3 a 1 em Milão, no primeiro turno, e empatou sem gols no segundo.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Nesta, Kaladze, Serginho (Jankulovski)
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Kaká
Inzaghi (Rui Costa), Shevchenko (Gilardino)


36a rodada, Domingo 30 Abril 2006, MILAN  2 X 0  LIVORNO

Marcador: Inzaghi aos 28 pt e aos 20 st.

Quatro dias depois de ter sido eliminado da Champions League pelo Barcelona, o Milan derrota o Livorno em San Siro com o placar de 2 a 0. O time de Ancelotti garante assim o segundo lugar no Campeonato Italiano, o que assegura a participação na próxima edição do máximo torneio europeu, sem ter que disputar os jogos preliminares.
Com relação à liderança do Campeonato Italiano, a Juventus ganha fora de casa e mantém três pontos de vantagem sobre o Milan, quando faltam somente duas rodadas para terminar a temporada (Juventus 85, Milan 82 e Inter 74).
O primeiro gol do Milan é marcado por Inzaghi pouco antes da meia-hora de jogo após esplêndido passe de Jankulovski. Inzaghi marca também o segundo gol aos 20 minutos do segundo tempo: ele desvia um cruzamento de Shevchenko, mesmo circundado por vários zagueiros. O tiro é indefensável e o número 9 rubro-negro alcança Kaká com 12 gols no Campeonato.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Stam (Costacurta), Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Jankulovski
Rui Costa
Inzaghi (Amoroso), Shevchenko (Gilardino)


35a rodada, Sábado 22 Abril 2006, MESSINA  1 X 3  MILAN

Marcadores: Sculli aos 6 pt, Jankulovski aos 33 pt, Gattuso aos 44 pt e Gilardino aos 45 st.

A disputa pelo título da temporada 2005/06 do Campeonato Italiano, que parecia definida a favor da Juventus, está novamente aberta após a rodada deste Sábado. Com o empate da Juventus e a vitória do Milan, a diferença entre a líder e o vice-líder cai para apenas três pontos, a três rodadas do final da competição (Juventus 82, Milan 79).
A partida entre Messina e Milan foi muito violenta. Os jogadores do Messina fizeram muitas faltas desnecessárias e três deles foram expulsos. Durante os primeiros trinta minutos de jogo o Milan teve que substituir três jogadores machucados. Kaká saiu de campo aos 14 minutos sentindo o joelho direito; foi substituído por Ambrosini. O zagueiro Nesta saiu aos 19 minutos, substituído por Stam. Aos 28 minutos o mesmo Ambrosini, gravemente machucado (fratura do perônio da perna esquerda) foi substituído por Jankulovski. Espera-se que todas estas pancadas não prejudiquem o Milan no difícil jogo contra o Barcelona, na próxima Quarta Feira.
Os gols do Milan foram marcados por Jankulovski, Gattuso e Gilardino, enquanto Sculli fez o do Messina, após nova falha de Dida.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Nesta (Stam), Kaladze, Serginho
Gattuso, Rui Costa, Seedorf
Kaká (Ambrosini e depois Jankulovski)
Gilardino, Shevchenko


34a rodada, Sexta Feira 14 Abril 2006, MILAN  1 X 0  INTER

Marcador: Kaladze aos 25 st.

A Inter concordou em adiantar o derby para hoje, Sexta Feira Santa, para dar ao Milan mais um dia para descansar e se preparar para o difícil jogo da próxima Terça Feira contra o Barcelona, válido para as Semifinais da Champions League.
No primeiro tempo, a partida é equilibrada e os dois times se igualam em oportunidades. No segundo tempo, aos 25 minutos, vem o duro golpe para a Inter. Seedorf cruza da esquerda, a defesa da Inter falha na linha de impedimento e a bola sobra livre para o zagueiro Kaladze que mata no peito e chuta forte para o gol, de pé esquerdo. Golaço.
A partir deste momento, o Milan não tem pudor de recuar toda sua equipe e consegue segurar a vitória até o fim, mesmo com o goleiro Dida falhando em lances de ataque da Inter nos minutos finais.
Agora, após o quarto empate seguido da Juventus, a classificação é a seguinte: Juventus 81, Milan 76, Inter 71. Apesar de a distância da líder ter baixado para 5 pontos, a Diretória do Milan continua afirmando que o objetivo principal do time no Campeonato Italiano é o segundo lugar, que evitará a disputa dos turnos preliminares para participar à próxima Champions League.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu (Costacurta), Nesta, Kaladze, Maldini
Gattuso, Pirlo (Vogel), Seedorf
Kaká
Gilardino, Shevchenko (Rui Costa)


33a rodada, Domingo 9 Abril 2006, MILAN  4 X 1  CHIEVO

Marcadores: Pellissier aos 13 pt, Nesta aos 28 pt, Kaká aos 18 st, Kaká de pênalti aos 24 st e Kaká aos 45 st.

O meia brasileiro Kaká dá um show na vitória por 4 a 1 do Milan sobre o Chievo, neste Domingo, no Estádio San Siro. Ele faz três gols e ainda dá o passe para Nesta marcar o primeiro gol do time.
No entanto, é o Chievo que abre o placar com Pellissier, aos 13 minutos do primeiro tempo. Após o gol, a equipe de Milão reage e Kaká começa a brilhar. Aos 28 minutos, ainda no primeiro tempo, o brasileiro dá um bom passe para Nesta chutar forte e empatar a partida. O segundo tempo começa com o Milan partindo para cima do Chievo. Após alguns gols perdidos, aos 18 minutos Kaká pega o rebote do goleiro e, mostrando oportunismo de artilheiro, balança a rede. Pouco depois o ex-são-paulino, esbanjando confiança, aproveita a ausência de Shevchenko e se oferece para cobrar um pênalti: bate bem, no canto direito do goleiro Fontana, e faz 3 a 1.
Mas o craque quer mais e, já nos acréscimos, tem tempo de marcar o seu terceiro gol. Kaká chuta forte de fora da área, Fontana defende, ele mesmo pega o rebote e chuta sem chances para o goleiro (4 a 1). Agora Juventus 80, Milan 73.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu (Simic), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo (Vogel), Seedorf
Kaká
Gilardino, Inzaghi (Rui Costa)


32a rodada, Sábado 1o Abril 2006, LECCE  1 X 0  MILAN

Marcador: Konan aos 9 st.

Na partida contra o Lecce, fora de casa, o treinador Ancelotti faz descansar a maioria dos jogadores para poupá-los para o jogo da próxima Terça Feira contra o Lyon. Dos onze que começaram jogando contra o Lyon na última Quarta Feira, somente quatro começam hoje: Dida, Kaladze, Pirlo e Gilardino.
O Milan domina os primeiros 45 minutos, mas o goleiro Sicignano está numa tarde inspirada e faz pelo menos três defesas milagrosas, duas vezes sobre chutes de Gilardino e a terceira sobre chute de Rui Costa.
No segundo tempo o time de Ancelotti se arrepende por desperdiçar tantas chances quando, aos 9 minutos, Vucinic parte em contra-ataque e serve Konan, que bate Dida com uma finalização precisa. Com esta derrota o Milan se despede definitivamente do Campeonato Italiano 2005/06: faltando somente 6 rodadas, Juventus 79 pontos, Milan 70 pontos. O Milan dedicará todos os esforços à Champions League.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic (Cafu), Maldini, Kaladze, Jankulovski
Ambrosini, Pirlo (Seedorf), Vogel, Rui Costa
Gilardino, Amoroso (Inzaghi)


31a rodada, Sábado 26 Março 2006, MILAN  3 X 1  FIORENTINA

Marcadores: Toni aos 13 pt, Shevchenko aos 20 pt, Kaká aos 3 st e Gattuso aos 15 st.

A equipe de Florença sai na frente aos 13 minutos de jogo com Luca Toni, artilheiro isolado do Campeonato Italiano com 25 gols. Mas o domínio adversário dura pouco. Aos 20 minutos o ucraniano Shevchenko recebe a bola no lado esquerdo do ataque milanista, com uma finta faz sentar Jorgensen e em seguida enfia o goleiro Lobont, igualando o marcador.
Se a primeira etapa é equilibrada, na segunda só dá Milan. E a superioridade fica refletida logo aos 3 minutos, quando o meia brasileiro Kaká, de cabeça, garante a virada do time da casa, após cruzamento milimétrico de Costacurta. Aos 15 minutos, Gattuso, em chute de longe, fecha o placar (3 a 1).
O Milan fica agora a oito pontos da Juventus (Juventus 78, Milan 70) o que dá novo ânimo ao time em uma luta pelo título que parecia perdida há algumas rodadas. Costacurta (40 anos no próximo dia 24 de Abril) tem um ótimo desempenho e recebe nota 7 do jornalista da Gazzetta dello Sport. Aos 30 minutos ele é substituído por Paolo Maldini que volta ao time após quase quatro meses. No momento da substituição, ambos são muito aplaudidos pelos torcedores rubro-negros presentes no estádio San Siro.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Costacurta (Maldini), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Kaká
Inzaghi, Shevchenko (Rui Costa)


30a rodada, Domingo 19 Março 2006, UDINESE  0 X 4  MILAN

Marcadores: Shevchenko aos 42 pt, Gilardino aos 16 st, Shevchenko aos 20 st e Seedorf aos 26 st.

Neste Domingo, o Milan não toma conhecimento da Udinese, goleia por 4 a 0 fora de casa e mantém a vice-liderança do Campeonato Italiano (Juventus 77, Milan 67). O time rubro-negro domina durante toda a partida e conta com a presença marcante de seus atacantes Shevchenko e Gilardino. O ucraniano balança a rede duas vezes e chega a 18 gols na competição, enquanto que o italiano alcança quota 16. O holandês Seedorf fecha a goleada.
Aos 28 minutos do segundo tempo, o técnico Carlo Ancelotti tira Schevchenko e promove a estréia do brasileiro Amoroso no Campeonato Italiano com a camisa do Milan. O atacante, que até então havia atuado apenas em uma partida da Copa Itália, é aplaudido de pé pelos torcedores da Udinese, clube onde foi artilheiro na temporada 1998/99.
Os jogadores do Milan recebem notas altas do jornalista da Gazzetta dello Sport. As mais altas são as seguintes: Nesta 7.5, Shevchenko 7, Gilardino 7, Costacurta 7.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Costacurta, Nesta, Kaladze, Serginho
Vogel (Ambrosini), Pirlo, Seedorf (Jankulovski)
Kaká
Gilardino, Shevchenko (Amoroso)


29a rodada, Domingo 12 Março 2006, JUVENTUS  0 X 0  MILAN

A Juventus, líder do Campeonato Italiano, recebe neste Domingo no estádio Delle Alpi, de Turim, o vice-líder Milan e consegue um empate com sabor de vitória. Agora, quando faltam nove rodadas para acabar a temporada 2005/06, a Juventus soma 74 pontos, contra 64 do Milan.
No primeiro tempo, a partida é morna. O Milan joga melhor, mas Inzaghi, em jornada pouco inspirada, desperdiça as principais chances de gol. Na melhor delas, Kaká cruza rasteiro do lado esquerdo. A zaga e o goleiro da Juventus se desentendem, e a bola sobra livre para Inzaghi na pequena área. O centroavante do Milan, porém, escorrega no gramado em péssimas condições e bate desequilibrado para fora.
Na segunda etapa, a partida ganha em velocidade e emoção e, aos 21 minutos, Gattuso cabeceia para grande defesa do goleiro Buffon. No rebote, Nesta chuta forte e a bola bate na mão de Emerson quando ia na direção do gol. O juiz não dá o pênalti e pune o zagueiro do Milan com um cartão amarelo, por protestas.
Nervoso com o lance, Gattuso é expulso alguns minutos depois, ao receber o segundo cartão amarelo. Com um jogador a menos, o Milan vê a Juventus criar algumas chances, mas tem em Dida um goleiro seguro para evitar a derrota.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Costacurta), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Ambrosini)
Kaká
Inzaghi (Gilardino), Shevchenko


28a rodada, Sábado 4 Março 2006, MILAN  3 X 0  EMPOLI

Marcadores: Inzaghi aos 32 st, Shevchenko aos 36 st e Inzaghi aos 41 st.

O Milan inicia a partida contra o Empoli com seus principais titulares no banco, para poupá-los para o jogo contra o Bayern de Munique da próxima Quarta Feira. No primeiro tempo os rubro-negros não conseguem se impor diante do desesperado Empoli, seriamente ameaçado de rebaixamento para a Série B. No decorrer da segunda etapa, o treinador Ancelotti faz entrar em campo o brasileiro Kaká, o meio-campista Pirlo e o atacante Shevchenko e o cenário do jogo muda. Em menos de dez minutos o Milan garante a vitória por 3 a 0.
Aos 32 minutos o atacante Inzaghi recebe passe de Gattuso dentro da área e bate de virada; a bola entra no ângulo alto, à direita do goleiro Balli, abrindo o placar.
Quatro minutos depois, Kaká livra-se dos zagueiros na entrada da área e dá assistência precisa para Shevchenko. Na cara do gol, o ucraniano apenas desloca o goleiro e marca seu 16º gol no Campeonato Italiano.
Em cobrança de falta de Shevchenko, aos 41 minutos, Inzaghi desvia a bola para o gol e fecha o marcador. O resultado leva o Milan aos 63 pontos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Kalac
Simic, Costacurta, Kaladze, Jankulovski
Gattuso, Vogel, Seedorf (Kaká)
Rui Costa (Pirlo)
Inzaghi, Gilardino (Shevchenko)


27a rodada, Domingo 26 Fevereiro 2006, PALERMO  0 X 2  MILAN

Marcadores: Inzaghi aos 27 st e Shevchenko de pênalti aos 38 st.

Ancelotti escala no gol o australiano Kalac no lugar do brasileiro Dida que sofreu uma distorção no tornozelo direito no jogo da última Terça Feira contra o Bayern de Munique. Kalac faz assim a sua estréia no Milan. Na zaga, Costacurta joga no lugar de Kaladze que está na Georgia para os funerais do irmão Levan, vítima de um longo seqüestro. Em sinal de solidariedade e afeto o Milan joga com o luto no braço.
O Milan tem a obrigação de ganhar esta partida contra o Palermo, fora de casa, para não ficar ainda mais distanciado da Juventus no Campeonato Italiano. Os pontos fortes do Milan são as iluminações de Kaká e o trabalho obscuro de Gattuso e Vogel. É próprio dos pés do suíço que aos 27 minutos do segundo tempo sai a assistência para Inzaghi fazer, de cabeça, o gol do 0 a 1, batendo o goleiro palermitano Andujar.
Onze minutos mais tarde Shevchenko parte em contra-ataque, em velocidade, entra na área e supera Andujar que o derruba. É pênalti a favor do Milan . Encarrega-se do tiro o próprio Shevchenko que não falha (0 a 2). Agora Juventus 70, Milan 60.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Kalac
Stam, Nesta, Costacurta, Serginho
Gattuso (Seedorf), Pirlo (Jankulovski), Vogel
Kaká
Inzaghi, Shevchenko (Rui Costa)


26a rodada, Sábado 18 Fevereiro 2006, MILAN  1 X 0  CAGLIARI

Marcador: Gilardino de pênalti aos 23 pt.

O Milan derrota o Cagliari em San Siro com o placar de 1 a 0 e recupera dois pontos com relação à Juventus que somente empata fora de casa. Agora Juventus 67, Milan 57 e Inter 55.
O único gol do jogo acontece aos 23 minutos do primeiro tempo quando Inzaghi entra na área adversária, se gira e é derrubado por Canini. O juiz concede um pênalti que é transformado por Gilardino (é o seu décimo quinto gol no Campeonato Italiano, nesta temporada).
No segundo tempo o Milan pensa principalmente em defender o resultado, preocupado com o difícil jogo da próxima Terça Feira, na Alemanha, contra o Bayern de Munique, para as Oitavas de Final da Champions League.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Simic), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Vogel, Seedorf
Kaká (Jankulovski)
Inzaghi, Gilardino (Rui Costa)


25a rodada, Domingo 12 Fevereiro 2006, REGGINA  1 X 4  MILAN

Marcadores: Paredes aos 10 pt, Inzaghi aos 13 pt, Gilardino aos 36 pt, Inzaghi aos 9 st e Inzaghi aos 48 st.

O Milan derrota a Reggina, fora de casa, com o placar de 4 a 1 graças às assistências dos brasileiros Kaká e Serginho, e aos gols dos atacantes italianos Inzaghi e Gilardino.
É a Reggina que abre o placar aos 10 minutos do primeiro tempo com o volante paraguaio Paredes que encobre Dida, adiantado (1 a 0).
Três minutos depois o Milan responde com jogada genial de Kaká. O brasileiro sai do campo de defesa, gira para cima de três marcadores e passa para Inzaghi que está livre na esquerda da grande área. O atacante carimba o goleiro Pelizzoli na primeira oportunidade, mas aproveita o rebote e, com o gol vazio, empata a partida (1 a 1).
Aos 36 minutos, ainda do primeiro tempo, Serginho cruza da esquerda na cabeça do Gilardino que só mergulha na pequena área para virar o placar (1 a 2).
Na segunda etapa, a Reggina vem disposta a chegar ao empate com a entrada de um atacante no lugar de um meia. Com os donos da casa mais ofensivos, o contra-ataque vira a arma do Milan.
Logo aos 6 minutos, o Milan sabe aproveitar o espaço e aumenta a vantagem com mais uma assistência de Kaká para Inzaghi. O meia brasileiro dispara para a direita e cruza rasteiro para trás; o camisa 9 chega com velocidade e de primeira marca o gol do 1 a 3. O quarto gol do Milan acontece nos acréscimos. Serginho vai até a linha de fundo e cruza na pequena área para Inzaghi fazer o seu terceiro gol na partida e fechar a goleada.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Serginho), Stam, Costacurta (Nesta), Kaladze
Gattuso, Pirlo, Rui Costa
Kaká
Inzaghi, Gilardino (Seedorf)


24a rodada, Quarta Feira 8 Fevereiro 2006, MILAN  5 X 0  TREVISO

Marcadores: Kaká aos 13 pt, Shevchenko aos 7 st, Gilardino aos 16 st, Shevchenko aos 19 st e Inzaghi aos 28 st.

Nesta Quarta Feira o Milan recebe o Treviso em San Siro e não toma conhecimento do adversário, derrotando-o com o placar de 5 a 0. Com este resultado, a equipe comandada por Carlo Ancelotti chega aos 51 pontos e permanece na terceira colocação do Campeonato Italiano, mas diminui para 12 pontos a distância para a líder Juventus que empata em casa com o Parma.
Kaká e Shevchenko são os jogadores do Milan que recebem a nota mais alta, 7.5, do jornalista da Gazzetta dello Sport. Gilardino e Seedorf recebem nota 7.
O primeiro gol do Milan é marcado por Kaká aos 13 minutos do primeiro tempo após receber uma assistência perfeita de Gilardino e chutar forte, de pé direito, no canto alto à esquerda do goleiro Sereni. Os outros 4 gols do Milan são marcados no segundo tempo por Shevchenko aos 7 minutos, por Gilardino aos 16 minutos, novamente por Shevchenko aos 19 minutos e por Inzaghi aos 28 minutos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Jankulovski), Stam, Nesta (Costacurta), Serginho
Gattuso, Vogel, Seedorf
Kaká
Shevchenko (Inzaghi), Gilardino


23a rodada, Domingo 5 Fevereiro 2006, LAZIO  0 X 0  MILAN

Termina sem gols o jogo entre Lazio e Milan, disputado na cidade de Roma. O Milan dá bons sinais de retomada após a humilhante derrota por 3 a 0 sofrida na última Terça Feira, por obra do Palermo, e que lhe custou a eliminação da Copa da Itália.
Os jogadores de Ancelotti reencontram solidez e se demonstram concentrados e atentos até o fim. Faltou só o gol!
O Milan produz muitas ações de gol mas não tem sorte. A mais clara acontece aos 25 minutos do segundo tempo quando Shevchenko acerta o travessão com uma potente cabeceada que o goleiro Peruzzi apenas consegue tocar de raspão.
O empate mantém o Milan no terceiro lugar com 48 pontos. A Inter com 54 e a Juventus com 62 estão se afastando sempre mais.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Cafu), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Jankulovski)
Kaká
Shevchenko, Gilardino


22a rodada, Sábado 28 Janeiro 2006, MILAN  1 X 1  SAMPDORIA

Marcadores: Shevchenko de pênalti aos 12 pt e Gasbarroni aos 35 pt.

Após 10 vitórias seguidas em casa, o Milan não vai além de um empate por 1 a 1 no jogo deste Sábado em San Siro contra a Sampdoria. O Milan abre o placar logo aos 12 minutos do primeiro tempo quando, numa jogada pelo alto, o zagueiro Volpi sobe nas costas de Inzaghi para ganhar dividida e faz pênalti. Na cobrança, o ucraniano Shevchenko converte o pênalti com precisão, no canto esquerdo do goleiro adversário e abre o placar (1 a 0).
Aos 35 minutos, ainda do primeiro tempo, a Sampdoria chega ao empate com Gasbarroni que bate forte da intermediária e ainda conta com a falha de Dida para igualar o jogo. Parecia uma defesa tranqüila, mas a bola bate no braço direito do goleiro brasileiro e entra no gol (1 a 1).
No segundo tempo o Milan aperta em busca do gol da vitória, mas o resultado não muda. Agora Juventus 59, Inter 51 e Milan 47. A fase técnica irregular de Dida segue comprometendo a temporada do Milan e já preocupa também o treinador Parreira da seleção brasileira, em vista da Copa do Mundo.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta, Kaladze, Serginho (Jankulovski)
Gattuso (Cafu), Pirlo, Seedorf
Kaká
Shevchenko, Inzaghi (Gilardino)


21a rodada, Domingo 22 Janeiro 2006, SIENA  0 X 3  MILAN

Marcadores: Kaká aos 12 pt, Shevchenko aos 25 st e Kaká aos 39 st.

Kaká é o destaque do Milan na vitória por 3 a 0 sobre o Siena, fora de casa. O craque brasileiro tem ótima atuação e marca dois gols. O dia só não é perfeito para os torcedores do Milan porque a Juventus e a Inter, os dois primeiros colocados na classificação, também vencem na rodada, mantendo inalterada a diferença no topo da tabela.
Aos 12 minutos do primeiro tempo, Kaká aproveita uma jogada ensaiada na cobrança de um escanteio para abrir o placar. A bola é alçada no segundo pau, o zagueiro holandês Stam ajeita para traz e Kaká manda para as redes (0 a 1).
O gol derruba a estratégia do Siena que vinha atuando na retranca para explorar os contra-ataques. O time da casa muda então a tática e passa a atuar mais avançado, mas acaba prevalecendo a experiência do Milan que amplia a vantagem aos 25 minutos do segundo tempo: o brasileiro Serginho cruza na área, o goleiro Mirante não consegue segurar a bola e o atacante ucraniano Shevchenko completa para o fundo do gol (0 a 2).
Aos 39 minutos, Shevchenko lança Kaká que parte em velocidade e chuta na saída do goleiro, para fechar o marcador (0 a 3).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Simic), Nesta, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Kaká (Jankulovski)
Shevchenko, Inzaghi (Gilardino)


20a rodada, Quarta Feira 18 Janeiro 2006, MILAN  1 X 0  ASCOLI

Marcador: Inzaghi aos 4 pt.

Três dias após a derrota com a Roma, o treinador Ancelotti enfrenta o Ascoli com um amplo turnover: Simic, Jankulovski, Ambrosini, Rui Costa e Inzaghi jogam desde o primeiro minuto. O Milan passa logo em vantagem aos 4 minutos quando Dida decide transformar-se em apoiador, repondo com as mãos uma bola longa para Inzaghi que, depois de uma fuga de 60 metros seguido por Adani, penetra na área adversária, evita o ascolano, se apresenta diante do goleiro Coppola e com um toque no primeiro poste não erra o gol. A vantagem após poucos minutos permite ao Milan enfrentar a partida com racionalidade e calma.
No segundo tempo o Milan tenta acelerar o ritmo para obter o segundo gol mas o Ascoli se fecha em sua defesa e a manobra do Milan não encontra espaços. Ancelotti então substitui Seedorf com Kaká na tentativa de dar maior velocidade à manobra buscando as acelerações do brasileiro. Em seguida insere Serginho no lugar de Jankulovsk para dar maior vigor ao jogo nas faixas. Mas o jogo do Milan não melhora e, ao contrário, é a formação adversária que avança levando os seus jogadores à área de Dida.
O resultado não muda e o Milan ganha três pontos importantes para a sua classificação. Agora está a 10 pontos da Juventus que não vai além de um empate na casa do Chievo (Juventus 53, Inter 45, Milan 43).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Stam, Nesta, Jankulovski (Serginho)
Ambrosini (Gattuso), Pirlo, Seedorf (Kaká)
Rui Costa
Gilardino, Inzaghi


19a rodada, Domingo 15 Janeiro 2006, ROMA  1 X 0  MILAN

Marcador: Mancini aos 36 st.

Um gol do brasileiro Mancini, a apenas nove minutos do final, dá a vitória à Roma sobre o Milan na décima nona e última rodada do primeiro turno do Campeonato Italiano 2005/06. O chute de Mancini é desviado pelo holandês Stam e engana o goleiro Dida.
A derrota praticamente acaba com as esperanças do Milan de conquistar o título nacional na atual temporada. O Milan perde também a vice-liderança do torneio para a rival Inter e está agora a 12 pontos da líder Juventus, que continua ganhando quase todos os seus jogos.
O comentário do treinador Carlo Ancelotti, após a partida, foi o seguinte: “Jogamos de forma intermitente. No primeiro tempo, quando jogamos melhor, erramos muitos passes e tivemos dificuldade para decolar. No segundo tempo nós não conseguimos manter continuidade e, aos primeiros sinais de dificuldade, tornamo-nos inseguros e perdemos equilíbrio.”.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Stam, Nesta, Kaladze, Serginho
Kaká, Gattuso (Ambrosini), Pirlo (Rui Costa), Seedorf
Shevchenko, Gilardino (Inzaghi)


18a rodada, Domingo 8 Janeiro 2006, MILAN  4 X 3  PARMA

Marcadores: Cannavaro aos 24 pt, Cardone contra aos 27 pt, Gilardino aos 29 pt, Kaká aos 36 pt, Marchionni aos 25 st, Shevchenko aos 36 st e Marchionni aos 40 st.

O Milan toma um susto aos 24 minutos do primeiro tempo quando, em escanteio da esquerda, o goleiro brasileiro Dida falha de forma grotesca. Ele não consegue segurar a bola e a deixa sobrar nos pés de Paolo Cannavaro que a coloca para o fundo das redes, abrindo o placar (0 a 1).
O susto dura apenas alguns minutos porque a reação, liderada por Kaká, é fulminante. Aos 27 minutos, Kaká vem pela esquerda e depois de bela jogada individual cruza para a área onde o zagueiro parmense Cardone tenta cortar, mas acaba tocando para o próprio gol (1 a 1). Dois minutos depois, Schevchenko cruza e Gilardino marca de cabeça virando o jogo (2 a 1). Animado, o Milan ainda faz o terceiro aos 36 minutos com Kaká que bate firme no canto esquerdo do gol defendido por Guardalben (3 a 1).
A etapa final começa fraca. O Milan diminui o ritmo e tenta segurar o resultado. Aos 25 minutos, após falha geral da defesa rubro-negra, o Parma desconta com Marchionni e assusta o time da casa (3 a 2). Mas a esperança do Parma de empatar o jogo cai por terra aos 36 minutos, quando Shevchenko faz o quarto gol, depois de passe de Rui Costa (4 a 2). O Parma ainda faz o terceiro gol, aos 40 minutos, novamente com Marchionni e novamente após falha geral dos zagueiros do Milan (4 a 3). O Parma pressiona nos minutos finais, porém não obtém o empate. O Milan alcança assim a segunda colocação no Campeonato Italiano, 9 pontos atrás da líder Juventus.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Kaladze, Serginho (Costacurta)
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Kaká (Rui Costa)
Shevchenko, Gilardino (Ambrosini)


17a rodada, Quarta Feira 21 Dezembro 2005, LIVORNO  0 X 3  MILAN

Marcadores: Gilardino aos 23 pt, Gilardino aos 15 st, Shevchenko aos 26 st.

O Milan joga muito bem e ganha com facilidade, com o placar de 3 a 0, uma partida que parecia difícil porque o Livorno, nesta temporada, nunca tinha perdido em casa. O treinador Ancelotti não dispõe dos zagueiros Cafu, Stam e Maldini, todos machucados, e é obrigado a utilizar uma zaga inédita, com Nesta e Kaladze centrais e Simic e Serginho laterais.
O início mostra os jogadores do Milan fazendo a habitual pressão exigida pelo treinador. O Livorno se mantém na sua metade de campo. O Milan é concentrado, administra bem a bola e vigia com atenção cada zona do campo, enquanto o Livorno procura contra-ataques em velocidade com os seus meio-campistas que todavia são bloqueados com eficácia por Gattuso e Seedorf.
O Milan passa em vantagem aos 23 minutos do primeiro tempo. Shevchenko atrai para si dois adversários e serve com perfeição Gilardino que bate o goleiro Amelia. 1 a 0. Vantagem procurada e merecida.
No segundo tempo o Milan continua concreto e concentrado e amplia a vantagem aos 15 minutos. Shevchenko serve uma bola a Seedorf que prontamente passa para Gilardino que bate Amelia pela segunda vez (2 a 0). Aos 26 minutos Pirlo em cobrança de falta acha Shevchenko que de cabeça enfia o terceiro gol milanista (3 a 0). O Milan continua na terceira colocação na classificação do campeonato Italiano, 9 pontos atrás da Juventus e 1 ponto atrás da Inter.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Nesta, Kaladze, Serginho
Kaká (Jankulovski), Gattuso, Pirlo, Seedorf (Ambrosini)
Shevchenko, Gilardino (Rui Costa)


16a rodada, Domingo 18 Dezembro 2005, MILAN  4 X 0  MESSINA

Marcadores: Shevchenko de pênalti aos 22 pt, Shevchenko aos 2 st, Pirlo aos 38 st e Gilardino aos 40 st.

Após duas derrotas seguidas, o Milan torna à vitória ao derrotar o Messina no estádio San Siro com o placar de 4 a 0. O ponto mais espetacular da partida é o segundo gol do Milan aos 2 minutos do segundo tempo. Shevchenko recebe a bola de Serginho e de calcanhar serve Gilardino. Gilardino, também de calcanhar, passa a bola para Kaká. O brasileiro, também ele de calcanhar (!), passa para Shevchenko que marca o segundo gol para o Milan.
Shevchenko tinha marcado também o primeiro gol, cobrando pênalti. O terceiro gol é marcado por Pirlo cobrando falta e o quarto por Gilardino,após assistência de Ambrosini que volta ao time, após três meses. Classificação: Juventus 43, Inter 35, Milan 34.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Stam, Kaladze, Serginho
Gattuso, Pirlo (Vogel), Seedorf (Ambrosini)
Kaká
Shevchenko (Vieri), Gilardino


15a rodada, Domingo 11 Dezembro 2005, INTER  3 X 2  MILAN

Marcadores: Adriano de pênalti aos 24 pt, Shevchenko de pênalti aos 39 pt, Martins aos 14 st, Stam aos 38 st e Adriano aos 46 st.

Aos 24 minutos do primeiro tempo o interista Martins derruba Nesta que, caindo, toca a bola com a mão. Todo mundo acha que o juiz Messina apite uma falta contra a Inter mas ... ele decreta um pênalti contra o Milan! Além disso dá cartão amarelo a Nesta que assim está suspenso para o próximo jogo. O pênalti é transformado por Adriano (1 a 0).
Mas o Milan não quer interromper a série de 10 derbies sem derrota (6 no Campeonato Italiano e 4 na Champions League) e empata aos 39 minutos com Shevchenko cobrando pênalti (1 a 1).
O segundo tempo é muito disputado e a Inter passa novamente em vantagem aos 14 minutos. Adriano cobra falta, Dida defende mas solta a bola. O nigeriano Martins é o primeiro a chegar e amplia para a Inter: 2 a 1.
Pela segunda vez, o Milan corre atrás do empate. Kaká quase marca aos 23 minutos mas a bola explode no poste a esquerda do goleiro Júlio César. Finalmente o empate chega aos 38 minutos: após cobrança de falta da direita, o zagueiro holandês Stam sobe mais que a defesa adversária e, de cabeça, deixa tudo igual novamente (2 a 2).
Nos acréscimos, quando parecia que a partida ia terminar empatada, um interista cobra um escanteio e Adriano sobe mais que a zaga do Milan e marca o gol da vitória (3 a 2). Não há mais tempo para o Milan empatar pela terceira vez.
Tratando-se da segunda derrota seguida do Milan e da terceira nas últimas quatro partidas, e considerando que o Milan caiu para a quarta colocação e que a Juventus está 11 pontos na frente, os jornalistas italianos já estão criticando duramente o Milan. Dizem que o Dida está em crise, que a defesa está muito velha, que o ciclo do Milan de Ancelotti já acabou, etc.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta (Simic), Kaladze, Serginho
Gattuso (Jankulovski), Pirlo, Seedorf
Kaká
Shevchenko, Gilardino (Vieri)


14a rodada, Sábado 3 Dezembro 2005, CHIEVO  2 X 1  MILAN

Marcadores: Kaladze aos 22 pt, Pellissier aos 46 pt e Tiribocchi aos 37 st.

O Milan inicia jogando bem em Verona contra o Chievo e passa em vantagem após 22 minutos com Kaladze que pega o rebote de sua própria cabeceada defendida pelo goleiro Squizzi depois de uma cobrança de falta de Pirlo. Oito minutos depois o Milan desperdiça uma chance de ampliar sua vantagem quando Kaladze dá um passe perfeito para Shevchenko que precisa apenas chutar para o gol, mas o atacante ucraniano não ... acha a bola.
A partir deste ponto o Milan, talvez preocupado com o jogo de Champions League da próxima Terça Feira que decidirá a passagem às Oitavas de Final, começa a ser dominado pelo Chievo que empata com Pellissier nos acréscimos do primeiro tempo e vira o placar aos 37 minutos do segundo tempo com Tiribocchi que havia acabado de entrar em lugar do brasileiro Amauri.
Após o jogo, o treinador Ancelotti reconheceu que esta derrota do Milan é merecida. Agora a Juventus está 8 pontos na frente: Juventus 39, Milan 31, Fiorentina e Inter 29.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta, Maldini (Simic), Kaladze
Gattuso, Pirlo, Jankulovski
Rui Costa (Kaká)
Shevchenko (Inzaghi), Gilardino


13a rodada, Sábado 26 Novembro 2005, MILAN  2 X 1  LECCE

Marcadores: Pirlo aos 3 pt, Konan aos 22 st e Inzaghi aos 49 st.

O Milan joga um bom primeiro tempo contra o Lecce em San Siro e marca logo aos três minutos com Pirlo, em uma perfeita cobrança de falta. Os rubro-negros continuam atacando para ampliar a vantagem, mas perdem muitas chances de gol com Gilardino, Shevchenko e Rui Costa, até que aos 22 minutos do segundo tempo são surpreendidos pelo gol do marfinense Konan que aproveita um vacilo coletivo da defesa adversária e bate na saída de Dida empatando o jogo.
O Milan sente o gol, mas começa a atacar incessantemente e o prêmio por tanto esforço vem no quarto minuto dos acréscimos, com um gol de Inzaghi, que entrara no lugar de Gilardino. O atacante faz tabela com Pirlo para conseguir a vitória, que mantém o Milan na luta pelo título (Juventus 36, Milan 31).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta, Maldini, Serginho (Costacurta)
Gattuso (Jankulovski), Pirlo, Seedorf
Rui Costa
Shevchenko, Gilardino (Inzaghi)


12a rodada, Domingo 20 Novembro 2005, FIORENTINA  3 X 1  MILAN

Marcadores: Toni aos 10 pt, Gilardino aos 25 pt, Jorgensen ao 1o st e Toni aos 42 st.

O Milan interrompe em Florença a série de oito vitórias seguidas ao ser derrotado pela Fiorentina com o placar de 3 a 1. A derrota é devida em parte a erros da própria defesa e em parte a erros do trio arbitral.
A Fiorentina passa em vantagem logo aos 10 minutos do primeiro tempo em uma cobrança de falta: Toni, deixado livre na área do Milan, faz de cabeça o gol do 1 a 0.
O Milan reage e empata aos 25 minutos com Gilardino após assistência de Serginho. Os rubro-negros continuam dominando o jogo até o fim do primeiro tempo mas não conseguem marcar.
Logo no primeiro minuto do segundo tempo a Fiorentina surpreende novamente o Milan: após furada de Nesta, a bola chega a Jorgensen que facilmente faz o gol do 2 a 1.
O Milan tenta novamente obter o gol do empate mas o juiz Rodomonti de Roma começa a errar:
a) aos 23 minutos não concede ao Milan um pênalti claro quando Brocchi toca a bola com a mão na área da Fiorentina.
b) aos 38 minutos não convalida um legítimo gol de Gilardino, após indicação do bandeirinha Copelli que julga irregular a ação do atacante.
Nos últimos minutos da partida Toni marca o gol do 3 a 1 fechando o placar. Na classificação do Campeonato Italiano o Milan é alcançado pela Fiorentina no segundo lugar. Agora Juventus 33 pontos, Milan e Fiorentina 28 pontos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Cafu), Nesta, Maldini, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Rui Costa)
Kaká (Inzaghi)
Shevchenko, Gilardino


11a rodada, Domingo 6 Novembro 2005, MILAN  5 X 1  UDINESE

Marcadores: Gilardino aos 25 pt, Seedorf aos 37 pt, Pirlo aos 45 pt, Gilardino aos 8 st, Iaquinta de pênalti aos 15 st e Kaká aos 34 st

O Milan faz uma partida perfeita em San Siro e goleia a Udinese com o placar de 5 a 1. Trata-se da oitava vitória seguida para o time de Ancelotti que neste dia completa quatro anos como técnico do Milan. Infelizmente para os torcedores do Milan, a Juventus derrota o Livorno, em Turim, e continua na liderança do Campeonato Italiano: Juventus 30, Milan 28.
O placar em San Siro começa a ser definido aos 25 minutos de jogo, quando Gilardino domina o passe de Inzaghi, livra-se da marcação e finaliza para a rede. Inzaghi também faz a assistência do gol de Seedorf, aos 37 minutos. Nos descontos do primeiro tempo, é a vez de Pirlo, de falta, marcar o seu.
No segundo tempo, Gilardino marca o quarto gol, aos 8 minutos, com participação de Serginho, e a Udinese esboça uma leve reação aos 15 minutos com um gol de pênalti de seu artilheiro Iaquinta.
Também o brasileiro Kaká deixa a sua marca na goleada; ele faz o quinto e último gol, aproveitando rebote do goleiro Paoletti, após o chute de outro brasileiro, Serginho, aos 34 minutos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Nesta, Maldini, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Jankulovski)
Kaká (Vogel)
Inzaghi (Rui Costa), Gilardino


10a rodada, Sábado 29 Outubro 2005, MILAN  3 X 1  JUVENTUS

Marcadores: Seedorf aos 14 pt, Kaká aos 26 pt, Pirlo aos 45 pt e Trezeguet aos 31 st

O Milan, segundo colocado no Campeonato Italiano, devolve emoção à luta pelo título ao vencer em casa a Juventus por 3 a 1. O Milan põe assim fim à série de nove vitórias consecutivas deste início de temporada, com a qual a Juventus estabelecera um recorde na rodada passada.
A Juventus começa jogando bem mas aos 14 minutos acontece o lance que mudaria a história do jogo. O holandês Seedorf, após tabela com Gilardino, chuta da entrada da área. A bola desvia em Thuram e encobre o adiantado goleiro Chimenti, para o delírio dos 80.000 torcedores que lotam o estádio Giuseppe Meazza (1 a 0).
O Milan aproveita o bom momento e aumenta aos 26 minutos. Pirlo bate falta de longe e Kaká aproveita um bate-rebate na área da Juventus para acertar um lindo voleio, marcando um golaço no ângulo à direita de Chimenti: 2 a 0. No fim do primeiro tempo, Pirlo faz o terceiro gol em uma cobrança de falta. Desta vez o goleiro Chimenti ajuda, e a bola passa por baixo de suas mãos (3 a 0).
No segundo tempo o jogo é bastante duro e disputado e há também algumas entradas desleais, principalmente do lado da Juventus que, aos 31 minutos, diminui com Trezeguet. O time de Turim ainda tenta pressionar, mas não consegue marcar e a partida termina com o placar de 3 a 1. Agora Juventus 27, Milan 25.
Kaká recebe a nota mais alta do jornalista da Gazzetta dello Sport: 8. Notas altas também para Maldini (7.5) e para Nesta, Pirlo e Gattuso (7).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta, Maldini, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Kaladze)
Kaká
Inzaghi (Vieri), Gilardino (Cafu)


9a rodada, Quarta Feira 26 Outubro 2005, EMPOLI  1 X 3  MILAN

Marcadores: Vannucchi aos 34 pt, Gilardino aos 46 pt, Gilardino aos 5 st, e Vieri aos 10 st

Com Nesta e Stam machucados e Maldini poupado para o próximo jogo contra a Juventus, o treinador Ancelotti utiliza a inédita zaga formada por Cafu, Costacurta, Simic e Kaladze. O Milan começa o jogo dominando, enquanto o Empoli espera compacto em sua metade de campo. Os rubro-negros criam várias ações de gol mas quem passa em vantagem é o Empoli, aos 34 minutos do primeiro tempo, com um tiro de longe de Vannucchi desviado involuntariamente por Simic, que trai o goleiro Dida. Empoli em vantagem sem ter praticamente chutado a gol!
Mas o Milan é muito superior ao Empoli e empata no fim do primeiro tempo com Gilardino após cruzamento de Kaladze. Aos 5 minutos do segundo tempo o Milan passa em vantagem, novamente com Gilardino, após assistência de Rui Costa.
O terceiro gol do Milan é de Vieri, de cabeça, após cruzamento de Seedorf do lado direito do ataque milanista. Este é o primeiro, festejadíssimo, gol de Vieri com a camisa do Milan.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Costacurta, Simic, Kaladze
Seedorf (Vogel), Pirlo, Jankulovski (Gattuso)
Rui Costa
Vieri, Gilardino (Kaká)


8a rodada, Domingo 23 Outubro 2005, MILAN  2 X 1  PALERMO

Marcadores: Caracciolo aos 28 pt, Gattuso aos 30 pt e Inzaghi aos 33 st

O Milan começa o jogo pressionando o Palermo e chegando perto do gol várias vezes. Mas quando o Milan parece estar mais próximo de abrir o placar, o Palermo surpreende-o, aos 28 minutos, em uma jogada rápida pelo lado esquerdo: Grosso cruza a bola na área e Makinwa ajeita de cabeça para Caracciolo completar para o gol sem chances para Dida (0 a 1).
Mas não dá nem tempo para os visitantes comemorarem. Dois minutos depois, Gattuso recebe uma bola fora da área, bate de primeira, encobre o goleiro Santoni e acerta o ângulo direito do gol. Um golaço (1 a 1).
O Milan segue pressionando no jogo e volta ainda mais ofensivo no segundo tempo. Aos 31 minutos consegue virar o resultado: Jankulovski faz um cruzamento perfeito para Inzaghi que de cabeça mergulha e marca o seu primeiro gol após ter ficado afastado dos gramados durante vários meses (2 a 1).
Em vantagem, o Milan sabe administrar o resultado e conquista três pontos muito importantes para continuar na vice-liderança (Juventus 24, Milan 19).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Costacurta, Maldini, Serginho
Gattuso (Seedorf), Vogel (Pirlo), Jankulovski
Kaká
Inzaghi, Gilardino (Vieri)


7a rodada, Domingo 16 Outubro 2005, CAGLIARI  0 X 2  MILAN

Marcadores: Gilardino ao 1o pt e Shevchenko aos 27 pt

Na última temporada o treinador Carlo Ancelotti praticamente não utilizou o turn-over e fez jogar quase sempre os mesmos onze jogadores que chegaram ao mês de Maio sem forças e exaustos e perderam seja a Champions League seja o Campeonato Italiano. Jogadores importantes como Brocchi, Dhorasoo, Serginho, Simic, Rui Costa e Ambrosini jogaram somente alguns minutos.
Nesta temporada Ancelotti parece ter aprendido a lição e no jogo de hoje em Cagliari faz descansar Cafu, Kaladze, Pirlo e Kaká para poupá-los para o jogo de Champions League da próxima Quarta Feira contra o PSV Eindhoven.
O Milan derrota o Cagliari com o placar de 2 a 0 graças a duas falhas defensivas do adversário:
a) no primeiro minuto de jogo Gilardino lança-se na defesa adversária, ataca e dribla quatro zagueiros e chuta para vencer o goleiro Carini (0 a 1).
b) aos 28 minutos, ainda do primeiro tempo, Shevchenko experimenta um chute da intermediária e a bola passa embaixo dos braços esticados de Carini (2 a 0).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Costacurta, Maldini, Serginho
Gattuso, Vogel, Seedorf
Rui Costa (Kaká)
Shevchenko (Inzaghi), Gilardino (Jankulovski)


6a rodada, Domingo 2 Outubro 2005, MILAN  2 X 1  REGGINA

Marcadores: Maldini aos 5 pt, Maldini aos 20 pt e Cavalli aos 48 st

O Milan bate facilmente a Reggina com o placar de 2 a 1 e exalta o seu capitão Paolo Maldini que contra os calabreses vive uma jornada histórica realizando a sua primeira “doppietta”.
Em uma tarde chuvosa o Milan começa o jogo arrasador, não dando a menor chance para a frágil Reggina estruturar qualquer jogada. Logo aos 5 minutos, o capitão Maldini marca um belo gol: tabela pela esquerda com Serginho e Seedorf, mete a bola entre as pernas de seu marcador na entrada da área, e bate rasteiro, em diagonal, de pé direito, vencendo o goleiro Pavarini (1 a 0). Aos 20 minutos, Maldini aproveita cobrança milimétrica de escanteio de Rui Costa pela direita e cabeceia para fazer 2 a 0.
A Reggina não consegue reagir diante da superioridade técnica do Milan e só consegue diminuir no último minuto dos acréscimos, com Cavalli. Como era de se esperar Maldini recebe nota 8 do jornalista da Gazzetta dello Sport. Também Stam recebe uma nota alta: 7. Com o resultado, o Milan vai a 13 pontos e assume a vice-liderança do Campeonato Italiano, 5 pontos atrás da Juventus que derrota a Inter em Turim.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam, Nesta, Maldini, Serginho
Gattuso, Vogel, Seedorf
Rui Costa
Shevchenko (Kaká), Vieri


5a rodada, Domingo 25 Setembro 2005, TREVISO  0 X 2  MILAN

Marcadores: Shevchenko de pênalti aos 44 pt e Gilardino aos 28 st

Nesta quinta rodada o Milan joga fora de casa contra o Treviso que está disputando a sua primeira temporada na máxima divisão do Campeonato Italiano. Uma vez que o estádio do Treviso não comporta 15 mil espectadores, quantidade mínima exigida pela Lega Italiana, o jogo acontece na vizinha cidade de Padova.
Até agora o Treviso colecionou 4 derrotas em 4 jogos e contra o Milan tenta obter o seu primeiro ponto. O Milan é tecnicamente muito superior ao Treviso e, a pesar de não jogar muito bem, consegue ganhar com o placar de 2 a 0. É também importante notar que pela segunda rodada seguida o Milan não toma gols.
O primeiro gol do Milan acontece aos 44 minutos do primeiro tempo e é realizado por Shevchenko cobrando um pênalti concedido pelo juiz Palanca de Roma por falta do goleiro Zancopé sobre Gilardino. O segundo é marcado por Gilardino, aos 28 minutos do segundo tempo, de cabeça, após assistência de Gattuso.
Assim o Milan alcança 10 pontos na classificação, 5 pontos atrás da líder Juventus que continua ganhando todos os jogos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Cafu), Nesta, Maldini, Serginho
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Kaladze)
Kaká
Shevchenko (Rui Costa), Gilardino


4a rodada, Quarta Feira 21 Setembro 2005, MILAN  2 X 0  LAZIO

Marcadores: Shevchenko aos 12 pt e Kaká aos 14 pt

Após a derrota com a Sampdoria no último Domingo, o Milan levanta a cabeça em San Siro na partida contra a Lazio, joga com convicção e garra e ganha 3 pontos importantes graças aos gols de Shevchenko e Kaká, ambos nos primeiros 15 minutos de jogo.
Shevchenko abre o placar aos 12 minutos: em uma ação toda pessoal o ucraniano entra na área, com um drible seco deixa parado o lazial Stendardo e de pé direito bate o goleiro Sereni no primeiro pau. Nem o tempo de comemorar que chega o segundo gol do Milan com Kaká: cruzamento baixo de Pirlo, Vieri não acha a bola, mas Kaká vem de trás e a um metro da linha enfia na rede. Em seguida o Milan administra a partida sem correr riscos e o jogo termina com o placar de 2 a 0.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Nesta (Costacurta), Stam, Kaladze
Ambrosini, Pirlo, Seedorf (Gattuso)
Kaká
Shevchenko, Vieri (Serginho)


3a rodada, Domingo 18 Setembro 2005, SAMPDORIA  2 X 1  MILAN

Marcadores: Gilardino aos 17 pt, Bonazzoli aos 38 pt e Tonetto aos 12 st

O Milan inicia bem o jogo contra a Sampdoria e aos 18 minutos acha o caminho do gol: Pirlo serve Shevchenko verticalmente, este com um toque de calcanhar lança Gilardino que diante do goleiro Antonioli não erra o gol da vantagem (1 a 0). Gilardino vibra muito porque se trata do seu primeiro gol com a camisa do Milan.
Jogando em casa, a Sampdoria não se intimida com o elenco estrelado do rival e empurrada por uma torcida inflamada, parte para cima, se aproveita das dificuldades que o Milan tem nas bolas altas e empata aos 38 minutos: Tonetto cruza para Castellini que de cabeça acerta o travessão; Bonazzoli pega o rebote e chuta forte sem chances para Dida (1 a 1).
No segundo tempo, o jogo permanece disputado mas com poucas chances, até que aos 13 minutos Diana cruza para a área do Milan. Stam afasta de cabeça mas a bola chega a Tonetto que chuta forte virando o jogo para a Sampdoria (2 a 1).
A partir daí o Milan pressiona com todas as forças, mas pára na boa atuação do goleiro Antonioli e na má-pontaria de seus atacantes Shevchenko e Gilardino, que perdem uma clara oportunidade cada um.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu (Vieri), Stam, Maldini, Kaladze
Gattuso (Serginho), Pirlo (Ambrosini), Seedorf
Kaká
Gilardino, Shevchenko


2a rodada, Sábado 10 Setembro 2005, MILAN  3 X 1  SIENA

Marcadores: Ambrosini aos 15 pt, Shevchenko aos 31 pt, Tudor aos 45 pt e Kaká aos 31 st

Na primeira partida da temporada 2005/06 no estádio San Siro o treinador Ancelotti leva para o banco, para fazê-los descansar, Cafu, Kaladze, Gattuso e Kaká que disputaram com as respectivas seleções as partidas de qualificação para o Mundial 2006. Eles estarão assim descansados para o jogo da Champions League da próxima Terça Feira contra os turcos do Fenerbahce.
O Milan inicia forte, agride o Siena desde os primeiros minutos e passa em vantagem aos 15 minutos: Stam verticaliza para Shevchenko que voa pela direita, dribla um adversário e mete no meio para Ambrosini que de esquerda manda na rede. Os rubro-negros insistem no ataque e aos 31 minutos Shevchenko dobra o placar com um belo chute de fora da área.
Mas no fim do primeiro tempo o Milan mostra novamente o seu principal problema na defesa: tomar gols em ações de bola parada. Tinha acontecido muitas vezes na última temporada, aconteceu no último jogo contra o Ascoli em uma cobrança de falta e acontece de novo hoje em uma cobrança de escanteio: Chiesa cobra da bandeirinha à direita de Dida e o ex-juventino Tudor de cabeça faz o gol do 2 a 1, enquanto os defensores do Milan ficam olhando.
O Milan no segundo tempo procura insistentemente o terceiro gol para garantir os três pontos e aos 36 minutos Kaká, que substituíra Rui Costa, faz uma das suas arrancadas características e de pé esquerdo marca o gol do 3 a 1.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Stam (Cafu), Nesta, Maldini, Serginho
Ambrosini, Pirlo, Seedorf (Gattuso)
Rui Costa (Kaká)
Gilardino, Shevchenko


1a rodada, Domingo 28 Agosto 2005, ASCOLI  1 X 1  MILAN

Marcadores: Cudini aos 12 st e Shevchenko aos 18 st

Na primeira rodada da temporada 2005/06 o Milan joga fora de casa contra o Ascoli, time que está voltando à Primeira Divisão do Campeonato Italiano após 13 anos passados nas séries inferiores. A partida é fortemente condicionada pela chuva que, minutos antes do jogo, caiu de modo torrencial sobre o estádio e a cidade deixando o campo impraticável em muitas suas partes.
As más condições do gramado não permitem que o Milan faça valer a sua superioridade técnica. Por bem duas vezes os jogadores do Milan pedem ao juiz De Santis de Roma a suspensão do jogo mas ele não aceita.
Com o passar dos minutos a chuva cessa e o terreno melhora. O Milan faz a partida, mas incrivelmente é o Ascoli que passa em vantagem aos 12 minutos do segundo tempo: Foggia cobra falta, Quagliarella cabeceia, Dida rebate, mas chega Cudini que enfia no canto oposto. A equipe de Carlo Ancelotti não desanima e replica após seis minutos com Shevchenko: o goleador ucraniano empata com um forte chute de pé direito, de fora da área, que supera o goleiro Coppola. O Milan tenta então o forcing final mas a chuva volta a cair forte novamente e os rubro-negros não conseguem achar o segundo gol que significaria a vitória. O Milan inicia assim o Campeonato com um empate fortemente ligado às condições climáticas.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Cafu, Stam, Nesta, Kaladze (Jankulovski)
Ambrosini, Pirlo (Seedorf), Serginho
Kaká
Gilardino, Shevchenko


para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

logotipo do Milan
Valid XHTML 1.1!   Valid CSS!