milan milan milan milan-brasil milan milan milan
para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

JOGOS DO MILAN NA TEMPORADA 2002-2003

34a rodada, Sábado 24 Maio 2003, PIACENZA  4 X 2  MILAN

O Milan está se preparando para a Final da Champions League da próxima Quarta Feira 28 Maio 2003 em Manchester, na Inglaterra. Portanto, como se pode ver na escalação, o treinador Ancelotti faz jogar em Piacenza um time cheio de reservas.
O Milan é derrotado com o placar de 4 a 2 (os dois gols do Milan são de Brocchi) e termina o Campeonato Italiano na terceira colocação com 61 pontos, atrás da campeã Juventus (72 pontos) e da Inter (65 pontos).

Escalação do Milan (4-4-2)
Fiori
Helveg, Stefani (Dal Bello), Laursen, Aubameyang (Pastrello)
Ba, Dalla Bona, Redondo, Brocchi
Matri (Bortolotto), Piccolo


33a rodada, Sábado 17 Maio 2003, MILAN  3 X 1  BOLOGNA

No jogo contra o Bologna em San Siro, o Milan precisa ganhar 3 pontos para garantir pelo menos a quarta colocação no Campeonato Italiano que permite participar à Champions League 2003/04. Para isso o treinador Ancelotti faz jogar quase todos os titulares que disputaram o euro-derby na última Terça Feira e que ganharam a classificação para a Final da Champions League (somente Maldini é feito descansar).
Com Seedorf em grande forma o Milan derrota o Bologna com o placar de 3 a 1. Aos 23 minutos do primeiro tempo Seedorf sofre falta em área bolognês e Pirlo transforma o pênalti concedido pelo juiz Trefoloni de Siena (1 a 0). No segundo tempo, aos 6 minutos Seedorf faz o gol do 2 a 0 e aos 23 minutos faz o passe para Inzaghi encobrir o goleiro Pagliuca (3 a 0).
Aos 37 minutos do segundo tempo o mesmo Inzaghi erra um pênalti demonstrando mais uma vez a teoria que no Milan somente Pirlo deve cobrar os pênaltis.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Costacurta (Helveg), Roque Junior, Nesta, Kaladze
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Rui Costa (Rivaldo)
Shevchenko (Redondo), Inzaghi


32a rodada, Sábado 10 Maio 2003, BRESCIA  1 X 0  MILAN

No jogo em Brescia o Milan joga praticamente com o time reserva por que o treinador Ancelotti não faz jogar 8 jogadores que tinham jogado o euro-derby na última Quarta Feira 7 Maio 03, para poupá-los para a volta do euro-derby da próxima Terça Feira 13 Maio 03.
Por outro lado o Brescia procura uma vitória para garantir a própria permanência na série A. As reservas do Milan resistem ao Brescia até os 39 minutos do segundo tempo quando o ghanês Apiah faz o gol do 1 a 0 que garante três pontos preciosos para o Brescia.
Nesta rodada a Juventus empata com o Perugia e garante matematicamente o seu vigésimo sétimo "scudetto" quando ainda faltam 2 rodadas para terminar a temporada 2002/03: Juventus 69, Inter 61, Milan 58 e Lazio 57.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Laursen, Roque Junior, Kaladze (Maldini)
Brocchi, Ambrosini, Redondo (Pirlo), Serginho (Shevchenko)
Tomasson, Rivaldo


31a rodada, Sábado 3 Maio 2003, MILAN  2 X 0  COMO

O Milan joga em San Siro contra o Como, pensando ao euro-derby com a Inter da próxima Quarta Feira 7 Maio 2003. Os rubro-negros não encontram a menor dificuldade em derrotar, com o placar de 2 a 0, o já rebaixado Como. O primeiro gol é marcado por Inzaghi de pênalti aos 10 minutos do primeiro tempo e o segundo por Nesta aos 13 minutos do segundo tempo após falta cobrada por Rivaldo e passe de cabeça de Inzaghi.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Roque Junior, Maldini (Kaladze)
Gattuso, Ambrosini (Seedorf), Brocchi
Rivaldo
Shevchenko, Inzaghi (Tomasson)


30a rodada, Sábado 26 Abril 2003, ROMA  2 X 1  MILAN

O Milan joga em Roma, contra a Roma, apenas 3 dias após o dramático jogo em San Siro contra o Ajax pelas Quartas de Final da Champions League no qual conseguiu a classificação para as Semifinais somente aos 46 minutos do segundo tempo.
É natural que o Milan jogue pensando mais à Champions League do que ao Campeonato Italiano, praticamente já ganho pela Juventus. A Roma consegue fazer dois gols no segundo tempo com Cassano aos 15 minutos (1 a 0) e com Tommasi aos 31 minutos (2 a 0). O único gol do Milan é marcado pelo danês Tomasson aos 36 minutos (2 a 1).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta (Laursen), Maldini, Kaladze
Brocchi, Redondo, Ambrosini (Dalla Bona)
Rui Costa
Tomasson, Shevchenko (Inzaghi)


29a rodada, Sábado 19 Abril 2003, MILAN  0 X 1  EMPOLI

O Milan inicia o jogo contra o Empoli em San Siro sem 8 titulares (Simic e Gattuso suspensos, Maldini, Pirlo, Seedorf e Rui Costa machucados, Shevchenco e Kaladze no banco por que não em perfeitas condições físicas) e é derrotado com o placar de 0 a 1.
O gol é marcado pelo empolês Di Natale aos 12 minutos do primeiro tempo, em ação de contra-ataque e em clara posição de impedimento não relevada pelo juiz nem pelo bandeirinha. Os rubro-negros atacam durante todo o resto do jogo mas não conseguem empatar e abandonam assim as últimas esperanças de ganhar o "scudetto" uma vez que a líder Juventus está 9 pontos na frente quando faltam somente 5 rodadas para terminar esta temporada.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Helveg (Ba), Nesta, Laursen, Costacurta
Brocchi, Ambrosini (Shevchenko), Serginho (Kaladze)
Rivaldo
Tomasson, Inzaghi


28a rodada, Sábado 12 Abril 2003, INTER  0 X 1  MILAN

O Milan joga melhor do que a Inter desde o primeiro minuto de jogo mas parece que a sorte não esteja do seu lado. De fato:
1) aos 18 minutos do pt Serginho bate um escanteio, Rui Costa cabeceia forte para o gol, mas o interista Javier Zanetti salva sobre a linha do gol.
2) aos 39 minutos do pt Shevchenko corrige para o gol, de calcanhar, um chute de longe de Costacurta, mas a bola passa a poucos centímetros do poste esquerdo do gol defendido pelo goleiro Toldo.
3) aos 6 minutos do st Toldo faz, de pé, uma defesa milagrosa após chute de Inzaghi.
4) aos 8 minutos do segundo tempo capitão Maldini recebe uma cotovelada de Vieri e quebra o septo nasal. É obrigado a abandonar o gramado substituído por Laursen.
Finalmente aos 17 minutos Rui Costa faz um perfeito passe em profundidade para Inzaghi que não perde a oportunidade de fazer o gol do 0 a 1. Em seguida Cordoba faz dura falta sobre Serginho e é expulso e o Milan, em 11 contra 10, não corre mais nenhum risco até o fim do jogo. O Milan coleciona assim a segunda vitória no derby na mesma temporada e agora está a 6 pontos da líder Juventus.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini (Laursen), Costacurta
Gattuso, Rui Costa, Ambrosini, Serginho (Brocchi)
Shevchenko, Inzaghi (Rivaldo)


27a rodada, Sábado 5 Abril 2003, PARMA  1 X 0  MILAN

O Milan joga na cidade de Parma com o objetivo de ganhar os três pontos e manter vivas ainda as possibilidades de ganhar o "scudetto". O jogo é equilibrado até os 32 minutos do segundo tempo quando o brasileiro Adriano faz um bonito gol de calcanhar (1 a 0 para o Parma).
Nos poucos minutos que ainda faltam para terminar o jogo o Milan tenta empatar mas a sorte não está do seu lado: aos 39 minutos Seedorf acerta o travessão e aos 40 minutos Inzaghi faz gol mas o juiz não convalida por que o bandeirinha Pisacreta lhe sinaliza posição de impedimento do mesmo Inzaghi. De acordo com todos os jornalistas, o impedimento de Inzaghi era inexistente.
Agora o Milan está novamente 8 pontos atrás da líder Juventus que derrota o Torino no derby da cidade de Turim.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Costacurta
Gattuso (Tomasson), Ambrosini, Pirlo (Seedorf), Serginho
Shevchenko (Rivaldo), Inzaghi


26a rodada, Sábado 22 Março 2003, MILAN  2 X 1  JUVENTUS

No jogo em San Siro contra a líder Juventus, o treinador Carlo Ancelotti tem a coragem de deixar no banco o campeão mundial Rivaldo que não está atravessando um bom período de forma e adota o esquema 4-4-2 com Rui Costa na faixa direita do meio-de-campo e com Inzaghi e Shevchenko como pontas.
O Milan parte muito forte e aos 4 minutos Shevchenko recebe a bola de Rui Costa na faixa direita do ataque milanista e chuta sobre o goleiro Buffon. A bola rebatida volta nos pés do mesmo Shevchenko que não tem dificuldades em fazer o gol do 1 a 0.
Seis minutos mais tarde o juventino Nedved empata o jogo cobrando falta, ajudado também por um meio-frango do goleiro milanista Dida, mas aos 24 minutos, ainda do primeiro tempo, Inzaghi põe novamente o Milan na frente fazendo o gol do 2 a 1 após receber a bola de Pirlo.
No segundo tempo a Juventus ataca mais para tentar o empate, mas o Milan tem o goleiro em grande forma. Dida se faz perdoar o meio-frango do primeiro tempo fazendo duas defesas milagrosas: aos 9 minutos desviando em escanteio um chute de Zelayeta, e aos 40 minutos desviando sobre o travessão uma cabeceada de Nedved.
Agora, quando faltam 8 rodadas para acabar a temporada, o Milan está 5 pontos atrás da líder Juventus.

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Nesta, Costacurta (Laursen), Maldini
Rui Costa (Ambrosini), Gattuso, Pirlo, Seedorf
Shevchenko (Serginho), Inzaghi


25a rodada, Sábado 15 Março 2003, REGGINA  0 X 0  MILAN

No jogo de Champions League da última Quarta Feira contra o Real Madrid, o treinador Carlo Ancelotti tinha feito descansar vários titulares para poupá-los para o jogo de hoje contra a Reggina na cidade de Reggio Calabria. Mas tudo isto não serviu por que o Milan não vai além de um empate em 0 a 0 apesar dos desesperados ataques na última parte do jogo quando a Reggina joga em 10 devido à expulsão do próprio goleiro Berardi responsável de tocar a bola com um braço fora da área.
É muito criticada a escolha de Ancelotti que prefere o evanescente Rivaldo à Shevchenko, que começa a se cansar de ficar no banco. O treinador insiste em Rivaldo também no segundo tempo esperando em uma reação de orgulho do campeão brasileiro. Ma a paciência de Ancelotti há um limite e aos 18 minutos substitui Rivaldo com o danês Tomasson (não com Shevchenko como parecia natural). Somente aos 35 minutos Shevchenko é feito entrar no gramado no lugar de Gattuso.
O Milan está agora 8 pontos atrás da Juventus que continua ganhando todos os jogos.

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic, Nesta, Costacurta, Maldini
Gattuso (Shevchenko), Pirlo, Seedorf
Rivaldo (Tomasson), Rui Costa
Inzaghi


24a rodada, Domingo 9 Março 2003, MILAN  0 X 0  CHIEVO

Devia ser uma rodada favorável ao Milan que jogava em casa contra o Chievo enquanto seja a Juventus seja a Inter jogavam fora de casa contra adversários difíceis (Udinese e Bologna respectivamente). Mas acontece exatamente o contrário: Juventus e Inter ganham fora de casa e o Milan não consegue sair do empate em 0 a 0. Este é o terceiro empate seguido do Milan em San Siro após o 2 a 2 com a Lazio e o 3 a 3 com a Atalanta. O Milan mostra-se vivo mas o Chievo nunca perde a concentração e consegue empatar.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze (Laursen)
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Rui Costa
Shevchenko (Tomasson), Inzaghi


23a rodada, Domingo 2 Março 2003, MILAN  3 X 3  ATALANTA

Ninguém poderia ter adivinhado o placar aos 30 minutos do primeiro tempo do jogo em San Siro entre o Milan e a Atalanta. De fato após meia hora de jogo o Milan estava perdendo com o placar de 0 a 3!!! A Atalanta tinha passado em vantagem logo no primeiro minuto de jogo com um clamoroso gol contra de capitão Maldini. O atalantino Rossini tinha em seguida feito 2 gols aos 28 minutos (de cabeça após assistência de Gautieri) e aos 30 minutos (após passe de Doni).
A este ponto nenhum torcedor do Milan tinha a menor esperança de um resultado positivo. Mas o Milan de Ancelotti tem muita força de vontade e guiado por Inzaghi em grande forma consegue empatar e também chegar perto da vitória como mostrado a seguir:
a) aos 35 minutos do pt Inzaghi faz o gol do 1 a 3 após passe em profundidade de Seedorf;
b) aos 48 minutos do pt o juiz Farina de Novi Ligure concede um pênalti a favor do Milan por falta sobre Inzaghi. Desta vez Ancelotti não tem a coragem que teve durante o jogo contra o Modena quando fez entrar Pirlo, o especialista em cobrar pênaltis. Pirlo fica no banco, Rivaldo cobra mas acerta o poste. É o segundo pênalti errado por Rivaldo, o quarto errado pelo Milan;
c) aos 2 minutos do st Rui Costa acerta o travessão. A este ponto tudo parece dar errado para o Milan;
d) aos 25 minutos do st Tomasson faz o gol do 2 a 3 após cruzamento de Helveg;
e) aos 34 minutos do st Inzaghi empata de cabeça (3 a 3) após cruzamento perfeito de Rui Costa;
f) aos 42 minutos do st o goleiro atalantino Taibi faz uma defesa milagrosa após chute de Rivaldo. Podia ser o gol do 4 a 3.
O Milan continua terceiro na classificação do Campeonato Italiano, um ponto atrás da Inter e 4 pontos atrás da líder Juventus.
Inzaghi e Gattuso são julgados os melhores jogadores do Milan e ambos recebem nota 8 do jornalista da Gazzetta dello Sport. A maioria dos jogadores do Milan recebe nota negativa (Maldini considerado o pior de todos, nota 4.5) pelas graves falhas defensivas do primeiro tempo.

Escalação do Milan (4-2-3-1)
Dida
Costacurta, Nesta, Maldini, Kaladze (Helveg)
Gattuso, Seedorf (Tomasson)
Rui Costa (Pirlo), Rivaldo, Serginho
Inzaghi


22a rodada, Sábado 22 Fevereiro 2003, TORINO  0 X 3  MILAN (jogo suspenso aos 19st por desordens causadas pelos torcedores do Torino)

O Milan não encontra a menor dificuldade em derrotar o Torino, penúltimo na classificação do campeonato italiano e que tem ganhado somente 7 pontos nos últimos 13 jogos (7 empates e 6 derrotas). A diferença técnica entre os dois times é assim grande que no fim do primeiro tempo o Milan é já em vantagem de três gols. O primeiro gol é marcado por Inzaghi aos 2 minutos após ação Serginho-Maldini. Seedorf faz o segundo gol diretamente cobrando falta aos 43 minutos e o mesmo Seedorf faz o gol do 3 a 0 após driblar vários adversários, aos 48 minutos.
No segundo tempo, aos 19 minutos, o juiz Palanca de Roma é obrigado a suspender o jogo devido às desordens causadas pelos torcedores do Torino inconformados com esta nova derrota do próprio time.
Seedorf e Redondo são julgados os melhores jogadores do Milan pelo jornalista da Gazzetta dello Sport e recebem nota 8. Maldini e Serginho recebem nota 7. O Milan continua na terceira colocação do Campeonato Italiano, dois pontos atrás dos líderes Inter e Juventus.

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic, Costacurta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Redondo, Seedorf
Rui Costa, Serginho (Brocchi)
Inzaghi


21a rodada, Domingo 16 Fevereiro 2003, MILAN  2 X 2  LAZIO

O Milan do primeiro tempo é muito lento e a Lazio consegue fazer dois gols:
a) aos 21 minutos com Stankovic encontrado livre na direita do ataque lazial, na região onde deveria estar Kaladze;
b) aos 30 minutos quando o juiz Collina concede um pênalti muito duvidoso contra o Milan por uma falta (?) de Nesta sobre Corradi. O argentino Lopez transforma em gol.
No intervalo, quando tudo parecia perdido para o Milan, o treinador Ancelotti transforma o time substituindo Gattuso, muito nervoso durante todo o primeiro tempo, com Inzaghi e Kaladze com Laursen. Inzaghi fornece mais profundidade às manobras do Milan e cria o pânico na defesa adversária.
O mesmo Inzaghi faz o gol do 1 a 2 aos 17 minutos e faz a assistência para Rivaldo empatar o jogo aos 25 minutos (2 a 2). O Milan tenta o gol da vitória até o último minuto mas não consegue e o jogo termina empatado em 2 a 2. Sem dúvida pode-se dizer que este segundo tempo contra a Lazio foi um dos melhores jogados pelo Milan nos últimos tempos. Inzaghi é julgado o melhor do Milan e recebe nota 7.5 do jornalista da Gazzetta dello Sport. Também Pirlo recebe nota alta: 7.
Agora o Milan ocupa a terceira colocação da classificação do Campeonato Italiano, 2 pontos atrás de Juventus e Inter.

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic (Brocchi), Nesta, Costacurta, Kaladze (Laursen)
Gattuso (Inzaghi), Pirlo, Ambrosini
Rivaldo, Seedorf
Shevchenko


20a rodada, Domingo 9 Fevereiro 2003, PERUGIA  1 X 0  MILAN

Aos 36 minutos do primeiro tempo um forte chute de fora da área do perugino Miccoli entra no canto alto à direita do goleiro Dida e coloca o Perugia em vantagem de 1 a 0. No segundo tempo o Milan ataca mais mas de maneira desordenada, lenta e sem idéias. Similarmente ao que aconteceu há duas semanas em Udine, o Milan é derrotado com o placar de 1 a 0. Com esta derrota o Milan perde a liderança do Campeonato Italiano uma vez que a Inter ganha novamente. Agora Inter 45, Milan e Juventus 42.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Roque Junior (Costacurta), Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Redondo (Pirlo), Seedorf
Rui Costa
Shevchenko, Inzaghi (Tomasson)


19a rodada, Domingo 2 Fevereiro 2003, MILAN  2 X 1  MODENA

Nos primeiros 18 jogos desta temporada do Campeonato Italiano o Milan recebeu 9 pênaltis a favor. Três destes pênaltis foram errados por Serginho, Rivaldo e Inzaghi e os outros 6 foram todos transformados por Andrea Pirlo. Portanto parece que finalmente o Milan encontrou em Pirlo um ótimo batedor de pênaltis.
Nesta décima nona rodada, contra o Modena em San Siro, o treinador Ancelotti deixa Pirlo no banco para fazer jogar no seu lugar o argentino Redondo e o interessante acontece aos trinta minutos do segundo tempo quando, com o placar ainda em 0 a 0, o modenês Ponzo faz falta em área sobre Kaladze e o juiz concede um pênalti a favor do Milan.
Os torcedores do Milan ficam preocupados por que o cobrador de pênaltis, Pirlo, está no banco, mas Ancelotti não tem dúvidas e instantaneamente substitui Redondo com Pirlo que friamente transforma o pênalti (agora 7 acertos em 7 cobranças).
Uma vez passado em vantagem, tudo fica mais simples para o Milan por que o Modena é obrigado a se abrir para tentar o gol do empate. O Milan faz assim o gol do 2 a 0 aos 35 minutos com Inzaghi que recebe um passe perfeito de Rivaldo. Já nos acréscimos Scoponi faz um gol para o Modena e o jogo termina com a vitória do Milan com o placar de 2 a 1.
Kaladze é julgado o melhor jogador do Milan pelo jornalista da Gazzetta dello Sport e recebe nota 7. Na classificação do Campeonato Italiano o Milan e a Inter ocupam a liderança com 42 pontos. A Juventus é terceira com 39 pontos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Rivaldo), Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Redondo (Pirlo), Seedorf
Rui Costa
Shevchenko (Tomasson), Inzaghi


18a rodada, Domingo 26 Janeiro 2003, UDINESE  1 X 0  MILAN

No jogo em Udine o treinador do Milan, Carlo Ancelotti, adota o esquema piramidal 4-3-2-1 com Inzaghi como única ponta. Durante todo o primeiro tempo o Milan sofre a pressão da Udinese que passa em vantagem aos 37 minutos com Pizarro cobrando um pênalti concedido pelo juiz Paparesta de Bari para punir uma falta de mão em área de capitão Maldini. Portanto o primeiro tempo termina justamente com a Udinese em vantagem com o placar de 1 a 0.
No segundo tempo o Milan parece ter a chance de pelo menos empatar por que logo aos 3 minutos Sensini é expulso por falta de último homem sobre Inzaghi. A Udinese é assim obrigada a jogar quase todo o segundo tempo em 10 contra 11. O Milan passa a jogar com duas pontas com a substituição de Rivaldo com Shevchenko, mas não consegue empatar por que ataca de maneira desordenada. O jogo termina assim com a vitória da Udinese com o placar de 1 a 0, devido ao pênalti transformado por Pizarro.

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic (Brocchi), Nesta, Maldini, Kaladze
Ambrosini, Pirlo (Gattuso), Seedorf
Rui Costa, Rivaldo (Shevchenko)
Inzaghi


17a rodada, Domingo 19 Janeiro 2003, MILAN  2 X 1  PIACENZA

O Milan derrota o Piacenza e, ajudado também pela humilhante derrota da Inter a Perugia (4 a 1), conclui a primeira parte do Campeonato Italiano como líder da classificação com 39 pontos e ganha assim o título platônico de Campeão de inverno.
Ancelotti, devido ao turnover, deixa Rui Costa, Seedorf e Gattuso no banco. O Piacenza treinado por Agostinelli joga bem fechado na defesa, com os meio-campistas que fazem um bom filtro e com Hubner sozinho no ataque, pronto a desfrutar o contra-ataque.
O Milan esbarra no muro defensivo dos piacentinos e não consegue passar em vantagem durante todo o primeiro tempo. No início do segundo tempo o Milan chega perto do gol duas vezes com Inzaghi, mas é o Piacenza que passa em vantagem aos 8 minutos com o bielo-russo Gurenko em uma rápida ação de contra-ataque (0 a 1).
Mas o Piacenza não tem o tempo de comemorar a vantagem por que aos 9 minutos Maresca faz falta sobre Inzaghi e Pirlo transforma o pênalti concedido pelo juiz De Santis de Tivoli (1 a 1). Pode-se dizer que finalmente o Milan encontrou em Pirlo um jogador que sabe bater os pênaltis. Este é o sexto pênalti seguido transformado por Pirlo.
O Milan faz o gol do 2 a 1 e dos três pontos aos 24 minutos com o brasileiro Rivaldo que recebe uma assistência de Inzaghi. De acordo com o jornalista da Gazzetta dello Sport, os melhores jogadores do Milan foram Dida, Pirlo e Rivaldo que recebem nota 7.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Costacurta, Maldini, Kaladze
Ambrosini, Pirlo, Serginho (Seedorf)
Rivaldo
Shevchenko (Tomasson), Inzaghi (Gattuso)


16a rodada, Domingo 12 Janeiro 2003, BOLOGNA  0 X 2  MILAN

A "regra do sete" continua válida! Na ultima rodada o Milan, que até então tinha ganhado 7 jogos seguidos em San Siro, não foi além de um empate no jogo em casa contra o Brescia. Ontem a Lazio, que tinha ganhado 7 jogos seguidos fora de casa, não foi além de um empate na cidade de Brescia. Hoje o Bologna, que tinha ganhado 7 jogos seguidos em casa, é derrotado em casa pelo Milan com o placar de 0 a 2.
No primeiro tempo o treinador Ancelotti escolhe o esquema piramidal 4-3-2-1 com Rui Costa e Rivaldo atrás da única ponta Shevchenko, preferido a Inzaghi. No meio de campo Ambrosini é preferido a Pirlo.
No intervalo, após um primeiro tempo sem história, Ancelotti substitui Rui Costa com Serginho e a entrada do brasileiro confere maior velocidade e periculosidade aos rubro-negros. As corridas de Serginho na faixa esquerda desorientam o Bologna.
O Milan passa em vantagem aos 6 minutos do segundo tempo com Shevchenko e faz o gol do 0 a 2 aos 33 minutos com Serginho.
Após 16 rodadas, os dois times de Milão (Milan e Inter) estão em fuga com 36 pontos. A Lazio está com 33 pontos e a Juventus e o Chievo com 32 pontos.

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Ambrosini, Seedorf (Pirlo)
Rui Costa (Serginho), Rivaldo
Shevchenko (Tomasson)


15a rodada, Domingo 22 Dezembro 2002, MILAN  0 X 0  BRESCIA

Após 7 vitórias seguidas em San Siro, o Milan não vai além de um empate em 0 a 0 no jogo contra o Brescia e deve-se dizer que o empate é um resultado justo. De fato o Brescia, treinado por Mazzone, se apresenta muito bem organizado e não faz jogar o Milan.
Em todos os noventa minutos há somente duas ações perigosas. Aos 34 minutos do primeiro tempo Pirlo bate uma falta e acerta o poste à direita do goleiro bresciano Sereni. Dois minutos mais tarde Roberto Baggio se livra de Simic e chuta certo de fazer gol mas o goleiro Dida, de pé, faz uma defesa milagrosa.
Após este empate o Milan divide a liderança do Campeonato Italiano com a Inter com 33 pontos. A Lazio está com 32.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Helveg), Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso (Borriello), Pirlo, Seedorf
Rui Costa (Leonardo)
Shevchenko, Inzaghi


14a rodada, Domingo 15 Dezembro 2002, COMO  1 X 2  MILAN

O Milan tinha jogado na última Quarta Feira em Dortmund contra o Borussia pela Champions League e no dia seguinte tinha feito um amistoso no Catar. Portanto era de se esperar que os jogadores do Milan mostrassem cansaço neste jogo em Como, mas isto não acontece e o Milan joga bem e ganha três pontos importantes para o Campeonato. Grã parte do mérito desta vitória é de Massimo Ambrosini que está atravessando um ótimo período de forma. Ele recebe nota 7.5 do jornalista da Gazzetta dello Sport. Nesta e Shevchenko recebem nota 7. O único jogador a receber nota negativa, 5, é Dida responsável pelo gol do empate do Como.
Ambrosini faz o gol do 0 a 1 aos 20 minutos do primeiro tempo após receber um passe de Inzaghi. O Como empata um minuto mais tarde quando Dida não segura a bola após um forte chute de um jogador comasco de fora da área. A bola chega a Pecchia que sem nenhuma dificuldade empata (1 a 1). O Milan faz o gol da vitória aos 42 minutos do primeiro tempo com Shevchenko, de cabeça, após assistência de Ambrosini (1 a 2).
O Milan continua líder do Campeonato Italiano (Milan 32, Lazio 31 e Inter 30).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze (Costacurta)
Ambrosini, Pirlo, Seedorf
Rivaldo (Serginho)
Shevchenko, Inzaghi (Tomasson)


13a rodada, Sábado 7 Dezembro 2002, MILAN  1 X 0  ROMA

No Milan não jogam Dida, Kaladze, Gattuso e Rivaldo, todos machucados e substituídos respectivamente por Abbiati, Chamot, Ambrosini e Serginho.
No primeiro tempo Ancelotti adota o esquema piramidal 4-3-2-1 que utiliza somente uma ponta (Shevchenko preferido a Inzaghi). Nos primeiros 45 minutos o Milan ataca mais mas não consegue passar em vantagem porque a Roma sabe se defender de maneira ordenada.
Aos 15 minutos do segundo tempo Ancelotti decide fazer jogar também a outra ponta Inzaghi e esta substituição se demonstra certa por que 11 minutos mais tarde Filippo Inzaghi faz o gol do 1 a 0 após triangulação com Shevchenko. Os jogadores romanistas reclamam bastante dizendo que Inzaghi se ajudou com a mão no controle da bola mas o juiz Collina convalida o gol por que nem ele nem o bandeirinha viram nada de irregular.
Alguns minutos mais tarde o Milan tem a oportunidade de fazer o gol do 2 a 0 mas o goleiro romanista Antonioli faz uma defesa milagrosa para desviar em ângulo uma cabeceada de Shevchenko.
Também a Roma tem a ocasião para empatar mas Batistuta, sozinho na frente do gol, chuta fora da marca do pênalti.
Após esta vitória o Milan é o líder do Campeonato Italiano (Milan 29, Lazio 28, Inter 27 e Juventus 26).

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Abbiati
Simic, Nesta, Maldini, Chamot (Costacurta)
Ambrosini, Pirlo, Seedorf
Rui Costa, Serginho (Inzaghi)
Shevchenko (Redondo)


12a rodada, Domingo 1o Dezembro 2002, EMPOLI  1 X 1  MILAN

O Milan vai a Empoli, na Toscana, com o objetivo de ganhar os três pontos e o treinador Ancelotti faz jogar ambas as pontas Inzaghi e Shevchenko.
Mas, apesar de o Milan atacar mais, é o Empoli que no fim do primeiro tempo passa em vantagem quando, após um desentendimento entre Rui Costa e Maldini, o empolês Grella lhes rouba a bola e lança em profundidade Rocchi que apesar de ser contrastado por Nesta consegue chutar no gol e bater Dida.
No segundo tempo o Milan volta decidido a virar o placar. Aos 7 minutos Shevchenko empata de cabeça após assistência de Ambrosini, mas o segundo gol não chega devido à ótima organização defensiva do Empoli. O jogo termina assim empatado em 1 a 1.
No Campeonato Italiano, após 12 rodadas, há já 4 times em fuga: a Lazio com 27 pontos e o Milan, a Juventus e a Inter com 26 pontos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Costacurta, Maldini
Gattuso (Seedorf), Pirlo, Ambrosini
Rui Costa (Serginho)
Inzaghi, Shevchenko


11a rodada, Sábado 23 Novembro 2002, MILAN  1 X 0  INTER

O Milan parece ter reencontrado a forma do início desta temporada quando ganhava todos os jogos de goleada. No derby de Milão, o Milan merece derrotar a Inter com o placar de 1 a 0 após dominar os adversários no primeiro tempo e contê-los no segundo.
O gol chega aos 13 minutos do primeiro tempo e é tudo brasileiro: Rivaldo faz um perfeito passe em profundidade para Serginho que dribla dois defensores interistas e também o goleiro Toldo e depois chuta no gol vazio. O Milan com esta vitória alcança a líder Juventus no topo da classificação do Campeonato Italiano com 25 pontos e se prepara para receber em San Siro os espanhóis do Real Madrid no primeiro jogo da Segunda Fase da Champions League 2002/03.
Os jogadores do Milan que mais se sobressaem neste derby são Maldini (que recebe nota 8 do jornalista da Gazzetta dello Sport) e Serginho (nota 7).

Escalação do Milan (4-3-2-1)
Dida
Simic, Costacurta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Pirlo (Ambrosini), Seedorf
Rivaldo, Serginho (Chamot)
Inzaghi (Shevchenko)


10a rodada, Domingo 17 Novembro 2002, MILAN  2 X 1  PARMA

Com dois pênaltis transformados por Pirlo, o Milan derrota o Parma em San Siro com o placar de 2 a 1 após um jogo cheio de emoções. O Milan continua não jogando bem e o comentário do treinador Ancelotti foi o seguinte:
"Foi um jogo muito difícil e muito sofrido especialmente no final. Os três pontos são muito importantes para o Milan por que nos permitem de sair deste momento de ligeiro apagamento. O Parma hoje merecia o empate."
Os momentos mais importantes do jogo foram os seguintes:
- 19 pt: O Milan perde Nesta por problemas na coxa esquerda. É substituído por Costacurta.
- 45 pt: O juiz anula um gol de Simic por impedimento inexistente.
- 3 st: Barone toca a bola com a mão em área. Pirlo transforma friamente o pênalti concedido pelo juiz Bertini de Arezzo (1 a 1).
- 19 st: O parmense Filippini empata após assistência (!) do milanista Kaladze (1 a 1).
- 21 st: Mutu cobra falta e acerta o cruzamento do poste com o travessão à esquerda de Dida (podia ser o gol do 1 a 2).
- 25 st: O juiz concede um outro pênalti ao Milan por falta sobre Ambrosini. Pirlo transforma novamente (2 a 1).
- 29 st: Ambrosini de cabeça acerta o poste à direita do goleiro parmense Frey (podia ser o gol do 3 a 1).
- 50 st: Na última ação do jogo, Bresciano sozinho na frente de Dida chuta acima do travessão, desperdiçando a bola do possível empate.
O Milan continua na terceira colocação da classificação do Campeonato Italiano, 2 pontos atrás da líder Juventus e 1 ponto atrás da Inter.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Helveg), Nesta (Costacurta), Maldini, Kaladze
Ambrosini, Pirlo, Seedorf (Dalla Bona)
Rui Costa
Inzaghi, Rivaldo


9a rodada, Domingo 10 Novembro 2002, JUVENTUS  2 X 1  MILAN

A Juventus inicia o jogo contra o Milan fazendo um forte pressing sobre os meio-campistas milanistas e após vinte minutos é já em vantagem de dois gols. Del Piero, o melhor em campo, joga um ótimo futebol e fornece a assistência para ambos os gols.
O primeiro gol acontece aos 8 minutos quando Pirlo controla a bola de maneira defeituosa e Tacchinardi serve Del Piero que por sua vez cruza para Di Vaio que sozinho no centro da área milanista não tem dificuldades em fazer o gol do 1 a 0.
Aos 21 minutos Pirlo faz um outro erro e Del Piero serve em profundidade Thuram cujo diagonal bate Abbiati (2 a 0).
Quando parecia que a Juventus ia ganhar com um placar tenístico, o Milan se reorganiza em campo e faz o gol do 2 a 1 com Pirlo cobrando pênalti aos 32 minutos do primeiro tempo. Em seguida a Juventus sabe se defender e o jogo termina mesmo com o placar de 2 a 1. É a quarta temporada seguida que a Juventus derrota o Milan no estádio Delle Alpi de Turim.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze (Costacurta)
Ambrosini, Pirlo (Serginho), Seedorf
Rui Costa (Shevchenko)
Inzaghi, Rivaldo


Recuperação da 1a rodada, Quarta Feira 6 Novembro 2002, MILAN  1 X 0  UDINESE

No jogo em San Siro contra a Udinese o técnico Carlo Ancelotti coloca quase força máxima, optando apenas para deixar Rivaldo no banco para não desgastá-lo. Mas a equipe não consegue superar a marcação da Udinese e dá sinais de intranqüilidade. A saída é apelar para Rivaldo, que entra na metade do segundo tempo e mostra por que é um dos melhores jogadores do mundo. O brasileiro dá mais agilidade ao ataque e, em cobrança de falta em cima da hora, aos 44 minutos, confirma mais três pontos para o Milan. A bola ainda roça a cabeça de Sensini, antes de ir para o gol.
Rivaldo recebe nota 7 do jornalista da Gazzetta dello Sport, a nota mais alta entre todos os jogadores do Milan.
Na seqüência, o centroavante Inzaghi desperdiça a chance de aumentar a diferença, ao chutar um pênalti para cima do travessão.
O Milan mantém a vice-liderança do Campeonato Italiano com 19 pontos, três atrás da rival Inter que bate o Empoli fora de casa.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso (Serginho), Pirlo, Seedorf
Rui Costa (Rivaldo)
Inzaghi, Shevchenko (Tomasson)


8a rodada, Domingo 3 Novembro 2002, MILAN  2 X 0  REGGINA

Com Rui Costa em grande forma (ele recebe nota 7.5 do jornalista da Gazzetta dello Sport) o Milan derrota a Reggina em San Siro com o placar de 2 a 0, com um gol por tempo.
Tudo torna-se mais fácil para o Milan a partir dos 18 minutos do primeiro tempo quando Rui Costa entra na área adversária e é aterrado por Vargas. O juiz De Santis de Tivoli expulsa Vargas e concede um pênalti a favor do Milan. Rivaldo bate fraco e o goleiro Castellazzi rebate. Chega Inzaghi e faz o seu centésimo gol na série A (o sétimo nesta temporada).
O segundo gol do Milan é marcado por Rivaldo aos 18 minutos do segundo tempo e o Milan continua na segunda colocação do Campeonato Italiano, três pontos atrás da Inter que apesar de não estar jogando bem, está ganhando a maioria dos seus jogos.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Costacurta (Laursen), Kaladze
Brocchi, Gattuso, Seedorf (Serginho)
Rui Costa (Ambrosini)
Inzaghi, Rivaldo


7a rodada, Sábado 26 Outubro 2002, CHIEVO  3 X 2  MILAN

Um Milan muito cansado pelos jogos da Champions League é derrotado pelo Chievo com o placar de 3 a 2 na cidade de Verona. A maioria dos jogadores do Milan recebe nota insuficiente do jornalista da Gazzetta dello Sport, especialmente Nesta que recebe nota 4 por ser considerado o maior responsável pelos gols do Chievo. Dida e Inzaghi recebem nota 5 e Helveg, Serginho, Seedorf, Rui Costa e Shevchenko nota 5.5.
O Chievo passa em vantagem aos 22 minutos do primeiro tempo quando Corini bate uma falta de quase da metade do campo e Marazzina surpreende toda a defesa do Milan batendo Dida de cabeça. No início do segundo tempo o ex-milanista Oliver Bierhoff faz o gol do 2 a 0, também ele de cabeça.
O Milan sabe reagir e aos 14 minutos Shevchenko, que volta ao time após a operação ao menisco, diminui as distâncias fazendo o gol do 2 a 1 de cabeça após cruzamento de Pirlo.
A partir deste ponto o Milan assedia o Chievo tentando o gol do empate mas no momento da máxima pressão milanista Cossato faz o gol do 3 a 1 aos 39 minutos.
Já nos acréscimos Rui Costa chuta forte, o goleiro Lupatelli rebate e Tomasson faz o gol do 3 a 2.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Helveg), Nesta, Maldini, Kaladze (Tomasson)
Gattuso (Serginho), Pirlo, Seedorf
Rui Costa
Inzaghi, Shevchenko


6a rodada, Domingo 20 Outubro 2002, ATALANTA  1 X 4  MILAN

O Milan encontra em Bergamo a Atalanta que após 4 jogos tem somente um ponto. Os rubro-negros, apesar de serem obrigados a deixar Inzaghi no banco devido a um problema num pé, se demonstram tão superiores à Atalanta que o resultado de 1 a 4 é justo. Rivaldo e Rui Costa são os melhores em campo e merecem nota 8 do jornalista da Gazzetta dello Sport, Seedorf e Maldini recebem nota 7.5 e Pirlo nota 7.
- Aos 15 minutos do primeiro tempo Rivaldo faz o gol do 0 a 1 com um forte chute de fora da área, de um distância de 20 metros.
- Após o empate da Atalanta com o ex-milanista Luigi Sala, o Milan passa novamente em vantagem (1 a 2) aos 41 minutos do primeiro tempo quando Kaladze faz um cruzamento no centro da área atalantina e Rivaldo, de cabeça, fornece a bola ao danês Tomasson que não ha nenhuma dificuldade em fazer o gol de uma distância de menos que um metro.
- No segundo tempo Pirlo faz o gol do 1 a 3 aos 21 minutos cobrando um pênalti concedido por uma falta sobre Rui Costa.
- O último gol (1 a 4) é marcado novamente por Pirlo cobrando uma falta do limite da área. A bola bate no travessão e depois no gramado, além da linha do gol.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Helveg), Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Pirlo, Seedorf
Rui Costa (Ambrosini)
Tomasson, Rivaldo (Serginho)


5a rodada, Domingo 6 Outubro 2002, MILAN  6 X 0  TORINO

O Milan joga em San Siro contra o Torino que ocupa a última colocação na classificação do Campeonato Italiano com zero pontos. Os rubro-negros não tomam conhecimento do time turinês e o derrotam com o placar tenístico de 6 a 0. Três gols são marcados no primeiro tempo (Pirlo cobrando pênalti, Inzaghi e Serginho) e três no segundo (Inzaghi duas vezes e gol contra de Fattori que desvia no próprio gol um chute de Rui Costa).
As notas do jornalista da Gazzetta dello Sport refletem quanto o Milan está jogando bem: Inzaghi recebe nota 8.5, Pirlo e Seedorf nota 7.5 e Nesta, Maldini e Rui Costa nota 7.
Após quatro rodadas o Milan, apesar de ocupar a segunda posição na classificação, dois pontos atrás da Inter, tem o melhor ataque (13 gols) e a melhor defesa (1 gol).

Escalação do Milan (4-4-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso (Della Bona), Pirlo (Brocchi), Rui Costa, Seedorf
Inzaghi, Serginho (Borriello)


4a rodada, Sábado 28 Setembro 2002, LAZIO  1 X 1  MILAN

O treinador Carlo Ancelotti deixa Rui Costa e Pirlo no banco para descansá-los para o difícil jogo da próxima Terça Feira em Munique contra o Bayern pela Champions League.
Apesar desses desfalques, o Milan passa em vantagem logo aos 7 minutos do primeiro tempo com capitão Maldini que, de cabeça, desvia no gol defendido por Peruzzi uma falta cobrada por Rivaldo. Mas a Lazio não se desanima e começa a martelar a defesa milanista que não sabe reagir, talvez pelo cansaço do último jogo contra o Deportivo, em La Corunha, na Espanha.
A Lazio poderia empatar ainda no primeiro tempo se o poste não tivesse rebatido uma falta cobrada por Stam. O empate chega aos 6 minutos do segundo tempo com Lopez e em seguida o Milan consegue se defender até o fim.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta (Laursen), Maldini, Kaladze
Gattuso (Pirlo), Seedorf, Ambrosini
Rivaldo
Inzaghi, Tomasson (Rui Costa)


3a rodada, Sábado 21 Setembro 2002, MILAN  3 X 0  PERUGIA

Parecia que o primeiro tempo ia terminar empatado com o placar de 0 a 0 uma vez que o Perugia estava jogando bem e se defendendo de maneira ordenada. Mas aos 40 minutos Pirlo bate um escanteio do lado direito do ataque milanista e capitão Maldini cabeceia em direção do gol adversário: o goleiro Kalac e o zagueiro Blasi do Perugia ficam parados observando a trajetória da bola que bate no travessão (perto do poste esquerdo) e entra no gol (1 a 0 para o Milan).
A partir deste momento o Perugia é obrigado a se abrir para tentar o gol do empate e isto facilita os contra-ataques do Milan que faz o gol do 2 a 0 com Inzaghi aos 5 minutos do segundo tempo após cruzamento em área do georgiano Kaladze.
Aos 19 minutos Seedorf substitui Rui Costa e um minuto mais tarde ele faz o gol do 3 a 0 após assistência de Inzaghi.
O Milan poderia ter ganhado com o placar de 4 a 0 se Serginho não tivesse chutado contra o poste um pênalti concedido por falta de Blasi sobre o danês Tomasson.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic (Ba), Nesta, Maldini, Kaladze
Ambrosini, Pirlo, Serginho
Rui Costa (Seedorf)
Inzaghi (Borriello), Tomasson


2a rodada, Sábado 14 Setembro 2002, MODENA  0 X 3  MILAN

O Milan inicia a temporada 2002/03 na melhor maneira possível, derrotando fora de casa o Modena com o placar de 3 a 0. Os rubro-negros confirmam um grande potencial técnico após as importantes contratações de Rivaldo, Nesta, Simic, Seedorf, Tomasson e Borriello. A grande maioria dos jornalistas italianos reconhece que o Milan é o mais sério candidato para o "scudetto" 2002/03 e que pode iniciar um novo período dourado parecido ao do fim dos anos 80 e início dos anos 90.
O primeiro gol chega aos 18 minutos do primeiro tempo quando Rui Costa, em grande forma, penetra entre os defensores modeneses, triangula com Tomasson e passa a bola a Inzaghi que faz o gol do 0 a 1.
Aos 9 minutos do segundo tempo Simic faz o gol do 0 a 2, de cabeça, após escanteio batido por Pirlo.
O último gol acontece aos 45 minutos do segundo tempo e é marcado novamente por Inzaghi que recebe uma assistência de Pirlo.
Inzaghi recebe nota 8 do jornalista da Gazzetta dello Sport, Pirlo nota 7.5 e Nesta, Maldini e Rui Costa nota 7.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Dida
Simic, Nesta, Maldini, Kaladze
Gattuso, Pirlo, Seedorf (Brocchi)
Rui Costa (Serginho)
Inzaghi, Tomasson (Rivaldo)


para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

logotipo do Milan
Valid XHTML 1.0!  Valid CSS!