milan milan milan milan-brasil milan milan milan
para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

JOGOS DO MILAN NA TEMPORADA 2001-2002

34a rodada, Domingo 5 de Maio de 2002. MILAN  3 X 0  LECCE

O Milan joga bem e derrota o Lecce com o placar de 3 a 0 com gols de Kaladze e Ambrosini no primeiro tempo e de Shevchenko no segundo tempo. No jogo em Brescia o Bologna é derrotado e portanto o Milan conclui o Campeonato Italiano sozinho na quarta colocação classificando-se para a Champions League da temporada 2002/03 sem necessidade de ter que fazer um jogo desempate com o Bologna.
O Milan neste campeonato ganhou 55 pontos através de 14 vitórias e 13 empates. As derrotas foram 7. Nesta última rodada a líder Inter é surpreendentemente derrotada pela Lazio em Roma e perde o "scudetto" que vai à Juventus (Juventus 71 pontos, Roma 70 pontos e Inter 69 pontos).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Chamot, Maldini, Kaladze
Gattuso (Donati), Ambrosini, Serginho (Rui Costa)
Pirlo (Brocchi)
Inzaghi, Shevchenko


33a rodada, Domingo 28 de Abril de 2002. VERONA  1 X 2  MILAN

O Verona no início do jogo é mais ofensivo do que o Milan e passa em vantagem aos 28 minutos com o romeno Mutu que faz um belo gol de uma distância de 30 metros. Este gol acorda o Milan que na parte restante do jogo cria muitas ações de gol merecendo virar o resultado e ganhar os três pontos:
- Aos 43 minutos do primeiro tempo Pirlo bate uma falta e acerta o poste à direita do goleiro veronês Ferron.
- Aos 4 minutos do segundo tempo o juiz Farina de Novi Ligure concede um pênalti a favor do Milan por falta de Cannavaro sobre Kaladze. O brasileiro Serginho bate mas infelizmente acerta o poste à direita de Ferron e o resultado continua em 1 a 0 a favor do Verona.
- Finalmente aos 20 minutos o Milan empata com Inzaghi que recebe uma assistência de Kaladze (1 a 1).
- Aos 37 minutos o Milan vira o resultado com Pirlo. Também ele recebe uma assistência de Kaladze (1 a 2).
Após esta vitória o Milan passa na frente de Chievo e Lazio derrotados neste Domingo e alcança o quarto lugar juntamente com o Bologna. O último jogo do Milan nesta temporada será em San Siro contra o Lecce já rebaixado para a Série B e o Milan não deverá ter problemas em ganhar este jogo. Se também o Bologna ganhar deverá ser feito um jogo desempate entre o Milan e o Bologna para decidir quem participará da Champions League da próxima temporada.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Chamot, Laursen (Helveg e depois José Mari), Maldini, Kaladze
Gattuso (Contra), Ambrosini, Serginho
Pirlo
Inzaghi, Shevchenko


32a rodada, Domingo 21 de Abril de 2002. MILAN  0 X 0  ROMA

Jogo sem emoções e sem gols entre o Milan e a Roma no estádio San Siro de Milão. O empate serve pouco seja ao Milan (que continua na sexta colocação a dois pontos do Chievo, quarto colocado) seja à Roma (que cai para a terceira colocação na corrida para o "scudetto").
Deve-se notar que aos 25 minutos do segundo tempo o jovem senegalês Sarr substitui Roque Junior na defesa rubro-negra fazendo assim a sua estréia na Série A do Campeonato Italiano. Sarr está com 18 anos de idade tendo nascido em Dakar em 23 de Dezembro de 1983.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Roque Junior (Sarr), Chamot, Laursen, Kaladze
Gattuso (Brocchi), Ambrosini, Serginho
Pirlo
Inzaghi, Shevchenko (Kutuzov)


31a rodada, Domingo 14 de Abril de 2002. JUVENTUS  1 X 0  MILAN

Após um primeiro tempo com poucas ações de gol, o Milan aumenta o ritmo no segundo tempo e quase passa em vantagem com Inzaghi cujo chute passa poucos centímetros acima do travessão. Em seguida o goleiro juventino Buffon faz uma dupla defesa milagrosa rebatendo chutes seguidos de Kaladze e Pirlo.
Mas quase no fim do jogo, quando parece que o resultado final será o empate, a sorte abandona o Milan que é obrigado a jogar os últimos 15 minutos em 10 contra 11 por que Albertini se machuca e deve abandonar o gramado. Albertini não pode ser substituído por que o treinador Ancelotti já tem feito as três substituições permitidas. Em seguida a Juventus passa em vantagem através de um gol contra de Chamot após falta cobrada por Del Piero e assim o Milan sai derrotado de Turim apesar de ter feito um bom jogo.
Nos outros jogos que interessam a classificação para a Champions League, o Bologna é derrotado em casa enquanto que o Chievo e a Lazio ganham os respectivos jogos fora de casa. Agora o Chievo ocupa a quarta colocação com 50 pontos, o Bologna é quinto com 49, o Milan é sexto com 48 e a Lazio é sétima com 47 pontos. Pode-se ver que quando faltam ainda três rodadas para terminar o Campeonato Italiano o Milan está a somente a dois pontos da quarta colocação.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Helveg (Roque Junior), Chamot, Laursen, Kaladze
Contra (Albertini), Gattuso, Ambrosini, Serginho (Pirlo)
Inzaghi, Shevchenko


30a rodada, Domingo 7 de Abril de 2002. CHIEVO  1 X 1  MILAN

Apesar do cansaço do jogo da Quinta Feira anterior em Dortmund válido pela Copa UEFA e apesar do moral baixo pela humilhante derrota com o Borussia, o Milan joga bem em Verona contra o Chievo e o empate final em 1 a 1 pode ser considerado justo. O Milan continua na quinta colocação a um ponto do Bologna quarto colocado.
O Milan começa atacando e consegue passar em vantagem aos 13 minutos do primeiro tempo com Inzaghi, de cabeça, após cruzamento de Rui Costa do lado direito do ataque rubro-negro. Infelizmente o Chievo empata 9 minutos mais tarde após um enésimo "blackout" na defesa milanista: Moro recebe um cruzamento no meio da área adversária, ninguém lhe cria obstáculos, e sem dificuldade empata de cabeça.
O jogo continua vivaz mas o Milan não consegue passar novamente em vantagem apesar de jogar a última parte do segundo tempo em 11 contra 10 devido à expulsão de Moro que recebe o segundo cartão amarelo.

Escalação do Milan (4-4-1-1)
Abbiati
Chamot, Laursen, Roque Junior, Kaladze
Brocchi (José Mari), Gattuso, Albertini (Pirlo), Serginho
Rui Costa (Shevchenko)
Inzaghi


29a rodada, Sábado 30 de Março de 2002. MILAN  3 X 1  PARMA

O Milan derrota o Parma em San Siro com o placar de 3 a 1 e coleciona assim a terceira vitória seguida. Agora ocupa a quinta colocação no Campeonato Italiano com 47 pontos, apenas um ponto atrás do Bologna quarto colocado. Portanto a classificação à Champions League da próxima temporada parece mais fácil apesar das dificuldades dos três próximos turnos: Chievo e Juventus fora de casa e Roma em casa.
No Milan não jogam Costacurta e Rui Costa que se machucaram no último jogo em Piacenza, mas há o retorno de capitão Maldini depois de ficar afastado dos gramados por mais de três meses.
No primeiro tempo os rubro-negros são moles e confusos e permitem que o Parma passe em vantagem aos 14 minutos com Di Vaio em ação de contra-ataque. No intervalo Ancelotti substitui o meio-campista Serginho com o "trequartista" Pirlo com o objetivo de injetar criatividade nas ações de ataque. O Milan volta assim transformado para o segundo tempo e consegue empatar logo aos 7 minutos com Inzaghi que de cabeça faz o gol do 1 a 1 após cruzamento de José Mari. Após muitas tentativas o Milan consegue passar em vantagem (2 a 1) aos 32 minutos com Pirlo cobrando uma falta à perfeição. O mesmo Pirlo aos 48 minutos fornece uma assistência a Inzaghi que faz o gol do 3 a 1.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Contra, Chamot (Laursen), Maldini, Kaladze
Gattuso, Albertini, Ambrosini, Serginho (Pirlo)
José Mari (Donati), Inzaghi


28a rodada, Domingo 24 de Março de 2002. PIACENZA  0 X 1  MILAN

O Milan faz o único gol do jogo aos 20 minutos do primeiro tempo com Serginho cobrando um pênalti concedido pelo juiz Trentalange de Turim por uma falta de Lucarelli sobre Inzaghi. Este pênalti permite ao Milan de ganhar 3 pontos preciosos para a classificação.
Infelizmente dois jogadores importantes do Milan se machucam durante este jogo:
1) Rui Costa no fim do primeiro tempo sofre um estiramento na coxa direita e deverá ficar afastado aproximadamente três semanas.
2) Costacurta se machuca mais seriamente aos 25 minutos do segundo tempo: lesão a um ligamento do joelho direito. Deverá ser operado e ficar afastado por pelo menos 4 meses, ou seja esta temporada já acabou para ele.
O Milan fica abalado por ter perdido estes jogadores e o Piacenza torna-se muito agressivo na tentativa de empatar o jogo. Por sorte o goleiro Abbiati salva o Milan fazendo três defesas milagrosas no segundo tempo: aos 2 e aos 28 minutos sobre chutes de Hubner e aos 22 minutos sobre chute de Gautieri.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Chamot, Costacurta (Roque Junior), Kaladze (Laursen)
Gattuso, Albertini, Serginho
Rui Costa (Ambrosini)
Simone, Inzaghi


27a rodada, Domingo 17 de Março de 2002. MILAN  2 X 1  TORINO

O Milan volta a ganhar em San Siro depois de quase três meses, de fato a última vitória tinha acontecido contra o Verona no dia 23 de Dezembro de 2001 (Milan 2 X 1 Verona).
No primeiro tempo o Milan ataca bastante mas os seus dois atacantes espanhóis são poucos incisivos. Javi Moreno desperdiça duas claras ações de gol aos 19 minutos (o goleiro Bucci rebate um seu chute de perto) e aos 39 minutos (a bola sai de pouco ao lado do poste). Aos 46 minutos é José Mari que chuta, mas Bucci defende novamente.
No intervalo o treinador Ancelotti substitui Javi Moreno com Inzaghi que volta assim a jogar após três meses e meio longe dos gramados. Ele se tinha machucado no jogo contra o Chievo no início de Dezembro 2001. O Milan começa a jogar bem melhor e passa em vantagem aos 6 minutos com Kaladze que desvia no gol, quase da linha de fundo, um cruzamento do romeno Contra.
A vantagem do Milan dura somente 13 minutos por que aos 19 minutos Ferrante transforma em gol um pênalti concedido pelo juiz Braschi de Prato. Contra tinha feito falta sobre o mesmo Ferrante.
O Milan volta a atacar para tentar ganhar os três pontos e aos 27 minutos Ancelotti substitui Albertini, já cansado, com Ambrosini. Esta substituição se demonstra certa por que sete minutos mais tarde o mesmo Ambrosini faz de cabeça o gol do 2 a 1 após ação de escanteio.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Chamot, Costacurta, Kaladze
Gattuso, Albertini (Ambrosini), Serginho (Roque Jr)
Rui Costa
José Mari, Javi Moreno (Inzaghi)


26a rodada, Domingo 10 de Março de 2002. BOLOGNA  2 X 0  MILAN

O Milan faz o seu pior jogo em Bologna e é derrotado e humilhado com o placar de 2 a 0. A ausência de bem 6 titulares (Maldini, Inzaghi, Shevchenko, Ambrosini, Helveg e Serginho, todos machucados) não é suficiente para justificar o desempenho tão ruim apresentado pelo time.
O Bologna passa em vantagem logo aos três minutos do primeiro tempo quando Beppe Signori cobra uma falta e acerta o poste à esquerda do goleiro Abbiati. Chega Fresi que sem dificuldades faz o gol do 1 a 0. O bolognês Cruz faz o gol do 2 a 0 aos 24 minutos, ainda do primeiro tempo, após assistência de Signori.
O Milan continua na sexta colocação da classificação do Campeonato Italiano com 38 pontos, seis pontos atrás do Bologna quarto colocado e três pontos atrás do Chievo quinto colocado.
Para se ter uma idéia de quanto o Milan jogou mal é suficiente observar as notas dadas pelo jornalista da Gazzetta dello Sport aos jogadores do Milan:
Kaladze: nota 4
Contra: nota 4.5
Costacurta, Roque Junior, Chamot, Albertini, Rui Costa e Brocchi nota 5
Gattuso, Javi Moreno e José Mari nota 5.5
Somente Abbiati, Umit e Simone se salvam recebendo nota 6.
Em protesto, os torcedores do Milan, revoltados com o desempenho do time, deixam o estádio antes do jogo acabar.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Costacurta, Roque Jr, Kaladze (Chamot)
Gattuso, Albertini (Javi Moreno), Brocchi (Umit)
Rui Costa
José Mari, Simone


25a rodada, Domingo 3 de Março de 2002. MILAN  0 X 1  INTER

Desta vez o Milan joga bem no derby contra a Inter apesar de estar cansado pelo jogo da última Quinta Feira contra o Roda, returno das oitavas de final da Copa da UEFA  no qual foram necessários os tempos suplementares  e os pênaltis. Infelizmente para os rubro-negros, a Inter está com muita sorte e consegue fazer um gol muito afortunado aos 33 minutos do segundo tempo: Ventola faz um cruzamento do lado direito do ataque interista, Abbiati rebate com um pé e a bola chega a Vieri que a desvia no gol com o joelho direito.
A Inter ganha assim o derby com o placar de 0 a 1, mas o empate teria sido o resultado final mais justo.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Costacurta (Laursen), Roque Jr, Chamot
Gattuso, Albertini (Ba), Kaladze
Rui Costa
Shevchenko, José Mari (Javi Moreno)


24a rodada, Domingo 24 de Fevereiro de 2002. VENEZIA  1 X 4  MILAN

Finalmente, depois de quase dois meses sem ganhar, o Milan volta à vitória derrotando o Venezia, lanterna do campeonato, na cidade de Veneza. O Milan continua assim lutando para a quarta colocação que garante a participação à Champions League da próxima temporada. Agora o Milan ocupa a sexta colocação, somente três pontos atrás do Bologna quarto colocado e um ponto atrás do Chievo quinto colocado.
O primeiro tempo termina empatado em 1 a 1. O Milan passa em vantagem aos 12 minutos com Kaladze e o Venezia empata 5 minutos mais tarde após um grave erro defensivo de Roque Junior.
No segundo tempo o treinador Ancelotti coloca Javi Moreno no lugar de Albertini que sentia dores num joelho e Rui Costa no lugar de Pirlo que aparecia meio apagado. Estas substituições transformam o Milan que consegue fazer três gols:
- aos 21 minutos Javi Moreno faz gol de cabeça após cruzamento de Contra (1 a 2).
- aos 30 minutos Rui Costa passa de maneira perfeita a bola para José Mari que serve Contra que faz o gol do 1 a 3.
- aos 35 minutos Javi Moreno fecha a goleada em ação de contra-ataque (1 a 4). Javi Moreno faz assim os seus dois primeiros gols no Campeonato Italiano e recebe nota 7 do jornalista da Gazzetta dello Sport.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Roque Jr, Costacurta, Chamot
Gattuso, Albertini (Javi Moreno), Kaladze
Pirlo (Rui Costa)
Shevchenko, José Mari (Ba)


23a rodada, Sábado 16 de Fevereiro de 2002. MILAN  0 X 0  ATALANTA

No jogo contra a Atalanta de Bergamo o Milan não vai além de um empate em 0 a 0 e continua assim perdendo pontos em San Siro contra times pequenos. Durante todos os noventa minutos os rubro-negros apresentam um estéril domínio territorial, demoram muito para chutar no gol e quando chutam são muito imprecisos.
Como era de se esperar, depois de muito tempo sem ganhar os três pontos, o Milan recebe muitas vaias dos próprios torcedores. De fato nos últimos seis jogos obteve somente 5 pontos através de 5 empates e uma derrota. Com Maldini e Inzaghi fora do time por que machucados há muito tempo, no Milan falta um líder para por ordem no time.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Roque Jr, Costacurta, Kaladze
Gattuso (Serginho), Albertini, Umit
Rui Costa (Pirlo)
Shevchenko (Javi Moreno), José Mari


22a rodada, Domingo 10 de Fevereiro de 2002. MILAN  1 X 1  PERUGIA

O Milan começa jogando melhor que o Perugia e passa em vantagem aos 16 minutos com Serginho que transforma um pênalti concedido pelo juiz Racalbuto de Gallarate por falta de Rezaei sobre Ambrosini.
Infelizmente aos 25 minutos, ainda do primeiro tempo, Ambrosini se machuca ao joelho direito e deve ser substituído por Brocchi. Deverá ser operado do menisco nos próximos dias e ficar afastado dos gramados por aproximadamente dois meses. O Milan é abalado psicologicamente pela saída de Ambrosini e permite que os adversários comecem a mandar no jogo. O Perugia obtém assim o empate no início do segundo tempo com Bazzani, de cabeça.
A partir deste ponto o Milan volta a atacar para tentar ganhar os 3 pontos e obriga o Perugia a criar um verdadeiro "bunker" na frente do goleiro Cordoba.
O jogo termina empatado em 1 a 1 apesar de o Milan ter jogado os último 35 minutos em 11 contra 10 devido à expulsão do perugino Baiocco e os últimos 7 minutos em 11 contra 9 devido à expulsão do outro perugino Sogliano, ambos por ter recebido o segundo cartão amarelo. A única verdadeira ocasião de gol é com Pirlo que acerta o travessão cobrando falta.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Roque Jr, Laursen, Costacurta, Serginho
Gattuso, Donati (Umit), Ambrosini (Brocchi)
Rui Costa (Pirlo)
Shevchenko, José Mari


21a rodada, Domingo 3 de Fevereiro de 2002. LAZIO  1 X 1  MILAN

Finalmente um pouco de sorte para o Milan no jogo em Roma contra a Lazio, terminado empatado em 1 a 1. De fato os rubro-negros conseguem empatar somente aos 47 minutos do segundo tempo e de maneira inacreditável como descrito a seguir. Serginho bate um escanteio do lado esquerdo do ataque milanista. Kaladze consegue cabecear a bola que bate na nuca de Shevchenko e começa a descrever uma parábola em direção ao canto alto do lado esquerdo do gol lazial. Stankovic consegue de cabeça rebater a bola, mas esta bate no travessão e depois no gramado, um pouco além da linha do gol defendido por Peruzzi que nada pode fazer. O juiz Pellegrino convalida o gol.
A Lazio tinha passado em vantagem aos 20 minutos do primeiro tempo com Stankovic e em seguida Abbiati tinha impedido por bem 4 vezes que a Lazio ampliasse a vantagem fazendo 4 defesas milagrosas: 2 vezes no primeiro tempo (chutes de Lopez e Poborski) e 2 no segundo (chutes de Stankovic e Lopez).
O Milan continua na quinta colocação do Campeonato Italiano, 4 pontos atrás do Chievo quarto colocado. Nos próximos três jogos relativamente fáceis (Perugia e Atalanta em casa e Venezia fora) o Milan tem a oportunidade de se aproximar da quarta colocação que garante a participação na Champions League da próxima temporada.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Helveg (Contra), Laursen, Costacurta, Kaladze
Brocchi (Kutuzov), Gattuso (Pirlo), Albertini, Serginho
Shevchenko, Javi Moreno


20a rodada, Domingo 27 de Janeiro de 2002. MILAN  2 X 3  UDINESE

Aos 15 minutos do primeiro tempo o Milan já está em vantagem de 2 a 0 sobre a Udinese com gols de Shevchenko cobrando pênalti e de Serginho que chuta do limite da área após receber a bola de José Mari. Apesar disso o Milan consegue ser derrotado pela Udinese com o placar de 2 a 3, a demonstração de que o time está passando por um período negro e a Diretória deverá tomar as medidas necessárias para evitar ficar fora da Champions League pela segunda temporada seguida apesar de ter gastado muitos milhões de Dolares em contratações para fortalecer o time. Depois desta derrota em San Siro o Milan se encontra na quinta colocação do Campeonato Italiano, 4 pontos atrás do Chievo quarto colocado.
Deve-se notar que Carlo Ancelotti está fazendo pior do que Terim. De fato o treinador turco obteve 15 pontos em 9 jogos (1.67 pontos por jogo) e Ancelotti tem obtido somente 17 pontos em 11 jogos (1.55 pontos por jogo).
Voltando ao jogo, a Udinese faz o gol do 1 a 2 com Muzzi aos 34 minutos do primeiro tempo, mas alguns minutos mais tarde o Milan tem a possibilidade de ampliar novamente a vantagem quando o juiz Trentalange concede um segundo pênalti a favor do Milan. Infelizmente Shevchenko chuta muito fraco e o goleiro Turci defende. É o segundo pênalti errado por Shevchenko em duas rodadas seguidas. Até agora os jogadores do Milan têm errado 3 dos 6 pênaltis batidos e este é um outro sinal da intranqüilidade presente no ambiente rubro-negro.
O segundo tempo é tudo dominado pela Udinese que empata com Scarlato aos 8 minutos e passa em vantagem (2 a 3) com Jorgensen aos 33 minutos. O Milan sai do campo em baixo das vaias dos torcedores amargurados por esta derrota.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Helveg, Costacurta (Laursen), Chamot, Kaladze
Contra (Pirlo), Donati, Albertini, Serginho
Shevchenko, José Mari (Javi Moreno)


19a rodada, Domingo 20 de Janeiro de 2002. FIORENTINA  1 X 1  MILAN

Após um primeiro tempo com poucas ações de gol, o Milan passa em vantagem aos 7 minutos do segundo tempo com o espanhol José Mari que de cabeça faz o gol do 0 a 1, após cruzamento de Serginho.
Aos 25 minutos, Shevchenko tem a oportunidade de fechar o jogo, fazendo o gol do 0 a 2, ao bater um pênalti concedido pelo juiz Paparesta de Bari por uma falta de Torricelli sobre o mesmo Shevchenko. Infelizmente o goleiro "viola" Manninger defende o pênalti. É a segunda vez nesta temporada que um jogador do Milan erra um pênalti: já tinha acontecido com Inzaghi que, no jogo Torino X Milan, errou o pênalti que poderia dar o empate ao Milan.
Aos 31 minutos, Gattuso é expulso por receber o segundo cartão amarelo e o Milan deve jogar os últimos 15 minutos em inferioridade numérica.
Apesar de jogar em 10 contra 11 o Milan tem novamente a oportunidade de fazer o gol do 0 a 2 aos 43 minutos, mas Serginho não consegue desviar no gol vazio um cruzamento de José Mari.
Fazendo fé ao provérbio "Quem não faz , toma", o Milan é punido por desperdiçar tantas oportunidades de gol. De fato aos 45 minutos o brasileiro Adriano recebe a bola do companheiro Gonzales, resiste ao retorno de Costacurta, e faz o gol do empate em 1 a 1. O Milan perde assim a oportunidade de ganhar três pontos fora de casa.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Roque Junior, Costacurta, Chamot, Helveg
Contra (Brocchi), Gattuso, Albertini, Serginho
Shevchenko (Donati), José Mari


18a rodada, Domingo 13 de Janeiro de 2002. MILAN  0 X 0  BRESCIA

Durante todos os 90 minutos do jogo em San Siro contra o Brescia, o Milan procura o gol, mas faz isso de maneira desordenada. O Brescia joga sempre fechado e se defende sem nunca perder a cabeça.
O Milan chega muito perto do gol somente uma vez, no segundo tempo, quando o espanhol Javi Moreno cabeceia para o gol mas o goleiro bresciano Castellazzi faz uma defesa milagrosa evitando o gol. O jogo termina portanto empatado em 0 a 0 e o Milan continua na quinta colocação do Campeonato Italiano.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Contra, Costacurta, Chamot, Kaladze
José Mari, Gattuso, Albertini, Pirlo (Serginho)
Simone (Javi Moreno), Shevchenko


17a rodada, Sábado 5 de Janeiro de 2002. LECCE  0 X 1  MILAN

O Milan, apesar de não poder contar com Maldini, Rui Costa e Inzaghi, todos machucados, vai a Lecce com o objetivo de ganhar os três pontos. O Lecce, ao contrário, pensa somente em se defender e consegue manter o empate até aos 33 minutos do segundo tempo quando Pirlo bate de maneira perfeita uma falta e José Mari faz, de cabeça, o gol do 0 a 1.
Aos 48 minutos Abbiati faz uma defesa milagrosa rebatendo um tiro da curta distância do leccês Tonetto que, após uma falha na zaga milanista, tinha se encontrado sozinho na frente do goleiro rubro-negro. Abbiati garante assim os 3 pontos para o Milan.

Escalação do Milan (4-4-1-1)
Abbiati
Helveg, Costacurta, Chamot, Kaladze
José Mari, Gattuso, Albertini (Donati), Serginho (Simone)
Pirlo (Umit)
Shevchenko


16a rodada, Domingo 23 de Dezembro de 2001. MILAN  2 X 1  VERONA

O Milan joga melhor que o Verona no primeiro tempo mas não tem sorte por que Shevchenko acerta o travessão e José Mari o poste do gol defendido pelo goleiro veronês Ferron. No intervalo o treinador Ancelotti substitui Donati com Ambrosini que volta a jogar depois da cirurgia à qual foi submetido há mais de dez meses. É o próprio Ambrosini que aos 13 minutos faz o gol do 1 a 0, de cabeça, após falta batida por Rui Costa.
Mas a vantagem do Milan dura somente 13 minutos, uma vez que o Verona empata aos 26 minutos com Paolo Cannavaro após ação na qual a defesa rubro-negra tem a própria dose de culpas.
Aos 29 minutos Ancelotti substitui Pirlo com o romeno Contra e novamente a substituição é providencial para o Milan uma vez que o mesmo Contra faz o gol da vitória aos 49 minutos quando parecia que o jogo ia mesmo acabar empatado.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Helveg, Costacurta, Chamot, Kaladze
Gattuso, Donati (Ambrosini), Pirlo (Javi Moreno)
Rui Costa
Shevchenko, José Mari (Contra)


15a rodada, Quarta Feira 19 de Dezembro de 2001. ATALANTA  1 X 1  MILAN

No jogo em Bergamo contra a Atalanta o Milan não pode utilizar bem quatro titulares: Inzaghi, Serginho, Albertini e Rui Costa todos machucados. Além disso a Atalanta está atravessando um ótimo período de forma tendo obtido 4 vitórias nos últimos 5 jogos.
O primeiro tempo é muito ruim para o Milan uma vez que o seu capitão Maldini, aos 27 minutos, se machuca (lesão parcial de um ligamento do joelho esquerdo) e deve deixar o campo substituído por Kaladze. Maldini deverá ficar afastado dos gramados durante pelo menos 2 meses.
Os rubro-negros sofrem psicologicamente a saída do seu capitão e a Atalanta começa a mandar no jogo e passa em vantagem alguns minutos mais tarde com o ex-jogador milanista Luigi Sala que faz o gol do 1 a 0. No segundo tempo o Milan volta transformado, consegue empatar o jogo com Shevchenko aos 12 minutos (1 a 1) e várias vezes chega também perto do gol da vitória. Mas a Atalanta sabe se defender e o jogo acaba mesmo empatado.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Helveg, Laursen, Costacurta, Maldini (Kaladze)
Contra (Pirlo), Gattuso, Donati, José Mari
Simone (Javi Moreno), Shevchenko


14a rodada, Domingo 16 de Dezembro de 2001. ROMA  1 X 0  MILAN

No jogo em Roma contra a Roma, o Milan obtém a primeira derrota com Carlo Ancelotti como treinador.
O gol da Roma acontece a poucos minutos do fim do primeiro tempo quando Assunção intercepta uma bola recuada erroneamente pelo capitão Maldini. O romanista em seguida lança a bola para Totti que chuta para o gol defendido por Abbiati. A bola, após ser ligeiramente desviada por Chamot, não é segurada por Abbiati e entra no gol (1 a 0).
No segundo tempo o Milan consegue empatar com José Mari mas o juiz Collina não convalida por um motivo que ninguém consegue entender (falta de Roque Junior?, falta do mesmo José Mari?) e a Roma consegue segurar a vitória até o fim.
A impressão geral é que os juizes estão decisivamente contra o Milan neste período de tempo. De fato, como mostrado a seguir, o Milan já perdeu 7 pontos por culpa dos juizes nos últimos jogos:
a) 2 pontos perdidos no empate com o Bologna em San Siro. O juiz De Santis não convalidou um gol regular de Inzaghi.
b) outros 2 pontos perdidos no empate com o Piacenza quando o juiz não convalidou um outro gol regular de Inzaghi.
c) 2 pontos perdidos contra a Juventus quando o juiz Paparesta deu um pênalti inexistente contra o Milan, por falta sobre Zalayeta.
d) um ponto perdido neste jogo contra a Roma, quando o juiz Collina anula um gol válido de José Mari.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Helveg, Chamot, Roque Junior, Maldini
Gattuso, Albertini (Donati), Umit (Brocchi)
Rui Costa
Shevchenko, José Mari (Javi Moreno)


13a rodada, Domingo 9 de Dezembro de 2001. MILAN  1 X 1  JUVENTUS

Este contra a Juventus é o primeiro jogo do Milan sem Inzaghi que deverá ficar afastado dos gramados durante aproximadamente 4 meses após a cirurgia no joelho esquerdo. No seu lugar o treinador Ancelotti utiliza o espanhol Javi Moreno que na última Quinta Feira foi o autor do gol de empate em Lisboa no jogo de volta contra o Sporting, pela Copa UEFA 2001/2002.
O primeiro tempo é marcado, aos 23 minutos, pelo golaço de Andrij Shevchenko que após uma ação em "slalom" entre vários jogadores juventinos chuta com precisão cirúrgica a bola que entra no gol no canto alto à direita do goleiro Buffon.
Infelizmente para os torcedores rubro-negros o juiz Gianluca Paparesta, logo no primeiro minuto do segundo tempo, inventa um pênalti inexistente a favor da Juventus após um contraste entre Maldini e Zalayeta. Del Piero transforma a penalidade máxima empatando o jogo. Durante todo o segundo tempo o Milan ataca tentando ganhar os três pontos mas não consegue e o jogo acaba mesmo empatado.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Helveg, Costacurta, Chamot, Maldini
Gattuso, Albertini, Umit (Contra)
Rui Costa
Shevchenko, Javi Moreno (Simone)


12a rodada, Domingo 2 de Dezembro de 2001. MILAN  3 X 2  CHIEVO

Após um jogo cheio de emoções, o Milan derrota o líder Chievo com o placar de 3 a 2 e consegue ganhar três pontos em San Siro após três empates seguidos com Venezia, Bologna e Piacenza.
O Milan passa em vantagem logo aos 14 minutos do primeiro tempo com Filippo Inzaghi que de cabeça (como a Parma no último jogo) e após assistência de Serginho (também como a Parma), faz o gol do 1 a 0. Parece ser um jogo fácil para o Milan, mas não é assim por que o Chievo, no espaço de três minutos, vira o resultado com Marazzina (gol do 1 a 1 aos 26 minutos) e Corradi (gol do 1 a 2 aos 29 minutos).
No segundo tempo o treinador Carlo Ancelotti substitui Laursen, considerado o responsável pelos dois gols do Chievo, com Costacurta e o Milan volta a mandar no jogo. Aos 12 minutos Shevchenko empata, transformando um pênalti meio duvidoso concedido generosamente pelo juiz Cesari de Genova, e aos 20 minutos o Milan passa em vantagem com Shevchenko que recebe uma assistência perfeita de Rui Costa, antecipa Moro e de cabeça bate o goleiro chievês, fazendo o gol do 3 a 2.
Mas os torcedores do Milan devem sofrer até o fim por que Inzaghi se machuca após forte trombada com o goleiro Lupatelli (lesão do ligamento do joelho esquerdo), obrigando o time a jogar os últimos 25 minutos em 10 homens, por que o treinador já tinha executado as três substituições. Inzaghi deverá ficar afastado dos gramados durante várias semanas.
O Milan consegue se defender até aos 49 minutos do segundo tempo, ganhando assim 3 pontos preciosos para a classificação.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Helveg, Laursen (Costacurta), Chamot, Maldini
Gattuso, Donati (Contra), Serginho (Kaladze)
Rui Costa
Shevchenko, Inzaghi


11a rodada, Domingo 25 de Novembro de 2001. PARMA  0 X 1  MILAN

O primeiro jogo fora de casa com Carlo Ancelotti como treinador se apresentava muito difícil por que no Milan seriam ausentes os três jogadores mais experientes (Maldini e Albertini machucados e Costacurta suspenso), por que o Milan não vencia em Parma desde Abril de 1995 e por que o Parma nunca tinha perdido em casa nesta temporada.
Durante a primeira meia hora de jogo é o Parma que ataca mais, mas é o Milan que passa em vantagem aos 29 minutos com Inzaghi que de cabeça faz o gol do 0 a 1 após falta batida à perfeição por Serginho. Uma vez passado em vantagem o Milan começa a jogar melhor que o Parma e várias vezes chega perto do segundo gol, apesar de ter que jogar os últimos 30 minutos em inferioridade numérica devido à expulsão do turco Umit após este ter feito falta por trás sobre o parmense Cannavaro.
Os jogadores do Milan que mais se sobressaem nesta vitória em casa do Parma são Inzaghi, Chamot e Abbiati.
Parece que o treinador Ancelotti tenha solucionado o problema da defesa do Milan que na época de Terim estava tomando muitos gols. Por enquanto o Milan está tomando poucos gols.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Helveg, Laursen, Chamot, Kaladze
Umit, Donati, Serginho
Rui Costa (Roque Junior)
Shevchenko (Contra), Inzaghi (Simone)


10a rodada, Domingo 18 de Novembro de 2001. MILAN  0 X 0  PIACENZA

Apesar de ter trocado o treinador, o Milan continua perdendo pontos em San Siro.
Com Rui Costa abúlico, com Shevchenko inconcludente e apagado, com Costacurta expulso no início do segundo tempo, o time de Ancelotti não vai além de um empate em 0 a 0 com o Piacenza que pensa somente em se defender.
É o terceiro empate seguido em casa para o Milan (após os jogos contra Venezia e Bologna) que cai para a sexta colocação na classificação do Campeonato Italiano.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Laursen, Costacurta, Kaladze
Gattuso (Chamot), Albertini, Brocchi (Serginho)
Rui Costa (Pirlo)
Shevchenko, Inzaghi


9a rodada, Domingo 4 de Novembro de 2001. TORINO  1 X 0  MILAN

O Milan continua perdendo pontos em jogos contra times pequenos. Na quinta rodada tinha sido derrotado pelo Perugia que até então tinha ganhado somente 2 pontos em 4 jogos e na sexta rodada tinha empatado em casa com o Venezia que vinha de 5 derrotas em 5 jogos. Agora, nesta nona rodada, é derrotado em Turim pelo Torino que ocupava a penúltima colocação na classificação do Campeonato Italiano. O Torino passa em vantagem aos 26 minutos do primeiro tempo com Lucarelli que se aproveita de um erro da defesa rubro-negra. No fim do segundo tempo o Milan tem a oportunidade para empatar, mas Filippo Inzaghi desperdiça um pênalti chutando fora. Talvez este pênalti desperdiçado seja um sinal da intranqüilidade presente no time. Após esta derrota o Milan cai para a quinta colocação, 5 pontos atrás do líder Chievo.
Considerando que no início desta temporada a diretoria do Milan tinha montado um time para lutar para as primeiras posições, o treinador turco Fatih Terim é dispensado após esta derrota com o Torino, depois de apenas 9 rodadas. Carlo Ancelotti, jogador do Milan na época áurea de Arrigo Sacchi no fim dos anos oitenta, é chamado para ser o novo treinador do Milan.

Escalação do Milan (4-4-1-1)
Abbiati
Laursen, Roque Junior, Costacurta, Kaladze
Umit(Contra), Albertini (Simone), Gattuso, Serginho
Rui Costa (Pirlo)
Inzaghi


8a rodada, Domingo 28 de Outubro de 2001. MILAN  0 X 0  BOLOGNA

O Milan obtém somente um empate em 0 a 0 com o Bologna em San Siro e continua no segundo lugar da classificação do Campeonato Italiano, junto com a Inter e a Roma, 4 pontos atrás do surpreendente líder Chievo.
Pela primeira vez desde 26 de Abril de 1998, quando empatou em 0 a 0 com o Napoli, o Milan não consegue fazer um gol em San Siro em jogos do Campeonato Italiano. Durante os últimos 55 jogos realizados em San Siro nos últimos três anos e meio o Milan tinha sempre conseguido fazer pelo menos um gol.
O Milan inicia o jogo contra o Bologna com a mesma escalação do espetacular segundo tempo contra a Inter, mas é o Bologna que joga melhor. De fato o time emiliano pratica um jogo essencial, prático e veloz que põe em dificuldade o Milan. No segundo tempo o treinador Terim substitui Gattuso e Rui Costa (este último em não boas condições físicas) com Donati e Umit e o jogo do Milan melhora bastante, mas o Bologna se defende ordenadamente e consegue empatar o jogo ajudado também pelo juiz De Santis que anula um gol de Inzaghi por um impedimento inexistente.
No segundo tempo Shevchenko quebra o nariz e é substituído por Marco Simone que volta a jogar no Milan depois de várias temporadas no futebol francês. Quando Simone entra em campo com a camisa número 69 recebe uma "standing ovation" dos torcedores rubro-negros.
O Milan deve jogar os últimos minutos em 10 homens uma vez que também capitão Maldini se machuca à coxa esquerda e deverá ficar afastado dos gramados por aproximadamente um mês e meio.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Laursen, Costacurta, Maldini
Gattuso (Donati), Kaladze, Serginho
Rui Costa (Umit)
Inzaghi, Shevchenko (Simone)


7a rodada, Domingo 21 de Outubro de 2001. INTER  2 X 4  MILAN

A Inter quer vingar a humilhante derrota por 0 a 6 do último derby do dia 11 de maio de 2001 e parece ter as cartas em regra para fazer isso uma vez que vem de uma série de ótimos resultados e ocupa o primeiro lugar na classificação do Campeonato italiano. Por outro lado o Milan vem de dois resultados negativos: derrota a Perugia e empate em casa com o Venezia. Alem disso, apesar de o Milan ter começado o jogo atacando mais, é a Inter que passa em vantagem com Ventola aos 13 minutos do primeiro tempo e tem outras oportunidades de ampliar a vantagem ainda no primeiro tempo.
Mas o Milan volta transformado para o segundo tempo, após o treinador Terim ter substituído no intervalo Albertini, em não boas condições físicas, com Contra. Os rubro-negros conseguem fazer três gols no arco de 7 minutos: aos 14 minutos Shevchenko empata de cabeça após receber um cruzamento milimétrico de Rui Costa. Aos 16 minutos Contra faz o gol do 1 a 2 com um forte chute de fora da área e o mesmo Contra, aos 21 minutos, faz o cruzamento para Inzaghi fazer de cabeça o gol do 1 a 3.
Em seguida, aos 32 minutos, Shevchenko faz o gol do 1 a 4 após cruzamento de Serginho do lado esquerdo do ataque milanista. Já nos acréscimos, a Inter reduz as distâncias com um gol de Kallon (2 a 4).

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Kaladze, Costacurta, Laursen, Maldini
Gattuso, Albertini (Contra), Serginho
Rui Costa (Brocchi)
Inzaghi (Donati), Shevchenko


6a rodada, Domingo 14 de Outubro de 2001. MILAN  1 X 1  VENEZIA

O Milan joga em San Siro contra o Venezia que está ainda com zero pontos na classificação: 5 jogos e 5 derrotas. Além disso durante a semana o treinador Prandelli tinha sido exonerado.
O Milan consegue passar em vantagem com um grande gol de Shevchenko aos 45 minutos do primeiro tempo, mas infelizmente Maniero empata de cabeça aos 16 minutos do segundo tempo após grave desatenção da defesa rubro-negra.
Nos minutos restantes o Milan ataca muito, mas de maneira desordenada. O Venezia consegue resistir e ganha assim o seu primeiro ponto na classificação do Campeonato Italiano.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra (Helveg), Roque Junior, Laursen, Maldini
Gattuso, Albertini, Serginho
Rui Costa (Kaladze)
Inzaghi (Javi Moreno), Shevchenko


5a rodada, Domingo 30 de Setembro de 2001. PERUGIA  3 X 1  MILAN

O Milan jogando fora de casa, em Perugia, sofre a primeira derrota no Campeonato Italiano desde que Fatih Terim é o treinador. O Perugia até agora tinha acumulado somente 2 pontos (2 empates e 2 derrotas) mas contra o Milan joga de maneira inteligente e humilde e merece ganhar os três pontos. O reparto mais deficiente do Milan parece ser a defesa que já tomou 8 gols em apenas 5 jogos.
Após o primeiro tempo no qual o Milan mostra-se mais perigoso, o Perugia passa surpreendentemente em vantagem aos 12 minutos do segundo tempo com Bazzani que, deixado sozinho por Laursen, se aproveita de uma assistência de Zé Maria e de cabeça desvia a bola no gol, à esquerda do goleiro Abbiati. Kaladze empata de cabeça aos 23 minutos após escanteio batido por Serginho e os torcedores do Milan acham que o time rubro-negro possa virar o resultado. Mas é o Perugia que em três minutos faz mais dois gols: aos 31 minutos com Tedesco e aos 34 minutos com Vryzas.
Todos os jogadores do Milan recebem nota negativa ( 5 ou 5.5) do jornalista da Gazzetta dello Sport.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra (Helveg), Laursen, Maldini, Kaladze (Roque Junior)
Gattuso, Albertini (Javi Moreno), Serginho
Rui Costa
Inzaghi, Shevchenko


4a rodada, Domingo 23 de Setembro de 2001. MILAN  2 X 0  LAZIO

O Milan joga em San Siro contra uma Lazio em plena crise e que na última Quinta Feira tinha dispensado o treinador Dino Zoff após este colecionar duas derrotas em Champions League e três empates no Campeonato Italiano. O novo treinador contratado pela Lazio é Alberto Zaccheroni que tinha treinado o Milan até o último mês de Março de 2001. Mas Zaccheroni não tem sorte no seu primeiro domingo como treinador da Lazio por que o Milan continua atravessando uma ótima fase de jogos e de resultados.
O Milan liquida a Lazio com o placar de 2 a 0 com gols de Inzaghi aos 41 minutos do primeiro tempo, após fantástica ação de Contra, e de Laursen aos 5 minutos do segundo tempo, de cabeça, após cruzamento de Rui Costa do lado direito do ataque rubro-negro.
A Lazio mostra também a péssima condição física dos seus jogadores, quatro dos quais (Favalli, Crespo, Nesta e Dino Baggio) se contundem sozinhos obrigando a Lazio a jogar a última meia hora em 10 contra 11.
O único jogador do Milan que não joga bem é o georgiano Kaladze que por duas vezes, com o jogo ainda empatado em 0 a 0, perde a bola e deixa o argentino Crespo sozinho na frente do goleiro Abbiati que por sorte, ambas as vezes, consegue evitar o gol.
O Milan encontra-se agora na primeira colocação da classificação do Campeonato Italiano, junto com a Inter e a Juventus.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Contra, Laursen, Maldini, Kaladze
Gattuso (Donati), Albertini, Serginho
Rui Costa (Pirlo)
Inzaghi, Shevchenko (Javi Moreno)


3a rodada, Domingo 16 de Setembro de 2001. UDINESE  1 X 2  MILAN

O Milan continua jogando bem e derrota a Udinese na cidade de Udine com o placar de 1 a 2. Por coincidência o Milan não ganhava longe de San Siro, pelo Campeonato Italiano, desde o dia 3 de Dezembro de 2000 quando derrotou a mesma Udinese em Udine. Desde aquele jogo o Milan tinha colecionado, longe de San Siro, 6 empates e 5 derrotas.
No Milan faz a estréia, com o número 34, o meio-campista turco Umit que joga na faixa direita, na frente de Contra.
O Milan faz o gol do 0 a 1 aos 15 minutos do primeiro tempo com Shevchenko que faz partir um forte chute de pé direito de fora da área da Udinese. O gol do 0 a 2 é marcado aos 9 minutos do segundo tempo por Inzaghi que recebe um ótimo passe de Shevchenko. Quando faltam 15 minutos para acabar o jogo, Kaladze faz falta sobre Martinez e o juiz Borriello de Mantova concede um pênalti que é transformado por Muzzi (1 a 2).
Em seguida, aos 39 minutos do segundo tempo, Laursen acerta o travessão de cabeça após ação de escanteio (podia ser o gol do 1 a 3) e aos 47 minutos Abbiati faz uma defesa milagrosa de pé rebatendo um chute de Zamboni desviado por Laursen (podia ser o gol do 2 a 2).

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Contra, Laursen, Maldini, Kaladze
Umit, Gattuso (Donati), Albertini, Serginho (Roque Jr)
Inzaghi, Shevchenko (Brocchi)


2a rodada, Domingo 9 de Setembro de 2001. MILAN  5 X 2  FIORENTINA

O Milan tem vida fácil contra o fraco time da Fiorentina que está à beira da falência econômica e que nos últimos meses teve que vender os seus melhores jogadores para pagar as dívidas. Deve-se dizer também que a Fiorentina corre sérios riscos de ser rebaixada para a Série B.
O Milan passa em vantagem aos 17 minutos do primeiro tempo com Shevchenko que faz o gol do 1 a 0 após receber de Inzaghi um perfeito passe de calcanhar.
Inesperadamente a Fiorentina empata dois minutos mais tarde com Chiesa cobrando uma falta que surpreende o goleiro rubro-negro Abbiati. Chiesa é praticamente o único craque que ainda joga na Fiorentina.
O Milan não se deixa abalar pelo empate do adversário e consegue fazer mais dois gols antes do fim do primeiro tempo: Laursen faz o gol do 2 a 1 aos 40 minutos após escanteio batido por Serginho. Inzaghi faz o gol do 3 a 1 aos 46 minutos após roubar a bola de Pierini.
O quarto gol do Milan chega aos 8 minutos do segundo tempo com Shevchenko, após um novo escanteio batido por Serginho. Cinco minutos mais tarde Chiesa faz o segundo gol pela Fiorentina (4 a 2).
Finalmente, o quinto gol do Milan chega aos 33 minutos do segundo tempo com Serginho após receber passe de Shevchenko.

Escalação do Milan (4-4-2)
Abbiati
Helveg (Roque Junior), Laursen, Maldini, Kaladze
Contra, Gattuso, Albertini (Donati), Serginho
Inzaghi (Javi Moreno), Shevchenko


1a rodada, Domingo 26 de Agosto de 2001. BRESCIA  2 X 2  MILAN

O Milan tem muito azar na primeira rodada da temporada 2001/2002. De fato aos 25 minutos do primeiro tempo o número dez rubro-negro Rui Costa é derrubado duramente por traz pelo bresciano Emanuele Filippini e deve deixar o campo com o braço direito gravemente machucado (luxação do cotovelo e fratura na mão). Rui Costa será operado na Segunda Feira 27 de Agosto e deverá ficar afastado das competições por aproximadamente um mês e meio.
O Milan é abalado psicologicamente pela saída do português e o Brescia faz dois gols no espaço de 5 minutos: aos 36 e aos 41 minutos. Ambos os gols são marcados pelo albanês Tare que, em ambos os casos, desvia de cabeça no gol milanista assistências do polonês Kozminski. Portanto o primeiro tempo termina com o Brescia em vantagem de 2 a 0.
O Milan volta transformado no segundo tempo, com o romeno Contra no lugar do argentino Chamot, e faz o gol do 2 a 1 aos 5 minutos com Brocchi. Aos 17 minutos por pouco o Milan não empata quando Inzaghi acerta o travessão. O empate chega aos 19 minutos com Shevchenko cobrando um pênalti concedido pelo juiz Collina após falta de Kozminski sobre Contra. Em seguida os dois times parecem satisfeitos do empate em 2 a 2 e o resultado não muda mais.

Escalação do Milan (4-3-1-2)
Abbiati
Chamot (Contra), Costacurta, Maldini, Serginho
Gattuso, Kaladze, Brocchi (Donati)
Rui Costa (Coco)
Inzaghi, Shevchenko


para o Banco de Dados Voltar para o Banco de Dados

logotipo do Milan
Valid XHTML 1.0!  Valid CSS!